Volvo faz a primeira venda de sistema completo de ônibus elétricos

Publicado em: 29 de fevereiro de 2016

Volvo

Ônibus híbrido com carregador externo permite menor uso do motor a combustão em comparação com os elétricos-híbridos sem fonte externa de carregamento, garante Volvo.

Pacote de solução foi para cidade a de Namur, no sul da Bélgica

ADAMO BAZANI

A Volvo anunciou que realizou a primeira venda de um sistema completo para operação de ônibus elétricos.

De acordo com a companhia, o departamento público de transporte e a empresa operadora TEC, em Namur, no sul da Bélgica, compraram 11 ônibus elétricos –híbridos e dois carregadores de bateria, fornecidos pela parceira da montadora, ABB. De acordo com a Volvo o pacote é uma solução, turn-key, ou seja, pronta para usar.

A Volvo assumiu a responsabilidade pela manutenção dos veículos, de suas baterias, bem como pelas estações de carga e os carregadores a um custo fixo mensal.

Os ônibus elétricos devem começar a operar no final deste ano.

Em nota, o presidente da Volvo Buses, Håkan Agnevall, diz que sistemas de ônibus elétricos trazem vantagens ambientais econômicas para as cidades.

“Sistemas de ônibus elétricos são uma solução custo-eficientes para as cidades reduzirem os problemas de má qualidade do ar e de poluição sonora. Junto com a ABB, a Volvo tem uma oferta completa e competitiva para cidades em todo o mundo que queiram passar para sistemas de transporte público sustentáveis”

O CEO do Grupo TEC, Vincent Peremans, conta que a operadora quer melhorar o desempenho energético da frota, segundo nota enviada pela Volvo.

“A cada ano, o Grupo TEC transporta mais de 250 milhões de passageiros. Nossa responsabilidade social está em desenvolver soluções de transporte que sejam sustentáveis. Isto está sendo feito, em especial, ao melhorar o desempenho energético de nossa frota de veículos, e o Volvo 7900 Elétrico Híbrido atende nossas ambições. Graças à sua operação silenciosa, a qualidade de vida dos habitantes de Namur será melhorada”

FUNCIONAMENTO DO ÔNIBUS:

O modelo de ônibus Volvo 7900 é híbrido elétrico e ainda tem os carregadores na linha.

De acordo com explicação da Volvo, esta característica permite que o motor a diesel seja bem menor que motor a combustão usado em ônibus elétricos híbridos que não tenham fontes externas de carregamento como o modelo. Assim, o propulsor com combustível é bem menos usado e serve apenas para aumentar a economia e a flexibilidade. Acompanhe:

O Volvo 7900 Elétrico Híbrido opera silenciosamente e livre de emissões usando energia renovável por cerca de sete quilômetros. As baterias de carga rápida carregam em poucos minutos nos pontos finais, além de aproveitar a energia gerada nas frenagens do veículo. Como complemento, os ônibus também dispõem de um pequeno motor diesel, aumentando sua autonomia e flexibilidade.

                                                    

Em comparação com os ônibus convencionais, os elétricos híbridos fornecem ganhos ambientais consideráveis.

 Volvo 7900 Elétrico Híbrido

  • Movido a eletricidade em até 70 % de seu tempo de operação.
  • Silencioso e livre de emissões ao operar em eletricidade.
  • 75–90 % menos emissões de dióxido de carbono1 em comparação com o ônibus diesel convencional, dependendo do combustível usado.
  • Equipado com motor elétrico, baterias e pequeno motor diesel.
  • As baterias são recarregadas nos pontos finais em poucos minutos.

 1 – Valores estimados para linha urbana com 10 quilômetros, em comparação com ônibus diesel Euro 6.

 Carregadores ABB

  • Fácil de integrar nas linhas de ônibus existentes (pantógrafo invertido permite o uso de interface de baixo peso e baixo custo posicionada no teto do ônibus)
  • Projeto modular oferecendo potência de carga de 150 kW, 300 kW ou 450 kW
  • A gama comprovada de características de conectividade da ABB oferece o máximo em disponibilidade do sistema e do veículo além de reação rápida em atendimento.
  • Baseada na IEC 61851-23, a norma internacional para carga rápida para baterias de veículos elétricos garantindo a existência dos sistemas de segurança apropriados, projeto elétrico em conformidade com a regulamentação pertinente, e arquitetura de sistemas e princípios de operação com suporte para a comunidade automotiva mais ampla no futuro.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Em países que pensam em mobilidade e não são tão corruptos, e as leis funcionam, isso funciona e tem vontade de implantar com certeza.

Deixe uma resposta