Mercedes-Benz admite efeitos da crise, mas diz que participação no mercado de comerciais deve aumentar

Ônibus Mercedes-Benz. Empresa vai aumentar participação no mercado, mas segue a tendência de queda no número de veículos comercializados.

Comunicado da empresa divulgado nesta terça-feira mostra que vendas de veículos comerciais devem chegar a 33 mil unidades

ADAMO BAZANI

A Mercedes-Benz divulgou nesta terça-feira, 22 de dezembro de 2015, estimativa das vendas de veículos comerciais.

De acordo com a montadora alemã, cuja principal sede no Brasil é em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, devem ser vendidos neste ano 33 mil veículos comerciais da marca entre ônibus, caminhões, Sprinter e Vito.

Segundo a Mercedes, isso representa em torno de um terço do volume de 110 mil unidades comerciais vendidas no mercado.

Em nota, o presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO da América Latina, Philipp Schiemer, admite retração, mas faz projeções sobre a venda de ônibus, caminhões e comerciais leves. Segundo comunicado, a empresa deve aumentar a participação no mercado.

“Mesmo diante de um mercado altamente retraído este ano, devido a crise econômica no Pais, a Empresa projeta fechar 2015 com a comercialização de cerca de 18.000 caminhões (> 6 toneladas), 8.200 mil ônibus (>8 toneladas) e 6.800 veículos das linhas Sprinter e Vito. A Empresa alcançará 27% de participação no competitivo mercado de caminhões, cerca de 1 ponto percentual (pp) a mais ante os 26% de 2014. No segmento de ônibus, o market share será de 53,4% – próximo a 5 pp sobre os 48,8% do ano passado. Em relação aos comerciais leves (linha Sprinter e Vito), o percentual chegará a 24,7% – quase 3 pontos a mais ante os 22% do ano anterior.”

MARCA SEGUE TENDÊNCIA DE QUEDA NAS VENDAS:

Se o tom do comunicado da Mercedes-Benz é otimista, os números de emplacamentos de ônibus e caminhões da Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores mostram o ano de 2015 negativo.

De acordo com o levantamento, entre janeiro e novembro deste ano, os segmentos de ônibus e caminhões tiveram uma queda acumulada de 44,33%.

Já de acordo com levantamento da Anfavea – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, a queda nas vendas de ônibus e caminhões foi generalizada envolvendo todas as marcas quando são analisadas as unidades emplacadas.

No segmento de ônibus apenas a Iveco teve número positivo. A Mercedes-Benz emplacou de janeiro até novembro 7 mil 719 ônibus, o que representa queda de 34,1% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Houve queda também em todas as categorias de caminhões.

 Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: