Prefeitura de São Paulo abre licitação para reforma do corredor de ônibus Santo Amaro, o mais movimentado da cidade.

ônibus biarticulado

Ônibus que atende a zona Sul de São Paulo. Corredor Santo Amaro terá trecho requalificado. Licitação foi iniciada. Foto: Adamo Bazani

Concorrência para o primeiro trecho de 2,5 quilômetros foi colocada em consulta pública. Calçadas devem ser requalificadas para os pedestres

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São Paulo deu início nesta sexta-feira, 30 de outubro de 2015, ao processo de licitação para reforma de um dos corredores de ônibus mais antigos e de maior demanda da cidade: corredor Santo Amaro, que atende a mais 585 mil pessoas por dia útil, em toda a extensão.

O prazo para a consulta pública às minutas do edital vai até o dia 05 de novembro.

O trecho contemplado pela licitação é na Avenida Santo Amaro, com aproximadamente 2,5 quilômetros entre o cruzamento com a Avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira e o cruzamento com a Avenida dos Bandeirantes.
De acordo com as minutas do edital, às quais o Blog Ponto de Ônibus teve acesso, o valor estimado para as intervenções é de R$ 75 milhões 825 mil 020,66. O contrato é de 27 meses e a construtora ou consórcio de até duas empresas que ganharem devem entregar as obras em até 24 meses depois da assinatura da ordem de serviço, que deve ocorrer até o final de 2015.

Os vencedores serão responsáveis pelos projetos, estudos ambientais e obras. A modalidade para escolher a construtora é pelo menor preço oferecido.

Segundo as minutas, o corredor deve seguir especificações técnicas como largura e distância entre paradas, com pontos de ultrapassagem.

“O Corredor terá faixa exclusiva à esquerda, com largura de 3,50m, em pavimento rígido em toda a sua extensão, exceto nas paradas onde se estreita para 3,00m, e faixas de ultrapassagem, nos dois sentidos, também com 3,50m de largura. As paradas serão em média a cada 600 metros com plataformas junto ao canteiro central.”

De acordo com o termo de referência da licitação, as obras devem incluir requalificação de calçadas, implantação de largo e praça, além da construção de novas paradas.

“A Requalificação da Avenida Santo Amaro: Reforma do Corredor Santo Amaro no trecho que se estende na Avenida Santo Amaro do cruzamento com a Avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira até o cruzamento com a Avenida dos Bandeirantes, compreende a extensão de aproximadamente 2,50 km e a implantação dos seguintes serviços de obras: execução de pavimento de concreto rígido nas faixas exclusivas do Corredor de ônibus, execução de novo pavimento flexível nas duas faixas para o tráfego geral, implantação de três paradas (Afonso Braz, Fiandeiras e Eucaliptos) para embarque e desembarque de passageiros, implantação de passeios com largura variável, remoção de interferências, execução de largos e praças, instalação de novos equipamentos para iluminação pública, reforma do sistema de drenagem de águas pluviais – galeria, dutos de drenagem, bocas de lobo e meio fio, instalação de bancos de dutos para tecnologia do Corredor e instalações para sinalização – horizontal, vertical e semafórica.”

HISTÓRIA E DADOS:

O trecho faz parte do sistema de corredores Santo Amaro/Nove de Julho/Centro, que possui no total, segundo a prefeitura, 11 quilômetros. Hoje é o corredor com maior demanda na cidade atendendo diariamente pelo menos 585 mil passageiros por dia.

corredore-sao-paulo

O corredor Santo Amaro, que começou a operar em 1985 e foi inaugurado de forma definitiva em 1987, foi concebido inicialmente para receber trólebus dentro do Projeto Sistran. Fruto ainda da política em prol de mobilidade mais limpa do prefeito Olavo Setúbal, que esteve à frente da cidade entre 1975 e 1979, época na qual foi elaborado. O plano foi coordenado pelo técnico Adriano Murgel Branco, em 1976. O Sistran concebia uma nova geração de trólebus e uma rede de corredores de 280 quilômetros.

O plano Sistran não teve continuidade política, mas deixou frutos. Entre 1985 e 1987, quando o corredor Santo Amaro saiu do papel estavam à frente da prefeitura Mario Covas (11/05/1983 – 31/12/1985) e Jânio Quadros (01/01/1986 – 31/12/1988).

Os trólebus deixaram de operar no corredor Santo Amaro em 2003, na gestão de Marta Suplicy, quando outras linhas de ônibus elétricos foram desativadas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

10 comentários em Prefeitura de São Paulo abre licitação para reforma do corredor de ônibus Santo Amaro, o mais movimentado da cidade.

  1. caminhamos para trás, Olavo Setúbal pela matéria tinha uma visão muito mais avançada do que os prefeitos atuais e pensava no transporte limpo, ônibus trolebus no corredor que a Marta enterrou em sua gestão nesse corredor e praticamente não se fala em ônibus elétricos em corredores de ônibus hoje.

  2. Amigos, bom dia.

    Menor preco, …

    Espero que o projeto contemple raloes nas paradas.

    Att,

    Paulo Gil

  3. Trecho é uma das “jóias da coroa” de Sampa.
    Emblemático, importante, de alto fluxo, passando por áreas nobres e severamente deteriorado em vários pontos.

    Linha Lilás e monotrilho do Metrô fazem toda a diferença por resolver o corredor desde a Roberto Marinho. Portanto é muito importante que o trecho revitalizado inclua o pouco mais de 1km da Bandeirantes a Roberto Marinho.

    Uma Prefeitura com “P” maiúsculo implantaria VLT neste trecho, como 1a. fase.
    Local PERFEITO para ser o primeiro da cidade, chegando até a Praça da Bandeira

  4. Excelente atitude! Fico muito feliz que São Paulo esteja apostando no ônibus. A melhor decisão seria transformar o corredor em BRT, mas já que isso não está em questão. Readequá-lo é excelente. Me assusta as defesas do VLT e do Monotrilho. Custam caro, manutenção alta e a capacidade de transporte é baixa. Que continuemos com os ônibus!

  5. Concordo com o Michael. O custo por quilômetro de um VLT e de um monotrilho é extremamente alto para uma demanda só um pouco maior que do corredor. Não vale a pena. Conforme a reportagem, o corredor transporta em 11 km 580 mil por dia. Nem o caríssimo e atrasadíssimo monotrilho da zona Leste vai conseguir isso. A velocidade operacional do corredor pode ser ampliada com medidas mais simples que a construção de um monotrilho que também pelo custo não tem aqueeeeela velocidade. Se no caso da zona Leste, o trecho continuasse como corredor de ônibus, a prefeitura faria sua parte e o governo do estado poderia investir mais pesado em um metrô na região. Um modal não ia excluir o outro porque com o corredor próximo, o metrô poderia ter estações mais espaçadas e aí sim ganhar em velocidade e demanda,.
    Obrigado

  6. Estará sendo usado recursos da Operação Aguas Espraiadas e trará melhorias da
    av. jk até a av dos bandeirantes. Porque então não fazem um viaduto cruzando a av. Aguas Espraiadas atual Av. Roberto Marinho aumentando realmente a velocidade dos onibus

  7. Os moradores e usuários dos transportes públicos agradecem. E que venham ônibus melhores e não tão poluidores e barulhentos. Que SAMPA seja mais respirável e bonita.

  8. Avisa a Prefeitura q o Corredor VETERANÍSSIMO Paes de Barros é da Região Sudeste…Vila Prudente ao Centro! e não Leste como esta escrito aí acima! Aliás…é um PATRIMÔNIO DA CIDADE DE SÃO PAULO-SP! Tão antigo e ainda funciona razoavelmente bem!

  9. E cade as intervenções pra continuar as obras que estão paradas do T Itaquera e o corredor Radial Leste 1?Sei que o recurso não e o mesmo mais não vejo nada avançar,a prefeitura tem pensamento muito limitado,não tenta outras formas de financiamento triste.

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Prefeitura abre licitação para reforma do Corredor Santo Amaro – Via Trolebus
  2. Prefeitura abre licitação para reforma do Corredor Santo Amaro | Logística Pública

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: