Passagem de ônibus aumenta em Campinas e terá o mesmo valor da Capital novamente

Ônibus em Campinas. Passagem terá reajuste no início do ano

Valor será o mesmo do que vai ser aplicado na capital paulista, R$ 3,80

ADAMO BAZANI

A partir do dia 3 de janeiro de 2016, os passageiros de ônibus municipais em Campinas, no interior de São Paulo, vão pagar tarifa mais cara.

A passagem unitária sobe de R$ 3,50 para R$ 3,80, aumento de 8,57% e é o mesmo valor que será aplicado nos ônibus que servem a cidade de São Paulo, no metrô e dos trens da CPTM que ligam a capital à região metropolitana.

Quem tiver créditos no Bilhete Único continua pagando o valor antigo até que se esgotem.

Veja o decreto:

DECRETO Nº 18.965 DE 29 DE DEZEMBRO DE 2015 ESTABELECE NOVAS TARIFAS PARA O SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DO MUNICÍPIO DE CAMPINAS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito do Município de Campinas, no uso de suas atribuições legais e, CONSIDERANDO as disposições da Lei Municipal nº 11.263, de 05 de junho de 2002, em especial os artigos 2º, 18, 24 e 26; CONSIDERANDO as disposições dos Decretos nº 15.464 e 15.465, de 10 de maio de 2006, e nº 17.889, de 28 de fevereiro de 2013; CONSIDERANDO os estudos e planilhas elaborados pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas S/A – EMDEC, em conformidade com o Decreto nº 15.278, de 06 de outubro de 2005, os Contratos de Concessão do Serviço Convencional e os Termos de Permissão do Serviço Alternativo; e CONSIDERANDO a necessidade de manutenção do equilíbrio econômico e fi nanceiro do sistema de transporte público coletivo; DECRETA: Art. 1º A partir de 03 de janeiro de 2016, o valor da tarifa para utilização do Sistema de Transporte Público Coletivo de Passageiros do Município de Campinas, também denominado InterCamp, nas modalidades Serviço Convencional e Serviço Alternativo, passa a ser de R$ 3,80 (três reais e oitenta centavos). Art. 2º Os valores de tarifas a serem descontados dos valores monetários dos cartões eletrônicos de Bilhete Único, do Sistema de Bilhetagem Eletrônica, adquiridos a partir da data defi nida no artigo 1º deste Decreto, são os seguintes: I – Cartão Bilhete Único – Comum: R$ 3,80 (três reais e oitenta centavos); II – Cartão Bilhete Único – Vale Transporte: R$ 3,80 (três reais e oitenta centavos); III – Cartão Especial: R$ 3,80 (três reais e oitenta centavos); IV – Cartão Bilhete Único – Escolar: R$ 1,52 (um real e cinquenta e dois centavos); V – Cartão Bilhete Único – Universitário: R$ 1,90 (um real e noventa centavos). Parágrafo único. Para os valores monetários adquiridos em data anterior à estabelecida no artigo 1º deste Decreto deverão ser descontados os valores das tarifas vigentes na data de sua aquisição. Art. 3º A partir da data defi nida no artigo 1º deste Decreto, as tarifas para utilização da linha “Circular-Centro/Linhão da Saúde”, do Sistema Municipal de Transporte Pú- blico Coletivo de Passageiros, terão descontos quando o pagamento for realizado por meio do Bilhete Único, sendo debitados do cartão os seguintes valores: I – Cartão Bilhete Único – Comum: R$ 2,50 (dois reais e cinquenta centavos); II – Cartão Bilhete Único – Vale Transporte: R$ 2,50 (dois reais e cinquenta centavos); III – Cartão Bilhete Único – Escolar: R$ 1,00 (um real); IV – Cartão Bilhete Único – Universitário: R$ 1,25 (um real e vinte e cinco centavos). Parágrafo único. Para os demais meios de pagamento permanecem os valores estabelecidos nos artigos 1º e 2º deste Decreto. Art. 4º Para fi ns deste Decreto é considerada linha “Circular-Centro/Linhão da Saúde” aquela identifi cada com o número 502. Art. 5º Quando a linha “Circular-Centro/Linhão da Saúde” for utilizada em integração temporal, conforme defi nido no Decreto nº 15.465, de 10 de maio de 2006, para realização de uma viagem, deverão ser observadas as seguintes regras: I – integração de linha “Circular-Centro/Linhão da Saúde” com “Circular-Centro/ Linhão da Saúde”: nenhum outro valor deve ser descontado do Bilhete Único além daquele já descontado no início da viagem, que obedecerá aos valores estabelecidos no artigo 3º deste Decreto; II – integração de outra linha do sistema InterCamp com deslocamento para a linha “Circular-Centro/Linhão da Saúde”: nenhum outro valor deve ser descontado do Bilhete Único além daquele já descontado no início da viagem, que será o valor estabelecido no artigo 2º deste Decreto; III – integração de linha “Circular-Centro/Linhão da Saúde” com deslocamento para outra linha do sistema InterCamp: na linha “Circular-Centro/Linhão da Saúde” será descontado do Bilhete Único o valor estabelecido no artigo 3º deste Decreto, e na primeira integração com uma outra linha do sistema InterCamp será descontada a diferença em relação à tarifa estabelecida no artigo 2º deste Decreto. Parágrafo único. Em nenhuma situação de conjugação de integração entre as linhas do sistema InterCamp, no lapso de tempo de integração previsto no Decreto nº 17.889, de 28 de fevereiro de 2013, será descontado do Bilhete Único valores superiores àqueles defi nidos nos incisos do artigo 2º deste Decreto. Art. 6º Respeitadas as disposições do artigo 5º deste Decreto, todas as regras de integração temporal estabelecidas pelos Decretos nº 15.465/2006 e 17.889/2013 permanecem válidas, inclusive para integrações temporais envolvendo a linha “Circular– -Centro/Linhão da Saúde”. Art. 7º Os operadores do Sistema Municipal de Transporte Público Coletivo de Passageiros deverão afi xar, nos locais determinados pelos manuais de padronização visual dos veículos, informativos sobre o valor da passagem. Art. 8º Para os Bilhetes de Viagem permanecem válidas as disposições do Decreto 18.619, de 08 de janeiro de 2015. Art. 9º A Secretaria Municipal de Transportes deverá complementar as medidas aqui defi nidas, a fi m de avançar na modernização tecnológica e operacional, necessárias a proporcionar maior segurança aos usuários e operadores do Sistema de Transporte Público Coletivo de Passageiros do Município de Campinas. Art. 10º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. Art. 11º Ficam revogadas as disposições em contrário. Campinas, 29 de dezembro de 2015 JONAS DONIZETTE Prefeito Municipal MÁRIO ORLANDO GALVES DE CARVALHO Secretário de Assuntos Jurídicos CARLOS JOSÉ BARREIRO Secretário de Transportes Redigido e publicado na Secretaria Municipal de Chefi a de Gabinete do Prefeito. MICHEL ABRÃO FERREIRA Secretário Chefe de Gabinete do Prefeito

EM SÃO PAULO AUMENTO FOI DEFINIDO PARA O DIA 6:

A Prefeitura de São Paulo e Governo do Estado vão reajustar as tarifas de ônibus, metrô e trens no dia 9 de Janeiro de 2016 – sábado. As passagens vão passar dos atuais R$ 3,50 para R$ 3,80. Já integração entre ônibus, metrô e trem vai passar de R$ 5,45 para R$ 5,92.

O valor das modalidades mensal, semanal, diário do Bilhete Único e a tarifa do madrugador não tenham aumento.

Ônibus ou Trilhos

24 horas R$ 10,00

Semanal R$ 38,00

Mensal R$ 140,00

Integrado Ônibus e Trilhos

24 horas R$ 16,00

Semanal R$ 60,00

Mensal R$ 230,00

Trilhos (Metrô e CPTM)

Madrugador R$ 2,92

Da Hora R$ 2,92

O índice de reajuste é 8,57% , percentual menor que os 10,49% do acumulado da inflação, segundo o IPCA- Índice Nacional de Preços ao Consumidor- Amplo, desde o último reajuste em janeiro deste ano.

A Prefeitura de São Paulo deve manter a previsão de subsídios de R$ 1,9 bilhão no próximo ano para complementar os custos das empresas de ônibus.

As tarifas de ônibus intermunicipais gerenciados pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos também sobem, mas o valor depende da extensão das linhas e do tipo de serviço: comum ou seletivo.

Cidades da Grande São Paulo, como as que formam o ABC Paulista devem seguir a mesma data e os valores da capital.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: