Greve de ônibus em Curitiba continua nesta quarta feira de forma parcial

Ônibus em Curitiba. Greve deve continuar em algumas empresas.

Leblon estende linha para minimizar efeitos da greve. Araucária deve voltar e Sindimoc promete frota mínima.

ADAMO BAZANI

A greve parcial de motoristas e cobradores de ônibus de Curitiba e de parte da região metropolitana deve continuar pelo menos nas primeiras horas desta quarta-feira, 13 de janeiro de 2016.

Foi realizada uma reunião de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho nesta terça-feira na qual o Sindimoc – Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana informou que os trabalhadores só vão voltar ao trabalho na medida em que as empresas forem realizando os pagamentos dos salários de dezembro, que deveriam ter sido depositados em 8 de janeiro.

A Urbs – Urbanização de Curitiba S.A., durante a reunião, informou que fará um repasse emergencial de R$ 3,5 milhões para as empresas de ônibus para quitar os salários.

O Setransp – Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana informou que as empresas fazem esforços para pagar os salários atrasados, no entanto, os empresários disseram pelo sindicato que os R$ 3,5 milhões não serão suficientes para pagar tudo o que se deve aos motoristas e cobradores de ônibus. Assim o dinheiro deve ser usado para pagar parte dos atrasos. Segundo as empresas ao todo seriam necessários R$ 4,5 milhões.

As companhias de ônibus propõem pagar a diferença até sexta feira dia 15 de janeiro, o que não foi bem recebido pelos motoristas e cobradores de ônibus.

As empresas alegam estar em situação difícil pelo que consideram defasagem na tarifa técnica, que é o valor que recebem por passageiro transportado. Hoje a tarifa técnica é de R$ 3,27 e a paga pelo passageiro nas catracas é de R$ 3,30. É a primeira vez desde que foi criada em 2010 que a tarifa técnica é menor que a das catracas. As empresas pleiteavam já em fevereiro de 2015,  R$ 3,40 de tarifa técnica.

LINHA ESPECIAL:

Se a maioria das empresas urbanas da capital, Curitiba, ainda enfrenta problemas, no caso das empresas metropolitanas a situação é diferente em relação à operação. Estas viações, mesmo alegando dificuldades financeiras, realizaram os pagamentos e vão continuar operando normalmente. Algumas, inclusive, terão esquema especial para minimizar os efeitos da greve. A Leblon Transporte de Passageiros, cujas linhas têm origem em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana, informou que vai estender uma linha que sai da cidade, passa pelo Terminal Pinheirinho e vai, excepcionalmente, até o Shopping Água Verde, na região central de Curitiba. A medida foi adotada nesta terça-feira e foi bem recebida pelos passageiros.

FROTA MÍNIMA:

O Sindimoc se comprometeu na reunião que vai tentar fazer com que os motoristas e cobradores cumpram a determinação de frota mínima de 50% dos ônibus nos horários de pico das 5h30 às 9h30 e das 16h45 às 19h30. Nos demais horários, a frota deve ser de 30%.

Neste primeiro dia de greve, terça-feira, a frota mínima não foi obedecida.

ARAUCÁRIA PAGA E VAI VOLTAR AO NORMAL:

A empresa Araucária fez os depósitos dos trabalhadores nesta terça-feira, de acordo com o Sindimoc. Assim, os serviços devem ser normais na quarta-feira.

As demais empresas de ônibus devem ter ainda problemas de operação. Confira abaixo as empresas que vão operar e as empresas que não devem prestar serviços integralmente:

EMPRESAS DE ÔNIBUS CUJOS DEPÓSITOS ESTÃO COM OS SALÁRIOS DE DEZEMBRO PENDENTES – DEVEM CONTINUAR PARADAS:

Redentor

Cidade Sorriso

Glória

CCD

Marechal – Matriz

Tamandaré – Filial

São José

EMPRESAS DE ÔNIBUS QUE PAGARAM OS SALÁRIOS DE DEZEMBRO – VÃO OPERAR:

Leblon

Nobel

Expresso Azul – Filial

Mercês

Castelo Branco

Colombo

Viação do Sul

Graciosa

Piraquara

Tindiquera

Marambi

Santo Antônio – Matriz e Filial

São Braz

Tamandaré – Matriz

Campo Largo

Araucária – Matriz

Araucária – Filial

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: