Empresas de ônibus de São Paulo dizem que subsídios não são para viações

ônibus biarticulado

Ônibus em São Paulo. Sistema neste ano deve ter custo de R$ 7 bilhões na Capital Paulista. Prefeitura deve arcar com R$ 2 bilhões para gratuidades.

Segundo SPUrbanuss, neste ano o custo do transporte na capital paulista será de R$ 7 bilhões. Prefeitura deve arcar com quase R$ 2 bilhões

ADAMO BAZANI

O SPUrbanuss – Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo negou nesta sexta-feira, dia 02 de outubro de 2015, que os subsídios pagos pela prefeitura sejam destinados diretamente às viações.

Segundo a entidade, em nota, o dinheiro é necessário para gratuidades municipais, como para idosos, estudantes e viagens integradas, somando 52% dos passageiros (inclusive os que fazem uso das integrações do Bilhete Único).

Em proposta de orçamento para 2016, enviada à Câmara Municipal, o prefeito Fernando Haddad reserva um total entre R$ 1,9 bilhão e R$ 2 bilhões para subsídios ao sistema de ônibus.

Com a medida, uma das hipóteses é de que Haddad congele a tarifa em R$ 3,50 em 2016, ano que vai tentar a reeleição.

O prefeito não confirmou e nem desmentiu se a tarifa vai continuar a mesma no ano que vem.

Ele disse que as passagens municipais têm reajustes na mesma data das tarifas de transportes metropolitanos, como dos ônibus intermunicipais da EMTU, Metrô e CPTM.

Haddad ainda acrescentou que é necessário verificar os impactos da licitação dos transportes da cidade nos custos do sistema. Há a estimativa de redução de linhas e frotas, eliminado itinerários sobrepostos, e diminuição da TIR – Taxa Interna de Retorno das empresas de ônibus dos atuais 18% para 9,97%.

Neste ano de 2015, quando as tarifas subiram de R$ 3,00 para R$ 3,50, os subsídios estavam previstos para em torno de R$ 1,4 bilhão, mas devem subir para até R$ 2 bilhões.

Houve aumentos nos custos operacionais. Somente as altas do diesel neste ano, devem ultrapassar 11,3% para a prestação de serviços de transportes públicos. Confira a entrevista do diretor administrativo e institucional da NTU – Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos, Marcos Bicalho:  https://blogpontodeonibus.wordpress.com/2015/10/02/apenas-aumentos-do-diesel-em-2015-devem-ter-impacto-de-28-nas-tarifas-de-onibus-dizem-empresas/

Na nota, o SPUrbanuss confirma que neste ano, a prefeitura deve ter de conceder R$ 2 bilhões pelas gratuidades.

Confira a íntegra:

O SPUrbanuss – Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo esclarece algumas informações equivocadas, publicadas e veiculadas em diversos meios de comunicação, sobre os subsídios à tarifa previstos para 2016. O serviço de transporte coletivo municipal custará, neste ano de 2015, cerca de R$ 7 bilhões. As passagens pagas pelos usuários cobrem cerca de R$ 5 bilhões desse total. A Prefeitura de São Paulo deverá alocar, até o final do ano, perto de R$ 2 bi para cobrir os benefícios das gratuidades, concedidos pela municipalidade.

Hoje, apenas 48% dos passageiros pagam a tarifa de R$ 3,50.  Os outros 52% representam as gratuidades que são dadas aos idosos (mais de 60 anos), deficientes e estudantes de escolas públicas; os demais estudantes, pagam metade da tarifa e, com os bilhetes de transporte, quem pega mais de um ônibus para fazer a sua viagem, paga apenas uma tarifa (não arca com as integrações).

Assim, diferentemente do divulgado, o subsídio ao transporte urbano não é dado às empresas que prestam o serviço na cidade de São Paulo. Esse subsídio é concedido aos passageiros que não pagam a tarifa dos ônibus.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

5 comentários em Empresas de ônibus de São Paulo dizem que subsídios não são para viações

  1. Amigos, boa noite.

    Já convenci há algum tempo.

    TARIFA ZERO.

    Ficará mais fácil fazer a conta e controlar eventuais va$amento$.

    Assim o prejuízo no bolso do contribuinte ficará menor.

    Sejam mais pragmáticos, afinal já estamos em 2020.

    Att,

    Paulo Gil

  2. Independente disso não e desculpa para oferecer um péssimo serviço em SP.

  3. A política tarifária é errada e omissa, mas ninguém quer mexer. Nem políticos, nem sindicatos e muito menos quem mora longe e/ou tem a SORTE de pagar a mesma coisa para se deslocar por muitos km.

    Tem que assumir política de transporte público SÉRIA como em tantos outros países mundo afora.

    Quanto as empresa de ônibus, é tão simples quanto publicar quanto recebem por passageiro transportado hoje e nos últimos cinco anos. Idosos, deficientes e estudantes não mudaram muito nos últimos cinco anos. Quanto ao subsídios em R$ da Prefeitura, basta ver.

    • Luiz Vilela, boa noite.

      Só um complemento.

      A população de idosos irá aumentar e muito.

      Em breve maisssssssssssssssss subsídios (ou prejuízos).

      E eu serei um deles, vou andar de buzão de graça até, ai nem precisa limpar, afinal
      de graça até buzão errado serve.

      KKKKKKKKKkkkkkkkk

      Att,

      Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: