Vendas de ônibus e caminhões têm queda acumulada de 45,53% em 2015

Ônibus urbanos. Quedas nas vendas refletem situação de outros setores

Resultado mostra a situação difícil da economia. Indústria de veículos prevê continuação de queda em 2016, mas em patamar menor

ADAMO BAZANI

As vendas de ônibus e caminhões são consideradas não apenas indicadores da indústria automobilística, mas também do nível de investimento de outros setores, isso porque esses veículos são bens de capital ou bens intermediários, ou seja, diversos setores dependem de ônibus e caminhões para concretizar seus negócios ou mesmo transportarem a mão-de-obra, indicando também o nível de emprego.

Nesse quesito, o número divulgado nesta quarta-feira, 06 de janeiro de 2016, pela Fenabrave – Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores mostra que 2015 foi o ano de poucos investimentos e pior, de retração.

De acordo com o balanço, as vendas de ônibus e caminhões em 2015 tiveram queda acumulada de 45,53%, com 92 mil 110 veículos pesados emplacados.

A queda nas vendas de caminhões foi a maior, chegando a 47,62%. Somando os diversos segmentos, neste ano foram emplacados 71 mil 787 caminhões.

Já as vendas de ônibus acumularam perdas de 36,57% em 2015 em relação a 2014.

No ano passado, foram emplacados 20 mil 323 ônibus, entre rodoviários, urbanos e micro-ônibus.

No caso do transporte coletivo de passageiros, também a indefinição das licitações de diversos sistemas e também as condições das finanças públicas, sejam federais, estaduais ou municipais, isso porque os investimentos feitos pelo poder público em obras de mobilidade interferem diretamente nas vendas de ônibus.

Os maiores custos dos financiamentos também explicam a queda nas vendas de veículos pesados. Sobre as marcas de ônibus, a Mercedes-Benz continua liderando e se afastou da segunda colocada a Volkswagen.

Confira os dados:

1º) Mercedes-Benz: 11 mil 262 ônibus, 55,42% de participação no mercado.

2º) Volkswagen Caminhões e Ônibus/MAN: 3 mil 692 ônibus, 18,17% de participação no mercado.

3º) Marcopolo (miniônibus Volare): 2 mil 273 ônibus, 11,18% de participação no mercado.

4º) Iveco: 1 mil 255 ônibus, 6,18% de participação no mercado.

5º) Volvo: 865 ônibus, 4,26% de participação no mercado.

6º) Agrale: 518 ônibus, 2,55% de participação no mercado.

7º) Scania: 392 ônibus, 1,93% de participação no mercado.

8º) International (plataformas/motores): 40 unidades, 0,2% de participação no mercado.

9º) BYD (ônibus elétricos): 09 veículos feitos na China e emplacados no Brasil, 0,04% de participação no mercado.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: