Pesquisa internacional revela que 86% das mulheres brasileiras disseram ter sofrido assédio no transporte público

Palmas foi uma das cidades a ter um ônibus para mulheres, que começou a operar em março de 2015. Fotógrafo: Júnior Suzuki

De acordo com levantamento, 8% delas foram estupradas em locais públicos

ADAMO BAZANI

Pesquisa divulgada nesta sexta-feira, 20 de maio de 2016, pela ActionAid, organização internacional pela igualdade e combate à pobreza, mostra que 86% das mulheres brasileiras disseram que já sofreram algum tipo de assédio no transporte público, incluindo estações, paradas de ônibus, terminais, trens, metrô e ônibus.

O número de respostas é igual da Tailândia, onde 86% das mulheres entrevistadas também falaram ter sido vítimas de algum tipo de assédio nos transportes. Na Índia, este número é de 79% e na Inglaterra, de 75%.

O levantamento ouviu no primeiro trimestre, 2500 mulheres com 16 anos ou mais e foi feito Instituto YouGov na Inglaterra, Brasil, Tailândia e Índia.

No Brasil, foram ouvidas 503 mulheres de todas as regiões numa proporção que seguiu o perfil da população feminina brasileira do censo populacional do IBGE.

Segundo a pesquisa, 77% das brasileiras que disseram ter sido alvo de assédio informaram que o assobio é a forma mais comum de abordagem. Depois vieram: olhares insistentes 74%, comentários de cunho sexual 57% e xingamentos  39%.

Além disso, 48% afirmaram que foram seguidas nas ruas, 44% tiveram os corpos tocados, 37% disseram que homens se exibiram para elas e 8% foram estupradas em espaços públicos.

O assédio a mulheres no transporte público tem sido um desafio para gerenciadoras e operadoras dos serviços de mobilidade urbana que afirmam que, em parceria com as forças de segurança, como polícias e guardas civis, fazem campanhas de conscientização e também de estímulo a denúncias.

As gerenciadoras e operadoras também afirmaram reforçar a segurança, principalmente em terminais estações. Em diversos sistemas, foram testados de carros/vagões de trens e de metrô ou mesmo a implantação ônibus exclusivos para mulheres nos horários de pico.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Pesquisa internacional revela que 86% das mulheres brasileiras disseram ter sofrido assédio no transporte público

  1. É simples resolver isso..colocar mais onibus nas linhas para que os passageiros não vão apertados como lata de sardinhas…..aí vai reduzir consideravelmente esses numeros

Deixe uma resposta para Marcos Paulo Cancelar resposta