Marinho assina autorização para corredor de ônibus Alvarenga

Ônibus em São Bernardo do Campo. Corredores estão atrasados. Obras do corredor da Alvarenga foram autorizadas

Obra que só vau começar neste ano já deveria ter sido concluída em 2014

ADAMO BAZANI

O prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, assinou neste domingo, 08 de novembro de 2015, a autorização para o início das obras do corredor de ônibus Alvarenga. No último dia 18 de outubro, foi autorizada a construção do Terminal Alves Dias, que integra o corredor.

Apesar do anúncio festivo da prefeitura, tanto o terminal como o corredor já deveriam ter saído do papel há três anos e concluídos no ano passado. Os espaços fazem parte do pacote de 12 corredores de ônibus anunciados por Luiz Marinho em 2012 e que deveriam estar serviço da população em 2014.

Com o corredor Alvarenga, cuja promessa agora é de conclusão em dez meses, a ETCSBC- Empresa de Transportes Coletivos de São Bernardo do Campo, gerenciadora do sistema, estima que a velocidade comercial média dos ônibus no trajeto que hoje é de 13 km/h suba para 20 km/h e o tempo de viagem seja reduzido em 40%.

O Corredor Alvarenga vai sair deste terminal e seguir pela estrada dos Alvarengas, avenida Robert Kennedy até a região da Avenida Piraporinha, dando acesso para o município vizinho: Diadema, somando 3,6 quilômetros. As obras somente das pistas devem custar R$ 56 milhões e, incluindo o terminal, o custo vai para R$ 70 milhões. A prefeitura vai contar com financiamento do BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento.

“Durante o período de obras, o sentido bairro/Centro da Estrada dos Alvarenga será interditado, enquanto o outro ficará com via de mão dupla para os dois destinos. Porém, antes do início, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Transportes e Vias Públicas, já implantou desvio de tráfego para adequar o deslocamento de motoristas e pedestres.” – diz o poder público em nota.

Ainda não há previsão para a conclusão dos demais corredores, inclusive para o Corredor Leste-Oeste de São Bernardo do Campo, considerado o mais importante. Com 13 quilômetros de extensão, vai desde o km 22 da rodovia dos Imigrantes, perto do limite com Diadema, até a Praça dos Bombeiros, passando pela estrada Samuel Aizemberg, passando pela avenida José Odorizzi, viaduto Tereza Delta, avenidas Francisco Prestes Maia e Tiradentes.

Apenas neste ano é que a prefeitura começou o viaduto Praça dos Bombeiros que vai transpor a ligação das avenidas Rotary e Luiz Pequini. A obra deve dar viabilidade para o corredor prometido para 2014 e vai durar até o final de 2016.

O corredor Leste-Oeste de São Bernardo do Campo deve custar R$ 419 milhões, sendo que R$ 247 são provenientes do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento com a seguinte divisão: R$ 165 milhões liberados por financiamentos e R$ 82 milhões provenientes do Orçamento Geral da União. A contrapartida do município é de R$ 172 milhões.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: