Alckmin lança pacote de concessões de transportes de R$ 13,4 bilhões e divide linhas rodoviárias em cinco áreas

Publicado em: 19 de novembro de 2015

concessões

Linha 5 Lilás vai ser um dos serviços de transportes operados integralmente pela iniciativa privada. – Foto: Edson Lopes Jr/ A2 Fotografia

Ônibus intermunicipais, monotrilho, metro e aeroportos entram nos projetos

ADAMO BAZANI

Com informações Rádio Jovem Pan

O governador de São Paulo Geraldo Alckmin anuncia nesta quinta-feira, 19 de novembro de 2015, um pacote de concessões à iniciativa privada de serviços de transportes. Ao todo, os investimentos devem somar R$ 13,4 bilhões.

A informação foi divulgada pelo próprio governador em entrevista à Rádio Jovem Pan: http://jovempan.uol.com.br/noticias/brasil/sao-paulo/entrevista-completa-geraldo-alckmin-ao-jornal-da-manha-novo-plano-de-concessoes.html

As linhas de ônibus intermunicipais rodoviárias vão ser dividas em cinco áreas nas regiões de Campinas, Ribeirão Preto, Santos, Bauru e São José do Rio Preto e terão um novo modelo de concessão.

Ao todo, envolvendo os ônibus, as concessões devem movimentar em torno de R$ 2,6 bilhões. A malha destas linhas engloba 425 quilômetros . Estas linhas registram 153 milhões de passagens por ano. As concessões devem readequar linhas e modernizar frota.

A idade média da frota deve ser de cinco anos para ônibus rodoviários e de sete anos para suburbanos. Para os dois tipos de prestação de serviços, a idade máxima dos ônibus deve ser de dez anos.

O governo do estado deve exigir ar-condicionado e wi-fi. As linhas suburbanas terão de oferecer bilhetagem eletrônica e as empresas rodoviárias devem vender as passagens também pela internet.

A linha 5 Lilás do Metrô  será mesmo operada pela  iniciativa privada depois de o estado concluir as obras de extensão. O investimento inicial privado deve ser de R$ 200 milhões e depois da ampliação, o total de 250 mil passageiros registrados por dia deve passar para 780 mil.

O monotrilho da linha 17 Ouro, na zona Sul de São Paulo, que ainda está em obras, e deveria ter sido entregue em 2014, será também integralmente repassado ao capital privado.

As linhas 17 Prata do monotrilho e 5 Lilás do Metrô podem ser operadas em conjunto.

Já em relação às estradas, devem ser concedidos 2 mil 217 quilômetros de rodovias e haverá participação das concessões estatuais na duplicação da federal Regis Bittencourt  a partir da região de Pedro de Toledo em direção ao Litoral. Os investimentos, segundo o governo, devem ser em torno de R$ 10,4 bilhões.

Vão ser concedidos também os aeroportos de Jundiaí, Campinas, Itanhaém, Ubatuba e Bragança Paulista. Nos quatro primeiros anos devem ser gerados R$ 34,5 milhões e dentro do prazo de 30 anos, R$ 91,8 milhões, já inclusos os valores dos anos iniciais.

Os editais devem ser lançados a partir de março.

Alckmin disse que o pacote não se trata de PPPs – Parcerias Público Privadas e sim de concessões para as quais o governo espera manifestação de interesse.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Thiago disse:

    Constrói a Linha 5 toda e depois dá de mão beijada para a iniciativa privada. Quanta inteligência desse governador.

    1. Marcelo disse:

      Nada a ver esse negócio de “mão beijada”, a linha 5 vai ser privatizada em um leilão ou seja quem der o maior lance leva, a Dilma está fazendo a mesma coisa com os aeroportos.

  2. Júlio disse:

    Vindo do Alckmin…. Lá vem mais pedágios por ai…

    Ah, mas as estradas paulistas são as melhores do Brasil… Já eram antes de serem pedagiadas.

    A Fernão Dias é uma estrada federal que está muito boa. Seu pedágio é de R$ 1,50. Muito mais barata que as estradas estaduais.

  3. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Aproveita a oportunidade e inclui a EMTOSA e a area 5 nessa operacao.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta