Frota de ônibus com tecnologia avança a passos lentos na cidade de São Paulo

Ônibus com tecnologia ainda integram minoria da frota paulistana. Situação deve mudar após licitação. Foto: Sidnei Santos

Cidade possui 14 mil 752 ônibus. Veículos com ar-condicionado chegam a 602 unidades, com wi-fi são 362. São Paulo ainda não tem todos os ônibus acessíveis

ADAMO BAZANI

A SPTrans – São Paulo Transporte, gerenciadora do sistema da capital paulista, divulgou nesta quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016, balanço sobre os itens de tecnologia e conforto na frota e na prestação de serviços.

De acordo com a gerenciadora, dos 14 mil 752 ônibus que fazem parte da frota da capital paulista, 362 veículos possuem serviço de conexão à internet gratuita – wi-fi.  Já 602 veículos do sistema municipal têm ar-condicionado, 164 ônibus contam com tomadas USB e 2 mil 381 ônibus articulados, superarticulados e biarticulados possuem câmeras que permitem que o motorista visualize por uma tela no painel o embarque e o desembarque dos passageiros.

Os números de veículos com essas inovações tecnológicas são modestos em relação a toda a frota de ônibus municipais. Situação que a prefeitura promete que vai ser mudada após a realização do processo de licitação dos transportes na cidade, que está barrada pelo TCM – Tribunal de Contas do Município desde novembro de 2015. O órgão apresentou dúvidas quanto ao modelo de licitação, remuneração das empresas, como deve ser implantado o novo CCO – Centro de Controle Operacional, o tempo de contrato de 20 anos renováveis por mais 20, entre outros pontos, inclusive o custeio dos avanços tecnológicos.

CIDADE AINDA NÃO POSSUI TODOS OS ÔNIBUS ACESSÍVEIS:

Nem toda a frota de ônibus em São Paulo é acessível. Dos 14 mil 752 ônibus da cidade, 12 mil 618 possuem rampas e piso baixo ou elevadores para cadeira de rodas.

O decreto presidencial n º 5296/2004 determinou no ano em que foi publicado que as cidades teriam dez anos para que todos os veículos de Transportes Coletivos fossem acessíveis. Portanto, a acessibilidade total nos transportes, incluindo os ônibus, deveria ocorrer em 2014.

A NTU – Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos diz que a lei prevê a substituição gradual das frotas de acordo com o vencimento dos contratos de prestação de serviços. Em média, no país estes contratos são de dez anos. Os ônibus com equipamentos de acessibilidade começaram a sair obrigatoriamente de fábrica a partir de 2008. Antes, rampas e elevadores eram opcionais ou atendiam apenas às legislações locais. Assim, de acordo com argumento da NTU, as cidades, em sua maioria, só teriam frota total de ônibus acessíveis somente a partir de 2018.

A discussão, entretanto, não anula o fato de que ainda hoje muitas pessoas com algum tipo de deficiência encontram dificuldades para andar no transporte público. A cidade de São Paulo, de acordo com os números divulgados nesta quarta-feira pela SPTrans, não possui todos os ônibus dotados de equipamentos de acessibilidade, apesar de os veículos deste tipo serem maioria na frota.

BILHETAGEM ELETRÔNICA:

O balanço da SPTrans também cita a bilhetagem eletrônica.

De acordo com a gerenciadora, dos 14 mil 752 ônibus de São Paulo, 12 mil 377 possuem novos tipos de leitores de Bilhete Único que permitem o desconto dos créditos de forma mais rápida e com tecnologias que possuem mais capacidade de armazenamento e transmissão de dados que coíbem possíveis fraudes nos usos da gratuidade. Uma das novidades é o reconhecimento facial que compara as fotos tiradas pelo equipamento do validador com os cadastros da SPTrans.

Segundo a gerenciadora, um mesmo cartão do Bilhete Único pode ser recarregado por várias funcionalidades diferentes, como comum, estudante, vale-transporte, mensal, semanal, diário.

A SPTrans ainda informou que o total de passageiros do sistema que pagam em dinheiro é de 7%.

LUZES DE NATAL O ANO TODO:

A SPTrans confirmou também que está em andamento o projeto para que os ônibus da Rede Noturna, que circulam da meia noite às quatro da manhã, tenham iluminação com luzes de LED em toda a lataria, como os enfeites natalinos nos veículos da cidade.

O objetivo seria melhorar a visualização dos veículos e a sensação de segurança.

A gerenciadora destacou também a disponibilização de aplicativos para celulares gratuitos pelos quais o passageiro pode acompanhar em tempo real a posição dos ônibus, os horários, a previsão de chegada cada ponto e detalhes das linhas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

16 comentários em Frota de ônibus com tecnologia avança a passos lentos na cidade de São Paulo

  1. Nem a obrigatoriedade de motor traseiro para facilitar a vida dos motoristas,( e não é luxo não é saúde), eles exigem, com anuência do sindicato dos motoristas.

  2. …e enquanto o Transporte Coletivo Pré-Histórico da Cidade de São Paulo no Comando do Crime Organizado (PT) anda à Passos Lentos, o Povão que é a Vítima Principal está Pagando um Preço que Não Corresponde à Qualidade Baixa do Transporte Público. Temos Eleições Municipais neste ano, portanto, Mais Inteligência nas Urnas, porque o Brasileiro Precisa Ter uma que Funcione pelo Menos 1 Vez na Vida, Não é Mesmo ?! ;)

  3. E a licitação?? o TCM sentou em cima! não tem prazos ele pode ficar bloqueando indefinidamente???
    Fica difícil uma renovação de frota pelas empresa, sem que tenham um contrato!

  4. Está muito ruim…linhas 6451-10 e 6450-10 retiraram ônibus com ar condicionado alegando que são pequenos para tais linhas, colocam os ônibus com ar aos domingos…péssimo!!!!
    Unica maneira para que os donos de automóveis deixem os carros em casa e troquem por ônibus é com a volta dos ônibus EXECUTIVOS (ex.: Linha Pça da república/ centro empresarial)….

    • Boa noite.

      Isso não é uma solução, uma vez que os onibus circulam em corredores do lado esquerdo. Imagine o caos que iria virar. Antigamente o transito já era ruim mesmo com as tais linhas especiais. Pode parecer zueira, mas o Alckimin está certo: só o metro e a CPTM são capazes de reduzir esses problemas. Infelizmente a corrupção é muito maior que a vontade de melhorar isso.

  5. E os ônibus movidos a combustíveis limpos e renováveis? Como fica a Lei de Mudanças Climáticas? A população de São Paulo morre mais de doenças decorrentes da poluição que de acidentes de trânsito.

    • Devíamos começar pelos carros a utilizarem combustíveis limpos e renováveis! que em proporção de pessoas transportadas poluem muito mais! e não obrigar o transporte coletivo a arcar com esse custo, tendo em vista que com o transporte publico caro acaba incentivando o uso de carros particulares, que geram muito mais poluição!

  6. Adamo, A renovação das frotas de ônibus em SP estão a passos de tartaruga, a maioria dos ônibus em SP tem entre 7 e 10 anos, aquela historia de 100 articulados ao mês até completar 2500 já furou. prefeito mentiroso, perdeu meu voto.

    • Pedro, não esqueça que em 2006 e 2007 houve uma renovação muito grande por parte de todas as empresas, por isso tantos carros com idade avançada. A ideia é renovar, mas como sem uma licitação e garantias de que a operação continuará a mesma? Mesmo parecendo cartas marcadas, foi assim que tantas empresas faliram no início do Interligado: investiram e depois não conseguiram manter as próprias pernas. E desculpe, mas o Haddad tentou várias vezes a licitação e o TCM embargou tudo! Pelo menos de má vontade não podemos acusar o prefeito.

  7. Os “ônibus tecnológicos” (sinceramente prefiro buscar outro termo, menos onibus hi-tech ou similar), ao que vejo, no final acabam como “protótipos” neste primeiro momento enquanto não se troca a frota em definitivo. Bom para saber as tecnologias utilizadas, a durabilidade, manutenção, etc.

    Eu nunca achei o ônibus com telas LCD, apenas ônibus com itinerários em LED normal (como os letreiros comuns). Sinceramente, estou ficando implicado com o uso destes leds. A visibilidade é razoavel a distância, mas o brilho fica ruim para quem algum tipo de problema ocular (acho – deveria ser feito uma pesquisa, a propósito)./

    • Boa tarde.

      Amigo, reclama-se que de noite não se enxerga o que está excrito nas placas de PCV, agora reclama-se dos Led’s que iluminam demais. Melhor não ter informação de itinerário, então..

      Eu também não vi os itinerários de LCD, mas devem estar rodando por ai, sabe lá onde

  8. Antonio Idevano dos Santos // 18 de fevereiro de 2016 às 15:59 // Responder

    Esta é a parte meio vazia do copo, é inegável que para uma cidade que não tem trilhos para dimensão da demanda, o serviço de ônibus melhorou, e muito. Pode melhorar ? Creio que sim.

  9. Isso e normal,sem sair a licitação e com crise as empresas freiam mesmo,vamos ver se o TCM politiqueiro libera a licitação.

    • Estamos em ano de eleição, ou seja, liberar uma licitação nesse momento é utopia. No fim das contas, se elege um novo prefeito, ele libera a licitação e recebe os créditos

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: