Arquitetos internacionais elegem faixas de ônibus, ciclovias e Paulista aos domingos como “inspiradoras”

faixas de ônibus
Faixas de ônibus em São Paulo são elogiadas por arquitetos internacionais

Votação feita por membros do site ArchDaily diz que ações desafiam “sociedade conservadora”

ADAMO BAZANI

As ações de mobilidade na cidade de São Paulo têm provocado polêmica. Inicialmente foram com as faixas de ônibus que mexeram com parte da população que chegou a realizar até mesmo protestos. Hoje, de acordo com pesquisa da Rede Nossa São Paulo e outra do DataFolha, 90% dos paulistanos aprovam esse espaço para ônibus.

Depois foram as ciclovias que também dividem opiniões. Uma das ações mais recentes é a abertura da Avenida Paulista para pedestres aos domingos sendo fechada para carros. Moradores da região não concordam com a medida e dizem que atrapalha o fluxo de quem precisa ir até avenida, inclusive para hospitais.

No entanto, alguns especialistas internacionais fazem menções positivas às medidas de mobilidade em São Paulo.

Uma eleição envolvendo engenheiros e arquitetos de diversas partes do mundo pelo site ArchDaily trouxe menções positivas e aprovações às ações de mobilidade na cidade.

De acordo com o ArchDaily, 13 projetos em todo mundo foram considerados notáveis e provaram “ser de líderes neste ano”.

As faixas para ônibus e para as bicicletas foram consideradas “inovações até então inimagináveis” para uma cidade como São Paulo. Já Avenida Paulista para pedestres e ciclistas aos domingos foi considerada processo “projeto inspirador”

Segundo o texto, há uma resistência de parte da sociedade paulistana, considerada pelos especialistas que participaram da eleição, conservadora:

“mesmo sob pressão de uma sociedade conservadora, a atual gestão conseguiu impulsionar e ganhar reconhecimento da população em algumas de suas principais ações, como inserir uma rede de ciclovias que possibilitam o uso – até então inimaginável – de bicicletas, criar novas faixas exclusivas para ônibus, abrir a avenida Paulista – ícone da cidade – para que os pedestres possam ocupá-la durante todos os domingos, incentivar a arte e cultura urbana.”

A eleição faz menção positiva ao Plano Diretor apresentado em 2014.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes