Vendas de veículos elétricos devem chegar a 41 milhões de unidades em 2040

Frota elétrica pode ser mais barata que a combustão em alguns países nos próximos dez anos, diz estudo

Ainda de acordo com o estudo, em alguns países até 2025, a adoção de frota elétrica será mais econômica do que a aquisição e operação de veículos a gasolina ou a óleo diesel

ADAMO BAZANI

Com agências internacionais

Estudo divulgado nesta quinta-feira, 25 de fevereiro de 2015, pela BNEF – Bloomberg New Energy Finance projeta que em 2040, as vendas de veículos elétricos em todo mundo deve bater a marca de 41 milhões de unidades, contando carros, utilitários e ônibus.

A frota maior de veículos elétricos em 2040 deve poupar um consumo global de 13 milhões de barris por dia de petróleo.

A projeção tem como base os atuais números de mercado, os investimentos públicos e privados na área e também o custo das baterias que, de acordo com a consultoria, tem caído significativamente nos últimos cinco anos.

De acordo com o estudo, o custo da bateria de íon de lítio, por exemplo, teve uma queda de 65% desde 2010. Em 2015, por exemplo, ficou em média US$ 350 por kilowatt-hora (kWh) de energia armazenada. O estudo prevê que em 2030, este custo fique em torno de US$ 120 por kWh de energia armazenada.

A pesquisa sugere assim que, a partir de 2025, carros e ônibus elétricos passarão a ser opções econômicas com custos de aquisição e operação iguais ou inferiores aos veículos movidos com gasolina e óleo diesel. No entanto, esta projeção só deve se tonar realidade em países que incentivam a adoção de frotas de veículos elétricos, tanto para o transporte individual como principalmente para o transporte público.

Para países como o Brasil, o volume de vendas de veículos elétricos deve ser bem mais modesto. O setor encarou como positiva a medida do governo de isentar, desde outubro de 2015, a taxa de importação, que era de 35%. No entanto, o mercado diz que ideal é o incentivo a produção local.

Os dados levam em conta também um cenário no qual o preço do barril do petróleo venha a se recuperar e alcance US$ 70 em 2040.

A BNEF – Bloomberg New Energy Finance, que desenvolve análises sobre políticas de mudanças de matrizes energéticas, tem escritórios em São Paulo, Londres, Nova York, Pequim, Cidade do Cabo, Hong Kong,  Munique,  Nova Délhi, San Francisco, Cingapura Sydney, Tóquio, Washington DC e Zurique.

Mas o que vai acontecer com a geração de energia com este número de 41 milhões de veículos elétricos em 2040?

De acordo com as projeções, esta frota vai demandar um consumo extra de 1 900 kWh de eletricidade, que correspondem a 8% da demanda global de energia registrada em 2015.

A empresa de análise também informou que em 2015, foram vendidas globalmente 462 mil unidades de veículos elétricos, 60% a mais que em 2014.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

2 comentários em Vendas de veículos elétricos devem chegar a 41 milhões de unidades em 2040

  1. Adamo, estive em Piracicaba-SP em 24/02/2016 e la verifiquei que os ônibus não tem cobrador e funciona perfeitamente, hoje o cobrador na cidade de SP não passa de um passageiro de luxo.

    • Em SP infelizmente deixaram o sindicato tomar conta,e qualquer coisa inventa protesto,e outra o que deixa os cobradores vivos e a incompetência de vários prefeitos em anos que passaram em SP e não seguiram nenhum projeto de BRT,piada.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: