Multas às empresas por descumprimento de partidas crescem 72,79%

ônibus

Ônibus em São Paulo. Número total de multas cai, mas crescimento do descumprimento de viagens preocupa.

No total de infrações, houve queda de 2,3% na aplicação de penalidades. Descumprimento de partidas pode interferir na remuneração das viações pela licitação

ADAMO BAZANI

O total de multas por diversas infrações cometidas pelas empresas de ônibus da cidade de São Paulo caiu 2,3% no primeiro semestre deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado. Enquanto entre janeiro e junho deste ano a gerenciadora dos transportes da cidade, SPTrans, aplicou 65 mil 855 multas às concessionárias (subsistema estrutural – viações) e às permissionárias (subsistema local – hoje empresas ex-cooperativas), no mesmo período de 2014, foram 67 mil 458 multas.

Hoje cada multa custa às empresas de ônibus R$ 360.

As informações são da própria SPTrans e foram repassadas pela gerenciadora ao repórter Rafael Italiani, do jornal O Estado de São Paulo.

No entanto, alguns problemas na cidade chamam a atenção, como o descumprimento das partidas dentro das faixas de horário.

Este tipo de problema teve crescimento de 72,79% no primeiro semestre deste ano em comparação com os seis primeiros meses de 2014. Foram 21 mil 437 anotações no período em 2015 ante 12 mil 496 em 2014.

O problema preocupa porque além de atrasar a vida de milhões de passageiros por dia, requer uma ação conjunta de empresas e poder público. Em grande parte dos casos, o número de partidas não é cumprido pelo fato de os ônibus não terem prioridade adequada no espaço urbano e, presos nos congestionamentos, não conseguirem chegar ao final da linha para a outra viagem. Mas também ônibus quebrados e problemas de planejamento das empresas interferem no cumprimento no número de partidas.

Na licitação dos transportes da cidade, a prefeitura de São Paulo quer estipular um modelo que afete a remuneração das empresas em caso de não cumprimento de partida. As viações entraram com uma contestação administrativa a este ponto que deve ser incluído no edital. Para o SPUrbanuss – Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo, não é justo que as empresas paguem por problemas alheios à sua atuação, como os congestionamentos.

Outro problema grave em relação aos serviços e que aparece em segundo lugar no ranking geral de multas é o não cumprimento dos intervalos programados entre os ônibus, o que também tem relação com o trânsito e a falta de corredores de ônibus.

Confira os principais problemas que geram multas às empresas na cidade de São Paulo e a comparação entre o primeiro semestre deste ano e o de 2014:

– Descumprir número de partidas programadas para cada faixa horária: 21 mil 437 (primeiro semestre de 2015) – 12 mil 406 (primeiro semestre de 2014) – alta de 72,79%

– Descumprir o intervalo programado: 10 mil 369 (primeiro semestre de 2015) – 12 mil 362(primeiro semestre de 2014) – queda de 16,12%

– Motorista que dirige falando ao celular ou ao rádio: 3 mil 583 (primeiro semestre de 2015) – 3 mil 876 (primeiro semestre de 2014) – queda de 7,5%

– Descumprir partidas programas de veículos adaptados para pessoas com deficiência: 3 mil 067 (primeiro semestre de 2015) – 5 mil 078 (primeiro semestre de 2014) – queda de 39,6%

– Deixar de cumprir determinações ou prazos estabelecidos pela SPTrans: 2 mil 320 (primeiro semestre de 2015) – 3 mil 613 (primeiro semestre de 2014) – queda de 35,7%

– Ônibus sem comunicação visual ou com comunicação em desacordo com a linha: 2 mil 128 (primeiro semestre de 2015) – 1 mil 796 (primeiro semestre de 2014) – alta de 18,48%

– Conduzir de forma perigosa: 2 mil 112 (primeiro semestre de 2015) –2 mil 396 (primeiro semestre de 2014) – queda de 11,89%

– Veículo com defeito de iluminação externa ou interna, iluminação em mau estado ou mesmo inexistente: 1 mil 793 (primeiro semestre de 2015) – 1 mil 338 (primeiro semestre de 2014) – alta de 34%

– Ônibus trafegando com faróis baixos apagados: 1 mil 645 (primeiro semestre de 2015) – 1 mil 565 (primeiro semestre de 2014) – alta de 5,1%

– Ônibus sujos: 832 (primeiro semestre de 2015) – 1 mil 335 (primeiro semestre de 2014) – queda de 73,67%

– Outras penalidades somadas: 16 mil 569 (primeiro semestre de 2015) –21 mil 693 (primeiro semestre de 2014) – queda de 23,62%

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

8 comentários em Multas às empresas por descumprimento de partidas crescem 72,79%

  1. Mas será q essas MULTAS são descontadas da remuneração das Empresas…Mesmo??? P q tantas reincidências ?? ;/

  2. Adamo, durante o dia eles descumprem 20 partidas e são multados em apenas 01, e vantagem não cumpri-las, a fiscalização e corrompida, as reclamações não representam a verdade, os que denunciam são uma minoria, a maioria ve o transporte publico com um favor do estado, infelizmente o povo simples e tratado de uma forma que eles desconheçam os seus direitos, você ainda ouve nas filas as pessoas dizerem que o transporte e ruim mas graças a Deus ainda tem, ele ainda acham que é Deus que nos da esta porcaria de transporte, ai você tira uma ideia da ingenuidade deste povo..

  3. Amigos, boa noite.

    E de quanto e multa pela lenga lenga e atraso da licitacao do buzao.

    As faturas dos articuladinhos se nao comecarao a vencer, ja venceram.

    E ainda querem que coloquem todos os buzoes na rua ????

    Caiam na real, de filantropia nem a Santa Casa se mante.

    Noooooooossa.

    Att,

    Paulo Gil

  4. Quero ver é cumprir os horários nessa cidade dos congestionamentos quilométricos. Fácil reclamar de atrasos, mas quero ver quem tem culhão pra sentar ao volante de um onibus e cumprir uma jornada estressante e perder boa parte do tempo da viagem parado num transito mergulhado em oito milhões de veículos.

    • Marcelo, existem regras para serem seguidas. Não importa quem trabalha e aonde.

      Você teria culhão de ser policial e enfrentar uma lei contraditória, uma sociedade que não te apoia 100% e os riscos de morrer? VocÊ teria culhão de ser professor e enfrentar alunos que saem de casa pensando que a sociedade é contra eles? Teria culhão de ser médico e ter uma vida na sua mão?

      Todo trabalho tem suas exigências. Seu trabalho não é pior que qualquer outro. Claro que motoristas de ônibus sofrem estresse, e o ideal seria o respeito de todos. Mas se VOCÊ não se dá o respeito, seja das leis, seja das pessoas, ninguém vai te respeitar também.

      Não use uma resposta de esquiva como desculpa para não trabalhar.

      • Os horários tem que ser cumpridos é claro, mas com esse transito voces continuam achando que é possivel? Ou parece que não conseguiram entender o que eu escrevi? Os Médicos e Policiais também fazem o possível em suas profissões.
        Se o motorista chega 5 minutos atrasado no ponto, tem gente que só falta fazer escandalo! Eu dia destes cheguei no ponto de ônibus as sete e cinco da noite, O ônibus que eu pego passa entre sete e vinte e sete e meia. Geralmente passa as sete e vinte e cinco!
        Uma sujeita chegou no ponto depois de mim, e pegamos o mesmo ônibus. Ela simplesmente disse ao motorista que estava lá esperando por DUAS HORAS…
        Ela ficou esperando por no máximo 20 minutos!!! E tem que ver se estas reclamações procedem mesmo ou é invenção de muita gente por aí, que sabemos que gosta de aumentar mesmo.
        Hoje com GPS nos ônibus dá pra saber se o motorista se atrasou mesmo. Porque não dá pra confiar no que o passageiro diz, na maioria dos casos. Eu provo isso porque não é a primeira vez que eu vi isso… ”duas horas”.

  5. Mais as multas são pagas?Eis a questão.

  6. MARCELO FAZEM FILAS PARA AS VAGAS DE MOTORISTAS, HORARIOS SÃO PARA SER CUMPRIDOS POR TODOS AI SE INCLUEM MOTORISTAS, SE NÃO ESTA CONTENTE DESOCUPA O BANCO.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: