Greve de ônibus em Curitiba e em Sorocaba

Ônibus em Curitiba. Parte das empresas está sem operar.

Motivo, nos dois casos, e o não pagamento da primeira parcela do 13º

ADAMO BAZANI

Motoristas e cobradores de ônibus em linhas de Curitiba e região metropolitana, no Paraná, e em parte de Sorocaba, no interior de São Paulo, cruzaram os braços nesta terça-feira,1º de dezembro de 2015 porque as companhias onde trabalham não realizaram os depósitos da primeira parcela do 13º salário.

Em Curitiba, em torno de 15% dos serviços estão parados.

As empresas Campo Largo; Araucária e Cidade Sorriso e metade das linhas da Tamandaré não estão com os ônibus nas ruas. A Urbs – Urbanização de Curitiba S.A., responsável pelo gerenciamento do sistema, ontem fez uma antecipação de recursos para o pagamento aos trabalhadores, mas o Setransp, sindicato das viações, disse que o dinheiro chegou às empresas depois do expediente bancário, não havendo tempo para depositar aos trabalhadores. As demais empresas operam normalmente.

SOROCABA:

Na região de Sorocaba, interior paulista, funcionários da Rápido Luxo Campinas e da Piracema também cruzaram os braços.

A Rápido Luxo Campinas liga Sorocaba a cidades como Araçoiaba da Serra, Itu, São Roque e Tatuí. São cerca de 250 trabalhadores parados, também pelo não pagamento do 13º salário.

A Piracema tem em torno de 150 trabalhadores e garagens em Araçoiaba da Serra, Salto de Pirapora e São Miguel Arcanjo .

Ambas prometem regularizar a situação.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: