Sindimoc entra com dissídio coletivo e Urbs diz que vai estudar alternativas para empresas de ônibus

Ônibus em Curitiba. Sindimoc ingressa com dissídio e Urbs vai estudar planilha de custos das empresas

Pode haver nova greve de ônibus em Curitiba e região na terça-feira se pagamentos não forem realizados

ADAMO BAZANI

O Sindimoc -Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana ingressou nesta quinta-feira, 3 de dezembro de 2015, com dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho do Paraná. A entidade pediu multa diária de R$ 1 milhão que seria revertida aos trabalhadores e aplicada às empresas de ônibus que atrasarem os vencimentos de novembro, dezembro ou janeiro, incluindo, a outra parcela do 13º salário. No início desta semana, quatro empresas de ônibus tiveram paralisação parcial por causa de não pagamento da primeira parcela do benefício.

A situação dos transportes de Curitiba e região metropolitana é considerada grave. As empresas de ônibus alegam que não têm recursos financeiros e algumas delas não descartam atrasar salários e benefícios. As companhias dizem que a atual tarifa técnica de R$ 3,21 por passageiro transportado não é suficiente para cobrir os custos do sistema. Os usuários pagam nas catracas R$ 3,30.

A Urbs – Urbanização de Curitiba S.A. recebeu nesta quarta-feira, 2 de dezembro, uma planilha do Setransp, que é o sindicato das empresas de ônibus , com os custos da folha de pagamento de novembro. A Urbs disse que vai analisar os números e verificar a viabilidade técnica para garantir os pagamentos às viações, no entanto, a gerenciadora de transportes de Curitiba não esclareceu sobre antecipar pagamentos por serviços ainda não prestados pelas empresas de ônibus.

A dúvida é sobre os pagamentos da segunda parcela do 13º salário, dos salários de novembro e do vale no dia 20, que é o adiantamento previsto em convenção coletiva de parte do salário do próximo mês.

No início dessa semana, para evitar uma greve maior no sistema, a Urbs repassou R$ 5 milhões para as empresas de ônibus.

O sindicato dos motoristas e cobradores diz que se não houver os pagamentos correspondentes ao mês de novembro pode realizar outra greve de ônibus a partir desta terça-feira, 8 de dezembro de 2015. Uma assembleia nesta sexta-feira deve decidir pelo indicativo de greve.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes.

Deixe uma resposta