Nova plataforma de cúpula mundial de prefeitos vai focar ações de implantação de sistemas de ônibus elétricos

Ônibus com tração elétrica vão fazer parte de projetos de mais cidades que buscam compromissos com o meio ambiente.

Paralelamente à COP-21, foi lançada nesta sexta-feira, na cúpula mundial das autoridades locais, uma plataforma para financiamento de ações ambientais por parte das cidades.

ADAMO BAZANI

Com agências internacionais

Os trólebus, ônibus elétricos a bateria, ônibus elétricos-híbridos ou os ônibus movidos com células de hidrogênio devem ser parte da solução de rápida implantação para a questão ambiental das principais cidades do mundo.

É o que indicou o Fórum C 40, que reúne 82 cidades que têm um compromisso com ações de desenvolvimento sustentável.  Entre as cidades brasileiras que integram o C40, estão São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Salvador.

A entidade lançou nesta sexta-feira, 4 de dezembro de 2015, em Paris, durante a Cúpula Mundial das Autoridades Locais, evento que ocorre paralelamente a Cúpula Mundial Clima – COP-21,  a plataforma C40 Cities Finance Facility – Facilidade de Financiamento das Cidades do Forum C40.

O encontro reuniu na capital francesa 700 prefeitos de várias cidades do mundo. Eles têm metas ambiciosas de cortes de emissões de poluentes. Um dos objetivos desta plataforma é oferecer apoio técnico e financeiro para as administrações locais que querem reduzir as emissões de gases poluentes. Outra função da plataforma é capacitar as prefeituras para elaborar projetos mais adequados e assim conseguirem acesso mais garantido às fontes internacionais de financiamento por causa da qualidade maior dos planos das cidades.

Além disso, as cidades podem ter acesso direto aos financiamentos mundiais sem precisar depender dos seus respectivos governos federais.

A credibilidade da plataforma já é grande, tanto é que ela nasce capitalizada. O Ministério de Cooperação Econômica e de Desenvolvimento da Alemanha – BMZ doou 3,5 milhões de euros e Banco Interamericano de Desenvolvimento – IADB contribuiu com 2 milhões de euros para criação desta plataforma. A meta é chegar a 1 bilhão de dólares nos próximos quatro anos para garantir ações de sustentabilidade nas áreas urbanas de diversas partes do mundo.

UM RECADO PARA OS FABRICANTES DE ÔNIBUS:

Entre as ações, estão investimentos em mobilidade urbana, com foco no transporte público por ônibus. Ganhou destaque durante a sessão promovida pelo Fórum C40, na Cúpula dos Prefeitos, nesta sexta-feira 4 de dezembro 2015, a iniciativa chamada “Bus Declaration” lançada em Buenos Aires, em março deste ano, na qual diversas cidades declararam que vão realizar esforços para investir em frotas de ônibus elétricos e híbridos ou movidos por células de hidrogênio. O objetivo é garantir emissão baixa o zero de carbono. Até o momento, 23 cidades já assinaram o documento a “Bus Declaration” que sinaliza aos fabricantes de ônibus em todo mundo que elas estão dispostas a investir nesses veículos não poluentes. O prefeito de Londres, Boris Johnson, esteve no encontro e disse que essa iniciativa já permitiu uma redução de 10% nos preços dos ônibus elétricos em todo o mundo. As cidades signatárias são: Adis Abeba – Etiópia, Amsterdam – Holanda, Berlim – Alemanha, Bogotá – Colômbia, Buenos Aires – Argentina, Cidade do Cabo – África do Sul, Caracas – Venezuela, Copenhagen – Dinamarca, Curitiba – Brasil, Jacarta – Indonésia, Johannesburg – África do Sul, Lima – Peru, Londres – Reino Unido, Madri – Espanha, Cidade do México – México, Oslo – Noruega, Quito – Equador, Rio de Janeiro – Brasil, Salvador – Brasil, São Francisco – EUA, Seul – Coréia do Sul, Tshwane – África do Sul, Varsóvia – Polônia.

A iniciativa chamou atenção de outros prefeitos e a implantação de sistemas de ônibus elétricos deve ser um dos focos dos projetos que vão receber o apoio da ferramenta criada pela Cúpula criada nesta sexta-feira.

O objetivo das cidades signatárias é ambicioso. Até 2020, elas se comprometeram a ter 40 mil 415 ônibus que operam com tecnologias limpas. Isso significa 880 mil 528 toneladas a menos de gases de efeito estufa lançadas por ano na atmosfera. Hoje a frota total destas cidades é de 164 mil 629 ônibus de diversas tecnologias.

A cúpula Mundial dos Prefeitos foi aberta nesta sexta-feira pelo presidente francês, François Hollande. Ele lembrou que em 2050, dois terços da população mundial devem viver em grandes centros urbanos que hoje são responsáveis por 70% das emissões de poluentes em todo o mundo. François Hollande também lembrou que os 100 bilhões de dólares por ano a partir de 2020 para financiamento de ações ambientais previstos em compromissos assumidos anteriormente pelas nações, podem não ser suficientes para realizar todas as ações que limitem o aquecimento global e garantam investimentos em tecnologias mais limpas, inclusive para os transportes públicos por ônibus.

A cúpula dos prefeitos quer influenciar as decisões para um acordo na COP 21. Na declaração final do encontro desta sexta-feira, eles se comprometeram a alcançar uma redução de 3,7 toneladas das emissões anuais de gases de efeito estufa até 2030 – uma meta maior do que a prevista pelos governos nacionais. Os prefeitos também se comprometeram a realizar transições para energia 100% renováveis e uma redução de até 80% das emissões de gases de efeito estufa até 2050.

 Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Nova plataforma de cúpula mundial de prefeitos vai focar ações de implantação de sistemas de ônibus elétricos

  1. Muito bacana,mas porque o Haddad não colocou isso em prática no edital da licitação?Piada.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: