Vale-Transporte em Ribeirão Pires sobe para R$ 4,10.

Além do Vale-Transporte mais caro, há outras semelhanças no modelo de transportes de Mauá e Ribeirão Pires: reclamações dos passageiros, linhas curtas e monopólio de empresa de ônibus. Viações dizem que investem em qualidade

Mauá também já tinha subido tarifa paga pelos empregadores para R$ 4,50. Há semelhanças entre os dois casos

ADAMO BAZANI

Seguindo o exemplo da vizinha Mauá, no ABC Paulista, a cidade de Ribeirão Pires promoveu aumento no valor das passagens de ônibus pagas por meio de Vale-Transporte.

A partir do início da próxima semana, as empresas que, conforme a lei, pagam o deslocamento dos funcionários vão ter de desembolsar R$ 4,10 para cada passagem. A tarifa de R$ 3,50 continua apenas para quem paga com dinheiro ou cartão modalidade comum.

A medida gerou reações negativas por parte de quem gera empregos na cidade como a ACIARP – Associação Comercial Industrial e Agrícola de Ribeirão Pires, que estima ampliação nos custos trabalhistas. O aumento da tarifa é de 17%

O prefeito de Ribeirão Pires, Saulo Benevides (PMDB), segue a mesma cartilha do chefe do executivo de Mauá, Donisete Braga (PT).

No dia 12 de fevereiro de 2016, Braga aumentou a tarifa do Vale-Transporte para R$ 4,50. A passagem paga pela modalidade comum e com dinheiro continua em R$ 3,80.

As justificativas de ambos os prefeitos são bem semelhantes: manter o equilíbrio financeiro do sistema de transportes, por causa de integrações e gratuidades.

“A Prefeitura da Estância Turística de Ribeirão Pires esclarece que, segundo o decreto nº 6.611, de 11 de abril de 2016, será fixado novo valor para tarifa de transporte coletivo urbano de passageiros no município apenas para o Vale-Transporte, sem qualquer repasse para o usuário do sistema de condução coletiva. O serviço pago apenas por empresas passa a custar R$ 4,10… A medida tem como objetivo repor os custos da operação do serviço sem onerar o usuário do transporte público. Por isso a mudança será apenas para as empresas que pagam vale-transporte para os funcionários” – informa a prefeitura de Ribeirão Pires, em nota.

Outras características também deixam os transportes nas duas cidades semelhantes: A maioria das linhas é curta, há reclamações sobre a qualidade dos serviços e o sistema de cada é operado por meio de um modelo de monopólio: em Ribeirão Pires somente a empresa Rigras presta serviços e, em Mauá, todo sistema municipal é operado pela Suzantur.

Segundo a Rigras, os sistemas de transportes das duas cidades são diferentes e que a empresa faz investimentos constantes em qualidade,  acompanhando e respondendo todas as demandas dos passageiros, obtendo bons índices de satisfação.

Confira a nota completa :

A respeito de matéria publicada na data de hoje (15) pelo blog Ponto de Ônibus que cita o reajuste do Vale Transporte em Ribeirão Pires que sobe para R$ 4,10 e que destaca entre os fatos, reclamações de passageiros, linhas curtas e monopólio de empresa de ônibus, esclarecemos:

A Rigras planeja e proporciona aos seus clientes mobilidade com segurança e  pontualidade, atendimento qualificado através de treinamentos, veículos frequentemente renovados com inovações tecnológicas e sendo uma das primeiras empresas da região a garantir uma frota 100% com acessibilidade. Diante de tais fatos expomos alguns de nossos indicadores de qualidade, pois temos a premissa de que o cliente é a razão de existir de qualquer empresa. Seguem:

  1. 99,99% de cumprimento das viagens mensais programadas (média mensal);
  2. Índice de reclamação/KM – 1 a cada 150.000 KMs. rodados;
  3. Índice de reclamação/Viagem – 1 a cada 7.142 viagens realizadas.

Sobre a questão do monopólio, esclarecemos que um serviço de qualidade pode ser prestado apenas por uma operadora de transporte de passageiros municipais, ao contrário de termos duas ou mais prestando serviços que não atendam com qualidade a população de uma cidade. Podemos citar tantas outras cidades que possuem apenas uma operadora e tem serviço de qualidade. Tomemos como exemplo a cidade de São Bernardo do Campo, onde a empresa SBC Trans se destacou em reportagens do blog Ponto de Ônibus.

Quanto ao reajuste tarifário, destaco que Ribeirão Pires foi uma das poucas cidades de nossa região a não ter aumento nos valores de tarifa no início deste ano, sendo mantida a R$ 3,50.

Mesmo estando fora de questão, destaco o contínuo apoio a projetos sociais,  como o “Transporte & Cidadania”, voltado a crianças de 4 a 6 anos, ao “Dia de fazer a diferença” entre tantos outros.

Para que não pairem dúvidas acerca do que aqui foi relatado, nos dispusemos a apresentar todos os processos e controles de qualidade de nossa empresa.”

Já a Suzantur, de Mauá, diz que também realiza investimentos, que renovou a frota e atualizou linhas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

2 comentários em Vale-Transporte em Ribeirão Pires sobe para R$ 4,10.

  1. É um absurdo mesmo…esses prefeitos sempre espantando o emprego da região do abc…….linhas de 20 minutos de duração……estamos ferrados mesmo com esses politicos…

  2. Vanderlei Martins // 25 de Abril de 2016 às 14:45 // Responder

    Realmente, pagar R$ 4,10 é muito caro. Moro em SBC e trabalho na Francisco monteiro, o custo do transporte irá custar R$ 20,30 por dia.
    Com os custos de vale transporte, tanto de Mauá como de Ribeirão, as empresas vão pensar duas vezes em admitir funcionários de outras cidades.
    Sr. Prefeito, quantas pessoas de Ribeirão trabalham em outros municípios?
    Ribeirão Pires tem vagas para todas?
    Não chegam as taxações do Governo Federal, Estadual e agora Municipal, todos querem tirar dinheiro de alguma forma das empresas, só que elas não aguentam mais, principalmente nos dias de hoje.
    As empresas continuam fechando e demitindo, mas mesmo assim continuam sendo taxada. O Município não está preocupado com os cidadãos.
    Ao contribuinte basta torcer para não perder o emprego.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: