Wall Street Journal diz que se Haddad fosse prefeito em outro país, seria classificado como “visionário”

Haddad Visonário

Prefeito Fernando Haddad seria bem avaliado em metrópoles inovadoras, segundo jornal norte-americano

Segundo publicação norte-americana, políticas de privilégio aos ônibus, com as faixas, e ciclovias, são destaques

ADAMO BAZANI

“Se o impopular prefeito de São Paulo fosse o chefe de São Francisco, Berlim ou alguma outra metrópole de característica inovadora, ele seria reconhecido como um visionário em políticas urbanas”

A frase não faz parte de nenhuma propaganda política em prol de Fernando Haddad.

Ela integra um artigo sobre cidades da edição desta quarta-feira, dia 23 de setembro de 2015, do jornal norte-americano Wall Street Journal (http://www.wsj.com/articles/mayor-fernando-haddads-pro-bike-push-polarizes-sao-paulo-1443031374 )

Segundo a publicação, entre os destaques da administração estão ações em prol da mobilidade urbana, como a implantação de ciclovias e das faixas exclusivas para ônibus.

Após período de adaptação por parte do paulistano, as faixas de ônibus “pegaram” na cidade e hoje têm 90% de aprovação popular. Já as ciclovias, apesar de a aprovação estar em crescimento, ainda reúnem polêmicas.

O jornal também vê como positivo o fechamento de vias como a Avenida Paulista e o elevado Costa e Silva para os carros aos domingos

“Em uma cidade tão carente de áreas verdes, a medida proporcionou o deleite de pedestres, ciclistas e skatistas, mas desagradou comerciantes e moradores do local.” – diz outra parte do texto.

O artigo ainda enfatiza que as políticas de mobilidade são criticadas por setores mais conservadores que devem usar os erros da administração para impedir a reeleição de Haddad.

Programas como o “Braços Abertos” para atendimento a dependentes de crack também foram citados.

Já a população de São Paulo se divide quanto às ações.

Em relação à mobilidade, há ainda muito o que fazer. A promessa de 150 quilômetros de corredores de ônibus até 2016 não deve ser colocada em prática. Não há avanços na troca de ônibus movidos a diesel por trólebus ou outro tipo de ônibus que não dependa exclusivamente de combustíveis fósseis, como determina a Lei de Mudanças Climáticas de 2009. A troca deveria ser de 10% ao ano desde aquela época até que em 2018 todos os ônibus fossem menos poluentes. Dos quase 15 mil ônibus da cidade, pouco mais de 600 são ecologicamente corretos.

A licitação dos transportes, que deve remodelar o sistema para os próximos 20 anos, ainda reúne várias dúvidas, entre as quais, como será feito o racionamento dos serviços para evitar linhas sobrepostas se a cidade ainda não tem uma estrutura que comporte uma rede de ônibus tronco-alimentadora.

No entanto, a “bola da vez” dos paulistanos é a redução de velocidade nas vias da cidade.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

31 comentários em Wall Street Journal diz que se Haddad fosse prefeito em outro país, seria classificado como “visionário”

  1. OBERVAÇÃO: O artigo do Wall Street Journal não representa necessariamente a posição do Blog Ponto de ônibus, mas achamos prudente a publicação para ampliar, por outro ângulo, a discussão sobre as ações de mobilidade na cidade de São Paulo que acabam sendo observadas por outras cidades brasileiras.

  2. Caro Adamo, aprecio muito o seu blog e a seguinte crítica NÃO É direcionada a você, mas sim a o WSJ e o Haddad.

    Visionario! Hahahahahahahaha! Diga isso pra Lei das Mudanças Climáticas que o mafioso do Tatto, amigão do Haddad, não vai cumprir! Diga isso pro povo na fila de espera da creche! Diga isso pras áreas de proteção de manancial que ele está deixando ocupar! Diga isso de novo pra o meio ambiente, já que inspeção veicular não tem mais! WSJ, leva o Haddad embora e não devolve!

  3. Boa noite.

    Me desculpe o Jornal americano, mas ao meu ver falta um pouco de pesquisa “in loco”.

    Fernando Haddad é visionário? Pode até ser. Mas perdão:
    – Quem pinta o asfalto de vermelho e chama isso de ciclovia, não demonstra o menor estudo técnico;
    – Quem cria ciclovia em cima de calçada, colocando não apenas o ciclista mas também o pedestre em perigo, não parece ter o menor cuidado com essas pessoas;
    – Quem pinta (eu disse, PINTA) espaço para trafego dos ônibus e chama isso de CORREDOR de ônibus, está testando a inteligência dos cidadãos.

    Vou dizer que não houve resultado? Não, muito pelo contrário! O tempo de viagem de onibus diminuiu, mais ciclistas estão aparecendo.. enfim…

    Mas temos que ser realistas, e não ver um lado apenas: Faltou planejamento! Esse jornal americano provavelmente nem veio para cá, apenas viu as noticias e fez o artigo. Se fosse lá, da mesma forma, Haddad seria criticado, não pelas ideias, mas como ele as executa.

    • A questão de pintar não concordo porque em várias cidades do mundo nem se quer pintam usam somente faixas para bicicletas,mais tem a cultura da educação que aqui não vemos no geral,porém devemos entender que isso foi um começo e todo começo precisa de reajuste.

      • Eu não acho que é apenas questão de educação. As ciclovias de SP não tem estrutura. A única coisa que ele fez foi pegar a calçada, pintar de vermelho e dizer que é uma ciclovia. Eu moro em Barcelona, realmente eles não pintam, apenas tem uma faixa indicando onde circula as bicicletas. Mas o pedestre não oculpa o mesmo espaço das ciclovias. As calçadas são amplas. Então pedestres e ciclistas convivem sem problemas pq tem espaço p ambos.

    • Uma olhada em ciclovias de outros países (adaptados), a situação é a mesma – uma via pintada ou separada por alguma coisa.

      Ciclovia em cima da calçada existe pois se botar em certas ruas e avenidas, provavelmente geraria probleams.

      Pintar uma faixa para designar um corredor é uma forma ágil de começar um trabalho.

      • Fizeram uma ciclofaixa no jaçana em uma avenida de mão dupla que tinha antes espaço pra um carro e o onibus ficava apertado, essa avenida sempre, SEMPRE, tem acidentes, agora divide espaço com uma ciclofaixa que percorre um caminho de pouco mais de 2 km, ou seja, não serve pra nada, só se voce estiver indo até a esquina comprar um pão. O espaço do carro e do onibus é quase nulo, o transito, que já era um absurdo, triplocou nesse local e eu não preciso nem começar a falar em acidente né?! É só imaginar a situação. Agora eu te pergunto, isso é mudança, isso é começo? Se começou assim imagina quando terminar.

  4. A matéria e bacana,mais vamos a alguns pontos,o Haddad não pegou a prefeitura com dinheiro em caixa,com isso as obras de corredores necessitam de verba,ai entra a picuinha de partidos com o TCM e TCU,ai vem a demora das licenças ambientais e desapropriações,além do governo federal dever mais do que tem em caixa,assim não ajuda nos corredores,mais se ele deixar em andamento já e alguma coisa.

  5. O mal no Haddad é que há deficiências em outras áreas fora da mobilidade urbana, e o transporte está com um pouco de excesso de marketing e extremo positivismo, mascarando isso.

    Não discordo, concordo plenamente com as implantações de faixas de ônibus e ciclovias. Só que claro que concordo também que onde há falhas ou falta de estudos, que se corrija.

    De fato, Haddad não é bem “visionário”, apenas continua uma coisa que a Marta tinha começado, que era readequar a malha de ônibus. Hoje há mais estudos, mais formas de pensar e entender as necessidades da população nos bairros. Só que falta mais implantação e conscientização. Além de eficiência.

    Falta também uma forma de conscientizar com inteligência os conservadores e condutores implicados. Sinto que o Tatto ainda está distante das conversas, tal como qualquer secretário de trânsito (generalização burra).

  6. O Haddad pegou um sistema de transporte em frangalhos e com muito trabalho o deixou razoável, se ele não fosse do PT, ele seria reeleito no 1ª turno, mas a turma do Luladrão acabou com a reeleição deste que alem de ser um bom prefeito tenta fazer um governo voltado as menos favorecidos, o que causa a furia de uma classe media histérica e raivosa, e aquela historia sou a favor da distribuição de renda desde que não mecha no meu bolso so no do outro, já vi esta injustiça com a Marta, que fez um governo voltado aos pobres e foi por eles traída, a historio se repetira mais uma vez.

  7. O Haddad é muito ruim prefeito, esses americanos observam a milhares de quilômetros de distância, não é só no transporte público e mobilidade urbana que ele vai mal, mas em toda as outras áreas, sobre ciclistas e suas polêmicas faixas, tem um comentário aí em cima dizendo sobre a classe média raivosa e injustiça com Marta e Haddad, na boa, é um petista que escreveu, pois essas obras para ciclistas SE CONCENTRAM SOMENTE EM BAIRROS CENTRAIS E RICOS, NA PERIFERIA ONDE HÁ MUITO ESPAÇO E MUITA BICICLETA COMO PARELHEIROS, SEQUER FEZ UMA OBRA, que governo dos pobres é esse que concentra obras em bairros ricos? sem essa.
    Queria saber como é o transporte público em São Francisco ou Berlim para fazer uma comparação com a nossa, já que somos muito injustos com o Haddad, queria levar um correspondente desse jornal aqui para um terminal de ônibus na periferia às 5:00 da manhã para ele ver como este VISIONÁRIO prefeito trata sua população.

  8. Haddad é o cara. O que acontece é que, ao invés da razão, boa parte do eleitorado paulista baseia sua opinião no rancor político e no ódio. São Paulo está a um passo de se tornar um Estado fascista.

  9. Com certeza essas mudanças seriam bem vindas em lugares como Sao Francisco ou Berlim, lá eles com certeza tem um sistema de saude adequado, escolas de qualidade e professores bem remunerados e ai sobra dinheiro pra fazer esssas coisas, aqui gastaram apenas com essas mudanças “visionarias” que promoveram muito lazer pra populaçao, mas nao melhorou em nada o que realmente precisava de atenção. Tudo bem se tem pessoas que morrem nos hospitais públicos por causa da falta de estrutura e atendimento, tudo bem, porque temos maravilhosas ciclofaixas e faixas de onibus agora.

  10. Hahahahah!! “Perdoai-os, eles não sabem o que “dizem”. Vem morar aqui. Ciclovias mal planejadas e mal feitas. A da Av. Paulista, custou quase R$5.000,00 por metro!!!! Cade as creches prometidas, as casas populares, os postos de saúde. A cidade esburacada, ás escuras. A época de chuvas esta chegando, e cade a limpeza de bueiros e galerias. Esse cara é um incompetente e inconsequente!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  11. João Ayrton Lambiase // 24 de setembro de 2015 às 21:30 // Responder

    Não sei não se seria considerado visionário ou inconsequente, feche uma Wall Stret para ciclista nos EEUU e voce vai preso, feche uma Champs Elisse em Paris para vêr o que acontece, só que há uma diferença, lá quando um inventor como o Haddad é eleito inadivertidamente o povo põe pra correr, aqui , a gente tem que engolir por causa coporativismo nojento.

  12. E fácil falar mal de quem teve apenas um mandato,quem esta ai a 20 anos no poder com obras do metro e trem eternas,hospitais na falência e o povo morrendo,sem segurança,queimam ônibus e nunca da nada,queimaram um quarta feira de 23 metro da linha 4310 do lado do TP,todos os governantes que entraram em SP tiveram setores que não investiram,o Kassab por exemplo se preocupou com a cidade limpa,bater em camelo,xingar um cidadão no posto de saúde e não fazer nenhum obra nova de corredor,falhas todos tem,agora ficar reclamando em site e fácil,se em sua região tem uma ciclovia mal planejada,faixa de ônibus incorreta,problemas em alguma linha que reclame nos canais pra ser resolvido,seja no site,subprefeitura,não importa onde for,e não estou defendendo partido algum aqui.

    • Se a matéria estivesse chamando o Alckmin de visionário, tenha certeza que eu estaria reclamando também! Por que automaticamente quem reclama de um precisa amar o outro? E quem é você pra saber o que os outros fazem e não fazem, se reclamam aqui e participam por outros canais também, deixe de pressupor o que você não sabe.

  13. Entendo que os alcaides ainda nem aprenderam a priorizar, planejar, executar e fiscalizar o trajeto dos corredores e faixas de ônibus e querem fazer isto, o sr. Haddad prometeu 150 km de corredores e só entregou ~38 km, 25% do previsto, e em troca ampliou as ciclovias ( A grande maioria subutilizadas com a da Av. do Estado) que tem a importância ínfima em relação aos corredores de ônibus simplesmente ocupando calçadas e faixas dos pedestres ou de veículos, diminuiu a velocidade em várias vias, e passou para gravíssima a multa para o infeliz que ultrapasse as faixas de ônibus e o resultado aí esta. E também parar de se comportar como uma biruta que ao resultado das pesquisas eleitorais e pressões politicas promovem mudanças que em tempos recentes se diziam imutáveis, como a volta dos taxis nas faixas de ônibus.

    Vários projetos apresentaram problemas e falhas na concepção e irregularidades e algumas obras foram barradas pelo TCM – Tribunal de Contas do Município e TCU – Tribunal de Contas da União.

    Os órgãos identificaram vários problemas técnicos nos projetos e suspeitas de sobre preço em algumas licitações para as obras, será que teve propinas!?

    Qual é a finalidade daquele esqueleto do “Museu do Trabalhador” que esta sendo erguido em pleno centro de São Bernardo do Campo pelo partido do prefeito visionário que tem como lema “Pátria Educadora”, quanto dinheiro inútil para monumentos sem funcionalidade nenhuma, e estranhamente planejados pelos mesmos preocupados em mudar o nome de praças e ruas e do elevado Costa e Silva entre outros e que visam exclusivamente ao culto de personalidades, será que ira constar da placa inaugural do museu que ali teve dinheiro “doados“ da Petrobras entre outras estatais!?

    E as sacolinhas de supermercados que agora são pagas somente no município de São Paulo.

    E na região da Luz, enquanto a cracolândia segue a todo vapor, e a estação metrô ferroviária da Luz se encontra ultra saturada, ocorrendo sérios perigos de segurança, a sua vizinha próxima Júlio Prestes esta as moscas, e se encaminha melancolicamente para sua desativação como estação ferroviária por falta de uso e transformada em sala de exposições.

    Quem foi o redator do W.S.J. que escreveu este artigo a respeito de um local distante a milhares de km de distância? Em que se baseou para fazer tais afirmações!

  14. Amigos, boa noite.

    Fonte em 25.09.15 as 20:51 hs

    http://www.dicionariodoaurelio.com/visionario

    Significado de Visionário

    1 Aquele que julga ter visões.
    2 Relativo a visões.
    3 Que ou quem tem ideias quiméricas ou extravagantes.
    4 Que ou quem tem ideias inovadoras.

    O que foi feito em Sampa não tem nada de visões, nada de quimérico ou extravagante, muito menos nada de inovador.

    Vamos aguardar a reconstrução de tudo i$$o que vai dar um ga$$$$$$$$$$$$$$$to danado.

    Lembrando que a faixa do buzão a lá Paulo Gil foi dada antes da execução das mesmas; afinal sem verbas, sem BRT´s, Metros, Aerotrens; deu a lógico do latino americano sem dinheiro no bolso.

    Aguardem…

    Att,

    Paulo Gil

  15. Depois desta controvérsia toda é bom que o Haddad nem concorra a reeleição mesmo porque São Paulo está maravilhosamente bem governado pelos Tucanos a tanto tempo que nem adianta querer menosprezar governos tão bons!!!Entenderam? Esta paz esta Segurança este espelho de governança felizmente o resto do país não vê com bom olhos!!!Ainda bem!!!
    Entenderam?

  16. Sim!! o WSJ deveria levar Haddad pra lá, junto com o Tatto.
    As linhas que separam “visionários” de malucos, inconsequentes e irresponsáveis é tênue.
    Vias arteriais segregadas de Sampa com velocidade de 50km/h e ciclofaixas em ladeiiras longas e íngremes nada têm de visionário. Como diz o colega acima, se fizesse coisas assim em Paris ou Londres ia ser impedido pela Justiça.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: