Transportes em Goiânia sofrem com insegurança e ônibus são lotados

É o que revela pesquisa do Ministério Público do Estado de Goiás. Bilhetagem Eletrônica e distância até os pontos receberam as melhores notas

ADAMO BAZANI

De zero a cinco, a nota para os transportes de Goiânia e região metropolitana é 2,85. O resultado faz parte de uma pesquisa do Ministério Público do Estado de Goiás sobre mobilidade urbana.

O estudo foi coordenado professor Willer Luciano Carvalho, do curso de Engenharia de Transportes da Universidade Federal de Goiás.

Foram ouvidas 2.401 pessoas entre os dias 15 de novembro e 13 de dezembro de 2016, nos terminais de ônibus Bandeiras, Araguaia, Cruzeiro, Dergo, Garavelo, Goiânia Viva, Goianira, Isidória, Maranata, Nerópolis, Novo Mundo, Padre Pelágio, Parque Oeste, Praça A, Praça da Bíblia, Recanto do Bosque, Senador Canedo, Trindade, Veiga Jardim, Vera Cruz e Vila Brasília.

De acordo com os dados, entre os itens que mais desagradam os passageiros são os assaltos, principalmente durante a viagem, a lotação dos ônibus e a falta de conforto dos veículos do sistema.

Já uso do cartão de embarque, a distância de caminhada até o ponto e a qualidade dos aplicativos e sites relacionados ao sistema foram os itens que receberam as melhores avaliações. No entanto nenhuma delas atingiu nota 4. A nota máxima para cada quesito poderia ser 5.

goiania-mp-p-1

goiania-mp-p-2

Os passageiros de Goiânia e região metropolitana também querem esperar menos os ônibus nos pontos. A maioria, de acordo com a pesquisa, espera entre 10 e 20 minutos, com 32,2% das respostas. No entanto, quase 10% dos passageiros dizem esperar entre 40 minutos e mais de uma hora.

goiania-mp-p-3

O Ministério Público, com base nos dados, deve atuar juntamente com empresas e autoridades de gerenciamento dos transportes para buscar melhorias no sistema e não descarta mover ações.

A pesquisa completa você confere aqui:

percepcao_do_usuario_com_relacao_a_qualidade_do

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes