Mercedes-Benz vai abrir Programa de Demissão Voluntária para contornar a crise

Ônibus da Mercedes Benz. Queda de vendas do segmento de pesados faz montadora criar novo PDV

Fabricante de ônibus e caminhões não deve renovar participação no PPE

ADAMO BAZANI

A Mercedes-Benz deve iniciar a partir do dia 1º de junho um novo PDV – Programa de Demissão Voluntária que vai durar até o dia 8 de julho na principal planta da marca no País, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista.

A fabricante de veículos de grande porte não deve renovar a participação no PPE- Programa de Proteção ao Emprego, medida emergencial criada pela gestão Dilma Rousseff para tentar contornar a crise econômica e o desemprego que, no mês de abril, atingiu 11 milhões de brasileiros.

Pelo PPE, há redução de jornada de trabalho e de salários, sendo que metade do que foi reduzido do salário dos trabalhadores é paga com recursos do FGTS – Fundo de Garantia por Tempo de Serviço.  O PPE também garante estabilidade enquanto durar. No caso dos trabalhadores da Mercedes-Benz, esta estabilidade acaba em julho.

A empresa diz que em São Bernardo do Campo há um excedente de aproximadamente dois mil trabalhadores e o principal motivo disso é a retração nas vendas de ônibus e caminhões por causa da desaceleração econômica do país.

O PDV deve garantir algumas vantagens aos trabalhadores, no entanto, o valor máximo será de RE$ 115 mil por funcionário, dependendo do tempo de serviço na empresa.

A montadora também deve oferecer convênio médico até dezembro de 2016 para quem aderir ao PDV.

1 comentário em Mercedes-Benz vai abrir Programa de Demissão Voluntária para contornar a crise

  1. Infelizmente o trabalhador esta pagando pelo que não causou, os demitidos vão comer o pão que o diabo amassou enquanto os empresários vão continuar a viver suas vidas cheias de ostentações.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: