Justiça vai leiloar mansão de Valmir Amaral por causa de falência da Rápido Brasília

Publicado em: 9 de março de 2016

onibus

Ônibus da Rápido Brasília. Patrimônio de ex Senador será leiloado para pagar dívidas da empresa que foi à falência.

Imóvel é avaliado em R$ 15 milhões. Dinheiro vai ser usado para pagar impostos e direitos trabalhistas atrasados

ADAMO BAZANI

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios – TJDST determinou que fosse levada a leilão uma mansão avaliada em R$ 15 milhões de propriedade do ex-senador Valmir Amaral, presidente do Grupo Amaral.

O imóvel que fica no Lago Sul, em Brasília, vai ser leiloado na próxima segunda-feira, 14 de março, no processo de falência da empresa Rápido Brasília Transporte e Turismo.

O dinheiro obtido no leilão vai ser usado para pagar impostos atrasados ou mesmo sonegados, de acordo com a justiça, e também direitos trabalhistas.

Levantamento do Ministério Público acatado pelo Tribunal mostra que só em relação ao IPTU – Imposto Predial e Territorial Urbano, o empresário teria sonegado em torno de R$ 472 mil desde 2007. O valor não contabiliza juros e correção monetária.

No processo, consta como um dos credores a Petrobras Distribuidora.

Também vai ser leiloado o ônibus da Rápido Brasília, Comil Svelto – Mercedes-Benz OF-1722M,  ano 2007 – placa JHM 8715, pelo valor mínimo de R$ 60 mil.

Valmir Amaral, que foi suplente do ex-senador Luiz Estevão, preso no processo que julga os desvios de dinheiro na construção do Fórum Trabalhista de São Paulo, é considerado peça-chave na CPI dos Transportes do Distrito Federal.

Valmir não conseguiu continuar no sistema e criticou a decisão pelo leilão.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios investiga um suposto esquema de fraude na licitação do sistema do Distrito Federal para beneficiar a família de Constantino de Oliveira e a família Gulin por meio da atuação do advogado Sacha Reck.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta