Wagner Canhedo Filho é preso novamente pela PF

ônibus

Ônibus da Viplan, que operou no DF. Wagner Canhedo Filho foi preso sob acusação de fraudes

Dono da Viplan é acusado de fraudes que causaram prejuízos de R$ 875 milhões. Cooperativa de transportes do DF teria sido usada no suposto esquema

ADAMO BAZANI

A Polícia Federal prendeu na manhã desta sexta-feira, dia 09 de outubro de 2015, o empresário Wagner Canhedo Filho, dono da Viplan – Viação Planalto Ltda, empresa que operou por 44 anos no Distrito Federal, no âmbito da Operação Patriota.

Canhedo já tinha sido detido neste ano na mesma operação, mas por porte ilegal de arma. Agora, com o pedido do Ministério Público Federal aceito pela Justiça, o empresário foi preso por suspeita de ter cometido os crimes investigados pela operação: fraude à execução, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

De acordo com a Procuradoria da República, as fraudes cometidas pelo grupo Canhedo nos setores de hotelaria e de transportes em Brasília, causaram prejuízo de R$ 875 milhões aos cofres públicos.

As fraudes ocorriam por meio de empresas fantasmas que seriam usadas pelo grupo Canhedo, e até mesmo uma cooperativa de transportes teria participado do suposto esquema

“Canhedo Filho migrou seu esquema para a utilização de outras empresas até então não conhecidas e também não atingidas pelos bloqueios judiciais no âmbito da Execução Fiscal, dentre as quais seguramente a Cooperativa de Transportes Alternativos e Autônomos do DF”, diz a procuradoria no pedido de prisão preventiva.

Canhedo Filho foi preso em casa, em Brasília, por volta das 7 horas da manhã.

Segundo os procuradores, a prisão foi necessária porque Canhedo Filho poderia fugir, até mesmo deixando o País, o que prejudicaria as investigações: “diante do robusto poder econômico, o risco de fuga é inafastável, o que poderia colocar em risco a aplicação da lei penal”.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: