Mortes nas marginais caem 32,8%, de acordo com a CET

CET diz que redução de velocidade contribuiu para os resultados

Levantamento compara os anos de 2014 e 2015

ADAMO BAZANI

A Prefeitura de São Paulo divulgou na manhã desta terça-feira, 10 de maio de 2016, novos dados sobre o número de acidentes com mortes na capital paulista entre 2014 e 2015.

Os números globais foram divulgados em março e agora a prefeitura traz o detalhamento de alguns algumas vias.

De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego, nas marginais Tietê e Pinheiros houve uma redução de 32,8% no número de mortes passando de 73 para 49 óbitos.

Em toda a capital, o número de mortes de trânsito teve queda de 20,6% entre 2014, quando morreram 1249 pessoas no trânsito, e 2015 quando o número de óbitos chegou a 992.

Ainda de acordo com a nova versão do levantamento da CET, a maior queda ocorreu na Avenida Sapopemba

Em nota a prefeitura diz que as medidas como a redução de velocidade contribuíram para os resultados:

As ações implantadas pela Prefeitura de São Paulo, por meio do Programa de Proteção à Vida (PPV), colaboram para que a cidade se aproxime da meta da capital para a Década de Segurança Viária da ONU, de 6 mortes a 100 mil habitantes até 2020. Em dezembro do ano passado, esse índice foi de 8,26 por 100 mil habilitantes, uma queda na série histórica. Em dezembro de 2014, o índice era de 10,47.

Em todo o Brasil, o índice é de 23,40. No Estado de São Paulo, é de 17,40 e, na Região Metropolitana de São Paulo, de 19,40 mortes por 100 mil habitantes.

O Programa de Proteção à Vida foi iniciado em 2013, no começo da atual gestão, e busca a redução de acidentes e atropelamentos na cidade ampliando uma série de ações para segurança de todos os agentes do trânsito, especialmente os pedestres.

 A iniciativa inclui várias frentes, como o CET no Seu Bairro, a implantação de Áreas 40, da Frente Segura (bolsões de parada junto aos semáforos para motociclistas e bicicletas), das faixas de pedestres diagonais em cruzamentos de grande movimento e da redução de velocidade máxima para o padrão de 50 km/h nas vias arteriais.

 Também foram revitalizados os semáforos de 4.645 cruzamentos na cidade. Com isso, pretende-se melhorar a segurança dos usuários do sistema viário, buscando a convivência pacífica entre todos.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Mortes nas marginais caem 32,8%, de acordo com a CET

  1. Transformar vítimas em simples estatísticas não é o suficiente. É preciso analisar o perfil de cada acidente, as causas, os envolvidos, os horários de cada ocorrência, enfim, é preciso se debruçar sobre cada um deles para perceber a dinâmica e planejar como evitar os próximos. No caso das marginais Tietê e Pinheiros não é utopia dizer que o índice de atropelamentos pode chegar a 0,0% entre os acidentes registrados.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: