Donisete Braga é alvo de manifestação na Câmara por causa de transporte coletivo em Mauá

Ônibus usados da antiga Viação Estrela de Mauá operam pela Suzantur. Contrato exigia todos veículos zero quilômetro em 2014.Veículos não são velhos, mas pelo contrato assinado pela Suzantur não deveriam estar operando. Contrato exige também que empresa seja responsável pela bilhetagem eletrônica, mas operação de vendas de créditos é ainda bancada pelo poder público

Parlamentares de oposição querem informações básicas sobre contrato com a Suzantur. Empresa de ônibus não cumpriu renovação de frotas e prefeitura ainda banca bilhetagem eletrônica

ADAMO BAZANI

Os transportes coletivos de Mauá, na Grande São Paulo, não têm agradado à população, apesar das promessas da administração do prefeito Donisete Braga e da única empresa operadora na cidade Suzantur.

Nesta terça-feira, 3 de maio de 2016, a visita de Donisete Braga à Câmara Municipal para entregar projeto de lei referente à LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2017 foi marcada por manifestações da população e de vereadores de oposição. Todos se diziam descontentes com os transportes por ônibus na cidade.

São vários os problemas com os ônibus em Mauá que têm revoltado a população.

DESCUMPRIMENTO DE FROTA NOVA:

A empresa concessionária Suzantur ainda mantém veículos fabricados entre os anos de 2011 e 2012, contrariando o contrato de licitação assinado pela empresa em 2014, no qual, no item 28 do capítulo sétimo, exigia na ocasião que todos os 248 ônibus colocados na cidade fossem zero quilômetro.

Alguns veículos de três eixos foram comprados em 2012 pela Viação Estrela de Mauá, criada por Baltazar José de Sousa e que teve como presidente David Barioni Neto. Após disputa judicial foi impedida de operar na cidade.  Estes ônibus da Estrela de Mauá hoje circulam pela Suzantur.

Os veículos não são velhos, mas pelo contrato assinado pela Suzantur não deveriam estar operando, havendo descumprimento.

PREFEITURA AINDA PAGA BILHETAGEM ELETRÔNICA:

Não bastasse isso, há outro descumprimento de cláusula contratual. O anexo 13 do edital de licitação obriga a vencedora, no caso a Suzantur, a assumir toda a bilhetagem eletrônica, operando a venda de créditos ou terceirizando com os próprios recursos.

No entanto, a Prefeitura de Mauá ainda continua pagando a empresa PK9 Tecnologia e Serviços Ltda com os recursos de impostos da população e do sistema.

Entre 2015 e 2016, a prefeitura realizou quatro pagamentos que somam R$ 4,08 milhões, sendo dois pagamentos que totalizaram R$ 3,12 milhões em 2015 e dois que somaram R$ 960 mil em 2016.

A licitação e o contrato foram em 2014. A prefeitura em nota informou que prorrogou o contrato com a PK 9 porque a concessionária Suzantur ainda se adapta ao novo sistema de transportes da cidade e que a situação será pelas resolvida “em breve”, sem estipular data.

VALE TRANSPORTE MAIS CARO:

Desde o dia 12 de fevereiro de 2016, quem paga Vale-Transporte para os funcionários desembolsa um valor maior para cumprir o direito trabalhista.

O prefeito de Mauá, Donisete Braga, autorizou o reajuste do Vale-Transporte de R$ 3,80 para R$ 4,50.

O valor para quem paga em dinheiro ou nas outras modalidades do cartão SIM continua R$ 3,80.

O reajuste causou descontentamento na população e principalmente em quem gera empregos no município.

A prefeitura alega que a medida é para bancar as integrações e outras gratuidades e que o empregador tem como ressarcir o valor pelo Imposto de Renda. No entanto, comerciantes e donos de pequenas indústrias na cidade dizem que isso não é possível no caso de declaração pelo lucro presumido. Além disso, diante da crise econômica, alegam que as atividades comerciais e industriais precisam de dinheiro em caixa, não havendo tempo para esperar eventuais ressarcimentos pelo Imposto de Renda.

ABRIGOS E FALTA DE ÔNIBUS ARTICULADOS:

De acordo com os manifestantes, a concessionária Suzantur e a prefeitura também não cumpriram a promessa de substituição de 300 abrigos de ônibus no primeiro ano de concessão.

Além disso, os passageiros reclamam da ausência de ônibus articulados, de 18 metros e capacidade para 121 pessoas.

Atualmente os veículos de maior porte são com três eixos, de 15 metros de comprimento, que possuem capacidade para 97 passageiros.

A concessionária alega que ampliou a frota havendo assim mais ofertas de lugares nas linhas.

VAIAS E PROTESTOS:

Durante discurso que fazia na Câmara, Donisete Braga foi interrompido várias vezes pelos manifestantes e vaiado.

A população pedia o fim da limitação do cartão especial de transporte e a entrega das planilhas do transporte público na cidade, que é solicitada à prefeitura desde o início da concessão com a Suzantur.

A oposição conseguiu que fosse aprovado um requerimento exigindo que administração Donisete Braga forneça todas as informações aos parlamentares sobre o sistema operado pela Suzantur.

O pedido foi protocolado pelo vereador Manoel Lopes e traz ao menos 13 questões sobre as operações e frota da Suzantur.

Outro parlamentar de oposição, Rogério Santana, criou um projeto para abrir o que chama de “caixa-preta do sistema de transportes de Mauá”, mas as comissões de Justiça e de Finanças, presidida por vereadores do PT, mesmo partido de Donisete Braga, votaram contra a proposta, impossibilitando que o texto fosse discutido em plenário.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: