Tatto diz que se “lotações” pararem, haverá consequências do ponto de vista legal

greve lotação

Ônibus de empresa formada a partir de cooperativas. Tatto diz que haverá consequências jurídicas se companhias pararem.

Secretário municipal dos transportes afirmou não acreditar em paralisação do subsistema local na próxima semana. Em entrevista à Rádio Estadão, Tatto ainda falou sobre licitação e ajuda da prefeitura para o Metrô

ADAMO BAZANI

Aproximadamente três milhões e meio de passageiros podem ser prejudicados na próxima semana caso os donos de empresas de ônibus que atendem o subsistema local da cidade de São Paulo paralisem as atividades.

Em entrevista à Rádio Estadão na manhã desta quarta-feira, dia 03 de setembro de 2015, o secretário municipal de transportes da cidade de São Paulo, Jilmar Tatto, disse não acreditar que estas empresas, que surgiram das cooperativas, parem em protesto, mas se isso ocorrer, haverá consequências do ponto de vista legal.

“Se empresário parar, é locaute, é proibido por lei. Não acreditamos que isso (a paralisação) ocorra, mas se concretizar têm medidas legais. Não tem sentido empresário de ônibus parar a cidade” – disse Tatto que também afirmou “que no passado”, a cidade já enfrentou paralisações motivadas por donos de empresa de ônibus.

As empresas do subsistema local que reúne as linhas dos bairros com ônibus de menor porte reclamam da correção dos contratos abaixo do que teria sido prometido pela prefeitura.

Segundo os donos destas empresas, no mês de julho foi acertado com a prefeitura um reajuste de 11,28% no valor dos contratos, mas depois o poder público anunciou que o reajuste seria de 6,82%.

Segundo as empresas, além de o valor ser inferior ao combinado, o reajuste não é suficiente para cobrir os custos de operação.

De acordo com o mais recente dado sobre demanda da SPTrans – São Paulo Transporte, entre janeiro e julho deste ano, o subsistema local transportou 703 milhões 886 mil 376 passageiros. Já o subsistema estrutural atendeu a 952 milhões 962 mil 814 passageiros. Nos sete primeiros meses deste ano, os ônibus municipais de São Paulo tiveram 1 bilhão 656 milhões 849 mil 190 registros de passagens.

Da atual frota de 14 mil 778 ônibus, 8 mil 844 são do subsistema estrutural e 5 mil 934 do local.

LICITAÇÃO E METRÔ:

Na entrevista, Jilmar Tatto, também afirmou que a licitação dos transportes coletivos, que vai determinar o modelo de operação e de constituição das empresas, pode auxiliar na redução dos custos do sistema, mas não disse os impactos desta redução no valor das tarifas.

O secretário disse que o edital definitivo pode ser publicado ainda neste mês.

Ele afirmou ainda que a redução da TIR – Taxa Interna de Retorno para as empresas dos atuais 18% para 9,97%  vai baratear os serviços, assim como as faixas de ônibus que aumentam a fluidez dos veículos, diminuindo gastos com combustíveis e mão de obra ociosa, por exemplo.  Mas Tatto ressaltou que novos equipamentos e veículos mais modernos também refletem em mais custos. Foi uma referência também aos “superarticulados”, de 23 metros, cujo preço está em torno de R$ 800 mil cada veículo.

Jilmar Tatto ao ser questionado sobre o motivo de a prefeitura não auxiliar o Governo do Estado para a expansão do metrô, como ocorreu em administrações passadas, disse que o poder municipal ajuda sim e que liberou repasses de verbas na ordem de R$ 400 milhões para a rede metroferroviária, em especial para a linha 15 Prata do Monotrilho na zona Leste. Tatto lamentou o fato de a linha não ter mais uma previsão para chegar à região de Cidade Tiradentes, depois de o governo do estado anunciar que vai priorizar as estações cujas obras já começaram.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

4 comentários em Tatto diz que se “lotações” pararem, haverá consequências do ponto de vista legal

  1. Amigos, boa noite.

    Este filme já passou várias vezes e muitos já assistiram.

    Eu assisti a versão exibida no início da década de 80, e o “fim” dessa versão do século XXI, todos já sabem qual será.

    Serão duas reprises:

    A do filme e a do final dele, ambas iguais ao início da década de 80.

    Aguardem.

    Isso não é o pulo do macaco.

    “ESSA É A MORDIDA DO TUBARÃO”

    “iNHACTi” …

    Mordeu ?

    Sim.

    Nossa !!!

    Tão rápido ?

    Rapidíssimo.

    PREVISÍVELLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL !

    “THE END”

    Att,

    Paulo Gil

  2. Vai mesmo prejudicar a população como sempre infelizmente.

  3. Aquela mesma história de sempre, a população sempre paga o pato,e já sabemos que vai acontecer,vandalismo e não deixa os ônibus rodar,na minha opinião é já que não pode mais cooperativa,passa este pessoal pra trabalhar nas empresas de ônibus de verdade,eles ficam registrados e com emprego e a prefeitura passa estas linhas pras empresas responsáveis de cada área.
    Mas infelizmente funciona diferente as coisas,3 leões estão na mesma jaula,os perueiros,o grupo ruas e o grupo belarmino,estes comandam o transporte de sampa, e a licitação vai continuar com eles.

  4. Ele Tatto) como dono por debaixo dos panos que deve estar motivando essa paralização e se fazendo de salvador da pátria com ameaças de retaliação ….

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: