Em campanha salarial, motoristas e cobradores de ônibus entregam pauta de reivindicações para empresários

Publicado em: 5 de abril de 2016

Presidente do Sindmotoristas, Valdevan Noventa (terno escuro), entrega reivindicações ao presidente do SPUrbanuss, Francisco Christovam (terno claro).  Foto Divulgação

Presidente do Sindmotoristas, Valdevan Noventa (terno escuro), entrega reivindicações ao presidente do SPUrbanuss, Francisco Christovam (terno claro). Foto Divulgação

Categoria quer aumento real de 5%. Serão também entregues pautas para as ex-cooperativas e para a Secretaria de Transportes

ADAMO BAZANI

O Sindmotoristas – Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo, que representa os motoristas e cobradores de ônibus municipais da capital paulista, entregou nesta terça-feira 5 de abril de 2016,  pauta de reivindicações trabalhistas para o SPUrbanuss – Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo.

Entre as principais reivindicações estão aumento salarial real de 5% mais o maior índice de inflação acumulada.

Além disso, os trabalhadores querem R$ 2000 de PLR – Participação nos Lucros e Resultados e vale-refeição de R$ 25.

Como as negociações estão em curso, o sindicato dos motoristas não fala ainda em paralisações.

O SPUrbanuss disse ao Blog Ponto de Ônibus que vai estudar todas as reivindicações, mas ainda não tem um posicionamento já que recebeu oficialmente as propostas hoje.

O sindicato dos trabalhadores ainda vai apresentar propostas para as empresas de ônibus que se originaram de cooperativas de transportes e para o poder público.

Além das reivindicações que estão na pauta entregue ao SPUrbanuss, um dos aspectos que devem ser abordados especificamente em relação às ex-cooperativas é a manutenção dos postos de cobradores.

É justamente nessas novas empresas que mais tem havido cortes destes profissionais. Segundo a entidade, de 32 mil cobradores, em torno de 13 mil foram demitidos no período de um ano. Ainda de acordo com o Sindmotoristas, ao menos 13 empresas que atuam no subsistema local da capital paulista trabalham sem os cobradores.

Para o poder público, um dos pontos principais que devem ser discutidos é em relação ao Resam – Regime de Sanções e Multas da SPTrans.

O sindicato quer que as multas de trânsito sejam desconsideradas do Resam. Segundo a entidade, o motorista não pode ser penalizado várias vezes por uma única classe infração

Adamo Bazani jornalista, especializado em transportes

Comentários

  1. J disse:

    Só espero q os coitados dos cobradores sejam poupados pro nosso bem , o deles e dos motoristas …”dupla função” é f…mesmo ! Ninguém merece !

    1. edilson disse:

      motoristas de coletivos devem se limitarem apenas em dirigir, ao contrário, podem ocasionar acidentes. Os usuários merecem segurança e respeito, e o mínimo.

  2. Ricardo disse:

    Nossa , esse vl até q ta bom porque eu trabalho na Move -SP o nosso é VC ( vale coxinha ) isso no valor de $ 182:00 reais quando não tem feriado porque no feriado eles descontam , fora q não pagam hora extra , e entre outras , só Jesus na nossa vida ..

Deixe uma resposta