Justiça vai leiloar mansão de Valmir Amaral por causa de falência da Rápido Brasília

Ônibus da Rápido Brasília. Patrimônio de ex Senador será leiloado para pagar dívidas da empresa que foi à falência.

Imóvel é avaliado em R$ 15 milhões. Dinheiro vai ser usado para pagar impostos e direitos trabalhistas atrasados

ADAMO BAZANI

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios – TJDST determinou que fosse levada a leilão uma mansão avaliada em R$ 15 milhões de propriedade do ex-senador Valmir Amaral, presidente do Grupo Amaral.

O imóvel que fica no Lago Sul, em Brasília, vai ser leiloado na próxima segunda-feira, 14 de março, no processo de falência da empresa Rápido Brasília Transporte e Turismo.

O dinheiro obtido no leilão vai ser usado para pagar impostos atrasados ou mesmo sonegados, de acordo com a justiça, e também direitos trabalhistas.

Levantamento do Ministério Público acatado pelo Tribunal mostra que só em relação ao IPTU – Imposto Predial e Territorial Urbano, o empresário teria sonegado em torno de R$ 472 mil desde 2007. O valor não contabiliza juros e correção monetária.

No processo, consta como um dos credores a Petrobras Distribuidora.

Também vai ser leiloado o ônibus da Rápido Brasília, Comil Svelto – Mercedes-Benz OF-1722M,  ano 2007 – placa JHM 8715, pelo valor mínimo de R$ 60 mil.

Valmir Amaral, que foi suplente do ex-senador Luiz Estevão, preso no processo que julga os desvios de dinheiro na construção do Fórum Trabalhista de São Paulo, é considerado peça-chave na CPI dos Transportes do Distrito Federal.

Valmir não conseguiu continuar no sistema e criticou a decisão pelo leilão.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios investiga um suposto esquema de fraude na licitação do sistema do Distrito Federal para beneficiar a família de Constantino de Oliveira e a família Gulin por meio da atuação do advogado Sacha Reck.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta