Greve de ônibus em Curitiba e região metropolitana pode ser deflagrada na terça-feira, 12 de janeiro

Motoristas e cobradores de ônibus fizeram protesto no centro de Curitiba. Foto – Sindimoc

Motoristas e cobradores paralisaram atividades em protesto na tarde desta sexta

ADAMO BAZANI

Passageiros de ônibus de Curitiba e região metropolitana podem enfrentar na próxima semana mais uma greve de motoristas e cobradores.

Nesta sexta-feira, 8 de janeiro de 2016, funcionários do sistema de transportes fizeram uma paralisação na região central de Curitiba. Eles alegam que algumas empresas de ônibus não realizaram os depósitos dos salários referentes ao mês de dezembro. A categoria também reclama de atraso nos benefícios.

Por causa destes atrasos, no ano passado, a população sofreu com paralisações gerais ou isoladas por empresas.

De acordo com o Sindimoc, que é o sindicato que representa os motoristas e cobradores de ônibus, já foi entregue a Urbs – Urbanização de Curitiba S.A., gerenciadora dos transportes, e ao Setransp, que é o sindicato que reúne as empresas de ônibus da capital e região metropolitana, o indicativo de greve. Segundo o sindicato dos trabalhadores, se não houver regularização até segunda-feira desta situação, na terça-feira, dia 12 de janeiro de 2016, pode haver greve.

De acordo com Anderson Teixeira, presidente do Sindimoc, devem ser paralisados os serviços das empresas que não efetuaram os pagamentos. Ainda segundo o sindicalista, aproximadamente 70% das viações estão com atrasos.

As empresas de ônibus de Curitiba e região metropolitana alegam prejuízos financeiros com defasagem da tarifa técnica, que é o que realmente recebem por passageiros transportados, e também sentem ainda os efeitos da desintegração financeira entre as linhas metropolitanas e municipais de Curitiba, que ocorreu por incompatibilidades políticas entre a prefeitura de Curitiba e o governo do Estado do Paraná.

As empresas também ressaltaram que fazem esforços para honrar os compromissos dos trabalhadores.

Em nota, o Setransp, sindicato das viações, admite que empresas de ônibus estão em situação financeira difícil

Sobre a paralisação promovida pelo Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) na Praça Rui Barbosa, por atraso no pagamento de salários, o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) informa que algumas empresas estão com dificuldades para honrar integralmente a folha salarial de seus colaboradores. Esse problema, que vem sendo discutido com os órgãos competentes desde o ano passado, é consequência de uma tarifa técnica que não cobre os custos de operação do sistema de transporte.

O Setransp informa, ainda, que as empresas estão fazendo todos os esforços para realizar o pagamento o mais breve possível e evitar transtornos à população.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta