Comissão da Câmara aprova volta dos ônibus executivos em São Paulo

Micro-ônibus executivo da CMTC. Serviços podem ajudar na mobilidade ao convencer as pessoas que dificilmente usariam as linhas convencionais a deixar o carro em casa.

De acordo com projeto de lei, serviço deve ser operado por micro-ônibus

ADAMO BAZANI

Se depender da Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal de São Paulo, os serviços de ônibus executivos na capital paulista podem voltar.

A comissão deu parecer favorável, nesta quarta-feira, 27 de abril de 2016, ao projeto de lei 270/2014 do vereador Marcos Belizário que propõe a volta deste sistema de transportes.

Os ônibus executivos em São Paulo começaram a circular nos anos de 1970 e os serviços foram extintos no final dos anos de 1990.

A operação inicial foi pela CMTC – Companhia Municipal de Transportes Coletivos, privatizada em 1993, mas houve também a operação por empresas de ônibus particulares que também prestavam serviços nas linhas convencionais.

A justificativa para a extinção dos serviços foi a baixa demanda. No entanto, por redes sociais e também nos pontos de ônibus, muita gente se mostra favorável à volta dos executivos.

Os serviços são apontados como uma forma de estimular as pessoas que dificilmente usariam as linhas convencionais, trens ou metrô, para que deixem o carro em casa.

Pelo projeto de lei, os veículos seriam micro-ônibus com apenas uma porta para entrada e saída e não poderiam circular com passageiros em pé.

A tarifa seria superior a dos ônibus convencionais e a remuneração será calculada pelo assento disponibilizado.

Também há a previsão de os ônibus operarem somente em horários restritos, como, por exemplo, nas horas de pico da manhã e do final da tarde.

Confira o parecer da comissão abaixo. O projeto deve depois das últimas tramitações na Câmara seguir para sanção ou veto do prefeito Fernando Haddad.

PARECER Nº 600/2016 DA COMISSÃO DE FINANÇAS E ORÇAMENTO SOBRE O PROJETO DE LEI N° 270/2014 O presente projeto de lei, de autoria do nobre Vereador Marcos Belizário, visa criar o serviço de Ônibus Executivo no Sistema de Transporte Urbano Coletivo. Esse serviço possuiria as seguintes características: I – operação com Micro-ônibus, dotados de uma única porta, usada como entrada e saída concomitantemente; II – os passageiros viajarão sentados, não sendo permitidos passageiros em pé durante a viagem; III – os veículos deverão ser dotados de assento reclinável e ar-condicionado; IV – tarifa superior, a ser estabelecida pelo Poder Público; V – forma de remuneração do Operador calculada por assento disponibilizado. Pelo art. 3º da propositura, o Poder Público poderá determinar limite de veículos para operarem nesse serviço de acordo com o percentual do total de veículos em operação na mesma linha, nos termos da letra “a”, inc. II do art. 2º da Lei nº 13.241, de 12 de dezembro de 2001. O art. 4º estabelece que o serviço de Ônibus Executivo poderá funcionar em horários limitados, conforme regulamentação. Quanto ao aspecto financeiro, nada há a opor à propositura, visto que as despesas de sua execução serão cobertas por dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário. Favorável, portanto, é o parecer. Sala da Comissão de Finanças e Orçamento em 27/04/2016. Jonas Camisa Nova – DEM – Presidente Ricardo Nunes – PMDB – Relator Abou Anni – PV Adolfo Quintas – PSD Atílio Francisco – PTB Aurélio Nomura – PSDB Edir Sales – PSD Jair Tatto – PT Ota – PSB

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

7 comentários em Comissão da Câmara aprova volta dos ônibus executivos em São Paulo

  1. Câmara seguir para sanção ou veto do prefeito Fernando Haddad.
    Caso Haddad não sancione…não terá meu voto!

  2. A pior burrice (e essa não foi do Haddad) foi a restrição da circulação dos fretados, isso não só não adiantou de nada como ainda piorou o trânsito pois quem se dispunha a pagar caro por esse serviço de forma alguma migraria para o sistema comum…

  3. Eu acho que deveria ter outra porta no lado esquerdo para circular também no corredor de ônibus se estes micro-ônibus circular na mesma faixa dos veículos de passeio não terá demanda .

  4. Iniciativa válida, toda opção de transporte coletivo deve ser estimulada, inclusive os fretados.

  5. Amigos, boa noite.

    A CMTC teve seus meritos, mas sua epoca acabou.

    Ela imovava.

    Tragam ideias inovadoras e esquecam o “modus operandi” da CMTC agora um carro a cada 21/21, bem como as ex inovacoes da CMTC, INOVEM.

    Coloquem micros que proporcionem mais facil e dinamico acesso aos trilhos e ao inves de faixa de pedestre elevada na alca de saida da Ponte do Jagure, facam passarelas.

    E outro dia vi mais dessas faixas de pedestres elevadas emoutras alcas de pontes, um absurdo, afinal passarelas ja foram inventadas.

    Deixem a CMTC descancar em paz e tragam solucoes inovadoras.

    Por falarnisso o proximo BRT de Sampa que se tudo dercerto sera inaugurado em 2099, tera ralao nos pontos para o passageiro nao tomar banho em dias de chuva ou continuara igual aos da CMTC.

    Pelo visto em breve relancarao o Monika I.

    Att,

    Paulo Gil

    • Élio J. B. Camargo // 2 de maio de 2016 às 22:34 // Responder

      Paulo, as faixas elevadas nas alças, além dos pedestres, servem também aos ciclistas, idosos, deficientes, cadeirantes e carrinho de bebês.
      Porque investir em passarelas que exigem mais esforço dos pedestres e não servem para todos. Não se preocupe com o fluxo dos veículos, pois eles podem repartir suas vias, pois já andam mais parados que rodando.

  6. Élio J. B. Camargo // 2 de maio de 2016 às 22:45 // Responder

    Estes ônibus, os fretados, escolares e veículos (incluindo os táxis) com mais de 3 ocupantes deveriam ter uma faixa preferencial nas avenidas com 3 ou mais faixas, sendo a da esquerda uma exclusiva para o transporte público coletivo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: