São Paulo recebe mais 2,5 quilômetros de faixas para ônibus a partir desta segunda-feira

onibus

Ônibus em São Paulo. Faixas também são usadas por táxis.

Maior trecho é na região do Ipiranga. Total de faixas na cidade de São Paulo chega a 485 quilômetros

ADAMO BAZANI

A partir desta segunda-feira, 18 de janeiro de 2016, a cidade de São Paulo passa a contar com mais 2,5 quilômetros de faixas para ônibus. Também podem trafegar por esses espaços desde o dia 13 de setembro 2014, táxis com passageiros.

O maior trecho implantado nesta segunda-feira é na região do Ipiranga, com dois quilômetros. Outras áreas da zona sul da capital paulista também devem receber os espaços para ônibus.

De acordo com a CET – Companhia de Engenharia de Tráfego e com a SPTrans, que gerencia os transportes na capital paulista, por esses espaços das novas faixas passam diariamente 150 mil passageiros de ônibus municipais.

Os horários de funcionamento variam de acordo com os trechos:

– Rua Lino Coutinho – 2 quilômetros: faixa à direita, sentido Centro, entre as ruas Greenfeld e dos Patriotas. Funcionamento de segunda a sexta-feira das 6h às 9h. Pelas vias, no trecho desta implantação, circulam 08 linhas de ônibus, com frequência média de 46 ônibus/hora, transportando 82 mil passageiros em média por dia útil.

– Avenida Fuad Lutfalla – 300 metros: faixa à esquerda, sentido Centro, entre as ruas Tumiaru e Rio Verde. Funcionamento integral, como corredores de ônibus. Pelas vias, no trecho desta implantação, circulam 03 linhas de ônibus, com frequência média de 30 ônibus/hora, transportando 33 mil passageiros em média por dia útil.

Rua Conde de Porto Alegre- 200 metros: faixa à direita, sentido Centro, entre a Rua Domingos Lopes e Avenida dos Bandeirantes. Funcionamento de segunda a sexta-feira das 6h às 22h, e aos sábados das 6h às 14 h. Pelas vias, no trecho desta implantação, circulam 04 linhas de ônibus, com frequência média de 28 ônibus/hora, transportando 35 mil passageiros em média por dia útil.

As multas vão começar a ser aplicadas nestes trechos a partir do dia 1º de fevereiro. De acordo com a atualização do Código de Trânsito Brasileiro – CTB, transitar em faixa ou corredor para ônibus é uma infração gravíssima com sete pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 191,54.

Com esses novos trechos de faixas, a cidade passa a ter a partir desta segunda-feira, 485 quilômetros desse tipo de espaço para o transporte público. Antes de 2013, a capital paulista tinha 90 quilômetros de faixas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes.

4 comentários em São Paulo recebe mais 2,5 quilômetros de faixas para ônibus a partir desta segunda-feira

  1. Essa faixa na Rua Lino Coutinho é uma palhaçada. Pois a mesma é praticamente uma rua morta na maior parte de seu trecho. Agora fiscalização na Rua Silva Bueno que é bom nada… É só passar por ela no período da tarde que veram que só tem carros estacionados na faixa de ônibus e não tem Cet e nem Sptrans para multar…

  2. Antonio Idevano dos Santos // 18 de Janeiro de 2016 às 13:17 // Responder

    Mesma coisa da Avenida Rio das Pedras, Dezenove de Janeiro e Conselheiro Carrão, parece que as autoridades concluiram como verdade que a vida do o usuário de ônibus em São Paulo só funciona no começo da manhã e no final da tarde, um coletivo para se deslocar em um trecho de cinco quilômetros neste percurso que descrevi leva entre vinte e cinco e trinta minutos na maioria dos dias, tempo muito parecido com o que faço caminhando, já me queixei ao prefeito em três oportunidades, inclusive elogiei o que foi feito na Avenida Mateo Bei, que realmente foi priorizado a mobilidade da maioria, resumo da ópera pífia, o tempo que o usuário ganha na Mateo Bei, perde com juros e correção nas avenidas seguintes, Rio das Pedras, Dezenove de Janeiro e Conselheiro Carrão.

  3. Pintar faixas nas avenidas é fácil, agora quero ver construir corredores de ônibus, porque isso sim resolve o problema de fato. Quantos que ele construiu mesmo? Pra quê né, solução meia boca sempre é mais barato não?

    • Raphael, boa noite.

      Claro que BRT e melhor, mas a PMSP nao deve ter dinheiro para construcao e desapropriacoes e nao espaco fisico livre, por isso nao sai corredor.

      Eu dei esta sugestao de faixas ha anos aqui no Blog (corredor a la Paulo Gil) faixa branca, tachao e sinalizacao., afinal quemnao tem cao caca com gato.

      Entendo que as faixas do buzao nao sao ideais, mas ajudou bastante e ainda ganhou um premio internacional.

      Mais vale uma faixa de buzao meia boca do que Aerotrem abandonado e inacabado.

      E pelo jeito que as coisas estao nao teremos nem verbas para comprar tinta para repintar e manter as faixas atuais.

      Att,

      Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: