Alckmin lança pacote de concessões de transportes de R$ 13,4 bilhões e divide linhas rodoviárias em cinco áreas

Linha 5 Lilás vai ser um dos serviços de transportes operados integralmente pela iniciativa privada. – Foto: Edson Lopes Jr/ A2 Fotografia

Ônibus intermunicipais, monotrilho, metro e aeroportos entram nos projetos

ADAMO BAZANI

Com informações Rádio Jovem Pan

O governador de São Paulo Geraldo Alckmin anuncia nesta quinta-feira, 19 de novembro de 2015, um pacote de concessões à iniciativa privada de serviços de transportes. Ao todo, os investimentos devem somar R$ 13,4 bilhões.

A informação foi divulgada pelo próprio governador em entrevista à Rádio Jovem Pan: http://jovempan.uol.com.br/noticias/brasil/sao-paulo/entrevista-completa-geraldo-alckmin-ao-jornal-da-manha-novo-plano-de-concessoes.html

As linhas de ônibus intermunicipais rodoviárias vão ser dividas em cinco áreas nas regiões de Campinas, Ribeirão Preto, Santos, Bauru e São José do Rio Preto e terão um novo modelo de concessão.

Ao todo, envolvendo os ônibus, as concessões devem movimentar em torno de R$ 2,6 bilhões. A malha destas linhas engloba 425 quilômetros . Estas linhas registram 153 milhões de passagens por ano. As concessões devem readequar linhas e modernizar frota.

A idade média da frota deve ser de cinco anos para ônibus rodoviários e de sete anos para suburbanos. Para os dois tipos de prestação de serviços, a idade máxima dos ônibus deve ser de dez anos.

O governo do estado deve exigir ar-condicionado e wi-fi. As linhas suburbanas terão de oferecer bilhetagem eletrônica e as empresas rodoviárias devem vender as passagens também pela internet.

A linha 5 Lilás do Metrô  será mesmo operada pela  iniciativa privada depois de o estado concluir as obras de extensão. O investimento inicial privado deve ser de R$ 200 milhões e depois da ampliação, o total de 250 mil passageiros registrados por dia deve passar para 780 mil.

O monotrilho da linha 17 Ouro, na zona Sul de São Paulo, que ainda está em obras, e deveria ter sido entregue em 2014, será também integralmente repassado ao capital privado.

As linhas 17 Prata do monotrilho e 5 Lilás do Metrô podem ser operadas em conjunto.

Já em relação às estradas, devem ser concedidos 2 mil 217 quilômetros de rodovias e haverá participação das concessões estatuais na duplicação da federal Regis Bittencourt  a partir da região de Pedro de Toledo em direção ao Litoral. Os investimentos, segundo o governo, devem ser em torno de R$ 10,4 bilhões.

Vão ser concedidos também os aeroportos de Jundiaí, Campinas, Itanhaém, Ubatuba e Bragança Paulista. Nos quatro primeiros anos devem ser gerados R$ 34,5 milhões e dentro do prazo de 30 anos, R$ 91,8 milhões, já inclusos os valores dos anos iniciais.

Os editais devem ser lançados a partir de março.

Alckmin disse que o pacote não se trata de PPPs – Parcerias Público Privadas e sim de concessões para as quais o governo espera manifestação de interesse.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

5 comentários em Alckmin lança pacote de concessões de transportes de R$ 13,4 bilhões e divide linhas rodoviárias em cinco áreas

  1. Constrói a Linha 5 toda e depois dá de mão beijada para a iniciativa privada. Quanta inteligência desse governador.

    • Nada a ver esse negócio de “mão beijada”, a linha 5 vai ser privatizada em um leilão ou seja quem der o maior lance leva, a Dilma está fazendo a mesma coisa com os aeroportos.

  2. Vindo do Alckmin…. Lá vem mais pedágios por ai…

    Ah, mas as estradas paulistas são as melhores do Brasil… Já eram antes de serem pedagiadas.

    A Fernão Dias é uma estrada federal que está muito boa. Seu pedágio é de R$ 1,50. Muito mais barata que as estradas estaduais.

  3. Amigos, boa noite.

    Aproveita a oportunidade e inclui a EMTOSA e a area 5 nessa operacao.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: