Novo sistema de bilhetagem da Autopass deve ser expandido pela rede metropolitana de transportes em São Paulo

Publicado em: 14 de julho de 2016

qcode

QR Code foi lançado nesta quinta-feira no Corredor ABD. Nova forma de bilhetagem também pode ser implantada na CPTM e no Metrô

ADAMO BAZANI

Passageiros que circulam pelo Corredor Metropolitano ABD contam desde o início desta semana com um novo sistema de pagamento da tarifa. Trata-se de bilhetagem QR Code – código bidimensional.

Basta pegar o bilhete que é impresso on-line e encostar na catraca para fazer uso do sistema de transportes.

De acordo com a Autopass, responsável pela bilhetagem metropolitana, é uma inovação e uma forma inédita de pagamento de passagem de transportes coletivos na América Latina.

No Brasil, o QR Code atualmente é utilizado em alguns estabelecimentos comerciais, de serviços e também na aviação comercial.

O QR Code já é realidade no transporte público em parte da Itália, Inglaterra, Estados Unidos, Canadá e na Ásia.

De acordo com o CEO da Autopass, Rubens Gil Filho, uma das vantagens em relação aos atuais bilhetes de papel com tarja magnética no meio (Edmonson) é a praticidade para o passageiro, além de redução do custo de logística, segurança e armazenamento.

O público-alvo é especialmente passageiros eventuais, ou seja, que não usam todos os dias da semana o sistema de transporte ou que não possuem ainda os cartões eletrônicos.

“Fizemos uma visita técnica ao sistema de Milão. Agora, o piloto no terminal de Santo André irá até o dia 11 de agosto. Após esse prazo, haverá uma avaliação de mais ou menos 15 dias por parte da Metra, operadora do sistema e também da EMTU, gerenciadora” – disse o executivo.

Rubens também revelou que a intenção é que o novo sistema de bilhetagem se expanda para toda a rede de transportes metropolitanos, incluindo o Metrô e a CPTM.

Além disso, o bilhete com QR-Code poderá ser vendido nas máquinas de autoatendimento da Autopass, que hoje comercializam o Bilhete Único da capital paulista e o cartão BOM.

CELULAR

No entanto, o maior avanço segundo a Autopass, ainda está por vir nos próximos meses, que é o pagamento com o sistema de QR Code por meio do celular.

Nesse caso, ao comprar a passagem o usuário recebe em seu telefone móvel o código QR Code e encosta o celular no validador da catraca.

Além de adquirir este código nos terminais, também será possível a compra em estabelecimentos comerciais credenciados.

Na primeira semana de operação no Corredor ABD, o novo sistema de bilhetagem movimentou cerca de mil vendas por dia, em horário reduzido, por se tratar de testes.

Atualmente, apenas no Corredor ABD são comercializados por mês em torno de dois milhões dos bilhetes antigos Edmonson , que com tempo poderão ser substituídos por este novo sistema.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Torco para que de certo no Brasil.

    Ai acaba com esse samba do BU.

    Alias o carnaval de 2017 tai, quem sabe o “Samba do BU”, nao se torne um enrredo de escola de samba.

    Nao adianta, o progresso vem de qualquer jeito, e igual ao tempo que tudo transforma mesmo com a torcida contra dos Jurassicos e dos avidos por $$$$$$$.

    Att,

    Paulo Gil

  2. mobilidade.sa disse:

    Ainda não ficou muito claro como funciona o processo!

    É assim?! O passageiro vai na bilheteria, pede um bilhete unitário, paga o valor de R$ 4,00 o atendente gera um bilhete em papel com um QR Code, tendo o passageiro que seguir até a catraca específica e realizar a leitura do código, liberando a catraca e acessando a plataforma?

    O bilhete é de papel? Ele fica com a pessoa? Pode ser descartado após o uso?

Deixe uma resposta