Valores superfaturados de micro-ônibus faziam parte de esquema de “Máfia das Lotações”, diz polícia

Publicado em: 17 de março de 2016

são vicente

Segundo Polícia, além de comprar numa única concessionária, cooperados pagavam maiores valores nos veículos.

De acordo com investigações da Polícia Civil de São Vicente, veículos usados tinham preços quase iguais de ônibus novos

ADAMO BAZANI

Com A Tribuna e Diário do Litoral

Relatório da DIG – Delegacia de Investigações Gerais da Polícia Civil aponta que para manter financeiramente o suposto esquema da “Máfia” de Lotações em São Vicente, no Litoral Paulista, e ampliar os ganhos da organização criminosa, segundo os policiais, os micro-ônibus que deveriam ser comprados pelos cooperados que atuam nos transportes locais eram vendidos por valores superfaturados.

A polícia aponta a participação de João Alves Neto, um dos sócios da Apta Caminhões e Ônibus Volkswagen, representante da marca localizada em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.

Ele foi preso na operação que foi realizada no último dia 8 de março de 2016. Também foram presos dois representantes da revendedora durante a Operação Matim Afonso: Ricardo Hannuch e Ricardo Monteiro Siqueira.

Não bastasse a obrigatoriedade de os cooperados terem de comprar os veículos na revendedora Volkswagen de São Bernardo, a polícia mostra que os preços eram superfaturados. Modelos do ano 2003 eram vendidos por valores de modelos 2015 0km, segundo o dossiê da DIG que foi confirmado na denúncia do Gaeco, o grupo do Ministério Público que investiga o crime organizado.

As defesas negam participação dos acusados no suposto esquema, bem como favorecimentos.

A juíza Fernanda Menna Pinto Peres, da 3ª Vara criminal de São Vicente, decretou a prisão preventiva de 12 pessoas que foram presas temporariamente por suspeita de envolvimento entre, eles o vereador de São Vicente, Eronaldo José de Oliveira, o Ferrugem, o diretor da Secretaria de Transportes, Leandro Cofane Gonçalves, e o secretário de Assuntos Jurídicos de São Vicente, Sinval Braz de Moraes.

Também teve prisão preventiva decretada o empresário André Martins de Lissandre.

Lissandre já foi presidente do Consórcio Leste 4, na Capital Paulista, que reunia as empresas Himalaia Transportes S.A., Empresa de Transportes Coletivos Novo Horizonte S.A. e Happy Play Tour Passagens, Turismo e Transportes de Passageiros Ltda, além das cooperativas Aliança Paulistana e Transcooper. As companhias foram descredenciadas pela prefeitura de São Paulo após o promotor Saad Mazloum, da Justiça e Cidadania, ter movido ação pública que apontou enriquecimento ilícito por parte de sócios das cooperativas. O Gaeco, grupo do Ministério Público que investiga o crime organizado, abriu em 2014 investigação para apurar o envolvimento do Consórcio Leste 4 com a facção criminosa. Relembre: http://wp.me/p18rvS-3SP

Outro preso suspeito que teve prisão preventiva decretada é Levi da Silva, citado no relatório da DIG – Delegacia de Investigações Gerais, como membro de “alto escalão” de uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios do Estado de São Paulo. Levi foi apontado como um dos chefes do suposto esquema e tem passagens pela polícia por roubo, corrupção de menor, tráfico de drogas e associação para o tráfico. Levi comandaria as ações da diretoria da Cooperativa de Trabalho e Serviços de Transporte Alternativo de São Vicente – Cooperlotação para atingir todos os seus objetivos ilícitos.

A relação completa dos suspeitos com prisão preventiva decretada é:

Levi da Silva

André Martins de Lissandre

Eronaldo José de Oliveira

Leandro Cofane Gonçalves

Sinval Braz de Moraes

João Alves Neto

Ricardo Hannuch

Ricardo Monteiro Siqueira

Anderson da Silva

Cleber Carpanedo Silva

Renato Nicolussi Lima

Sérgio Paulo do Couto Xavier

Jorge Braga de Mesquita

A polícia civil também investiga se o prefeito de São Vicente, Luis Cláudio Bili, também foi favorecido pelo esquema.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Rubens Segura disse:

    Como parece com o esquema de São Paulo e ninguém conseguiu fazer nada, por que sera hein???Muitos interesses obscuros!!!

  2. Jackson de sousa leite disse:

    muitos interesses muito obscuros envolvidos e olha que até secretário e vereadores estão no meio e são os cabeças….

Deixe uma resposta