Estudo do Cade diz que Uber não roubou passageiros de táxi

Uber não tirou passageiro de táxi e atendeu demanda reprimida. É o que diz Cade. Foto: Auto Monitor

Segundo o Conselho Administrativo de Defesa Econômica, aplicativo atende uma demanda reprimida

ADAMO BAZANI

O tão polêmico aplicativo Uber não tirou passageiros de táxis e sim atende a uma demanda reprimida no Brasil.

Pelo menos é o que diz um estudo do Departamento de Estudos Econômicos – DEE do CADE – Conselho Administrativo de Defesa Econômica, órgão oficial que apura as concorrências no país.

O estudo comparou o Uber com aplicativos oficiais de táxi como 99taxi e Easy Táxi nas cidades de São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Brasília. Foram analisadas também as realidades de Porto Alegre a Recife que não contavam com Uber quando o relatório foi elaborado.

Segundo a pesquisa do Cade, não houve uma redução nas corridas de táxis nas cidades em que o Uber atuava entre outubro de 2014 e maio de 2015, período do levantamento.

Assim, de acordo com o órgão, uma demanda reprimida que não usava o táxi foi atendida.

O conselho, no entanto, não precisou que tipo de demanda reprimida teria sido atendida: pessoas que usam transporte público e optaram por algumas viagens de Uber ou aquelas que, por causa do serviço do aplicativo, deixaram o carro em casa em algumas ocasiões.

CONFIRA O ESTUDO:

Rivalidade após entrada – o impacto imediato do aplicativo Uber sobre as corridas de táxi

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes.

1 comentário em Estudo do Cade diz que Uber não roubou passageiros de táxi

  1. Isso não sai na mídia né.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: