Prefeitura de São Paulo cria curso para taxistas que inclui noções sobre circulação de ônibus

Prefeitura de São Paulo obriga taxistas a fazer curso para conseguir Condutax. Entre os temas das aulas está o relacionamento com transporte por ônibus . Foto: Adamo Bazani

No total, curso deve ter 28 horas de assuntos gerais e 18 horas de temas específicos sobre a capital paulista

ADAMO BAZANI

A prefeitura da capital criou pela portaria 183, de 17 de dezembro 2015, o Curso de Taxista do Município que passa a ser obrigatório para a obtenção do Condutax, que é o Cadastro Municipal de Condutores de Táxi.

Estão previstas 28 horas de aulas sobre assuntos gerais relacionados ao serviço de táxis e mais 18 horas com temas específicos da capital paulista, como faixas de ônibus e ciclovias na cidade, além do funcionamento SPTrans – São Paulo Transporte, CET – Companhia de Engenharia de Tráfego e dados estatísticos do sistema de gerenciamento de transportes públicos, acidentes e mortes no trânsito em São Paulo.

O curso será aplicado por entidades credenciadas, mas não foram definidos valores.

As normas entram em vigor no dia 1 º de janeiro de 2016. Os taxistas que atuarem no Táxi Preto, nova categoria criada pela prefeitura de São Paulo, também serão obrigados a fazer o curso, além de terem de cumprir outras normas de qualificação. Haverá ainda um curso especial obrigatório para os táxis adaptados para pessoas com deficiência.

A maior carga horária do curso será destinada a relações humanas, com temas como a imagem do taxista na sociedade, condições físicas e emocionais, segurança nos transportes dos usuários em geral, comportamento solidário no trânsito e atendimento às pessoas com dificuldade de locomoção. Já para direção defensiva, serão oito horas. Primeiros socorros terão duas horas. Estão contempladas noções de mecânica básica e elétrica básica e o relacionamento dos táxis com as bicicletas no trânsito e com transporte coletivo de passageiros,  com temas como faixa de ônibus, corredores exclusivos para ônibus e entendimento da dinâmica do transporte de massa.

Os taxistas terão de fazer provas no curso, não bastando frequentar as aulas. As salas só podem ter até 25 alunos.

Veja parte da portaria:

PORTARIA Nº 183/2015 DTP.GAB , DE 17 DE DEZEMBRO DE 2015 Institui o Curso de Taxista no Município de São Paulo e dá outras providências

CONSIDERANDO, as elaborações feitas nas Reuniões da Câmara Temática do Táxi do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte – CMTT, RESOLVE: Art. 1º Fica criado o Curso de Taxista para obtenção do CONDUTAX – Cadastro Municipal de Condutores de Táxi, contendo a grade curricular obrigatória para as instituições de ensino, qualificação e aprimoramento profissional de taxistas do Município de São Paulo. Art. 2º O Curso de Taxista do Município de São Paulo conterá a grade curricular obrigatória constante dos anexos I, II e III da presente Portaria. § 1º O Anexo I da Portaria 269/93 – DTP.GAB, fica complementado pelos anexos I, II e III da presente Portaria. § 2º O anexo II da Portaria 269/93 – DTP.GAB, fica acrescentado da grade curricular complementar, com o conteúdo obrigatório do anexo II e III, desta Portaria. § 3º O anexo III desta Portaria, orienta e normatiza as condições de higiene, conforto e segurança no veículo táxi e as condutas e posturas exigidas da profissão, que serão ministradas no curso de taxista, nos processos de aperfeiçoamento profissional e exigidos nas ações fiscalizatórias e vistorias, tornando-se obrigatória a todos os taxistas. § 4º Além do conteúdo do Curso de Taxista aqui fixado será exigido para a Categoria do Táxi Preto: I. O disposto no Decreto nº 56.489, de 08 de outubro de 2015; II. O disposto na Portaria nº 095/15 – SMT.GAB; III. Edital nº 001/15 – SMT.GAB; IV. A Portaria nº 111/15 – SMT. § 5º Para as categorias de táxi especial e luxo, além do previsto nesta Portaria, as entidades credenciadas deverão ministrar a grade curricular prevista na Portaria 269/93 – DTP.GAB. § 6º As entidades credenciadas fornecerão o Certificado de conclusão e aprovação no Curso de Taxista. Art. 3º É obrigatório para o Taxista que pretende inscreverse e credenciar-se junto à SPTrans para prestar o serviço de táxi em veículo acessível do Serviço ATENDE, a participação e aprovação no Curso Especial de Taxista para o Serviço ATENDE, que consta do anexo IV, da presente Portaria. Art. 4º As instituições interessadas em habilitar-se para realizar o presente Curso de Taxista deverão credenciar-se junto ao Departamento de Transportes Públicos – DTP, cumprindo as normas legais e regulamentares vigentes. Art. 5º A instituição de ensino credenciada deverá adotar método de avaliação final do participante, visando avaliar o aproveitamento sobre os conteúdos ministrados e constar do certificado de aprovação. Art. 6º A entidade credenciada deverá submeter previamente qualquer outro conteúdo do curso de taxista à aprovação do Departamento de Transportes Públicos – DTP. Art. 7º As normas fixadas nesta Portaria devem ser implementadas a partir de 01 de janeiro de 2016. Art. 8º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. ANEXO I – CURSO DE TAXISTA – GRADE CURRICULAR OBRIGATÓRIA 1. Objetivo do curso: O curso de taxista visa proporcionar a identificação do papel profissional, apresentar informações, conceitos e desenvolver habilidades necessárias para garantir um atendimento eficiente, seguro e de qualidade ao usuário. 2. Metodologia: O curso de taxista para os futuros motoristas de táxi será desenvolvido de forma modular, facilitando a operacionalização dos objetivos propostos em grupos de até 25 (vinte e cinco) motoristas, os quais terão 28 horas de módulos gerais, de âmbito nacional, e 18 horas de módulos específicos, destinados a tratar dos temas pertinentes à metrópole de São Paulo. 3. Avaliação: O curso de taxista contará com processo de avaliação para verificar o aproveitamento do processo de ensino-aprendizagem do conteúdo do curso

Adamo Bazani jornalista especializado em transportes

3 comentários em Prefeitura de São Paulo cria curso para taxistas que inclui noções sobre circulação de ônibus

  1. Amigos, boa noite;

    Legal, aprender é sempre bom.

    Mas também deve ser criado um curso para os ciclistas que querem trafegar
    nas ciclovias, ciclofaixas, ruas, avenidas, calçadas e faixas de pedestres.

    Não esquecendo de implantar as placas e o DPVAT-byke.

    Att,

    Paulo Gil

    • Também entendo que todos aqueles que usam carro, bicicleta, moto, skate, como meio de transporte, deveriam fazer o curso, assim como os taxistas, porque senão fica a impressão que só o motorista de taxi é o imprudente, e não é verdade.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: