Haddad quer aproximar pontos de ônibus para facilitar trocas de linhas

ônibus

Ônibus em São Paulo. Paradas vão seguir lógica de conexão do metrô

Aproximadamente 160 locais da cidade, a maior parte em grandes avenidas, devem ter o novo modelo. A ideia é seguir a lógica das conexões do Metrô

ADAMO BAZANI

A licitação dos transportes na cidade deve alterar aproximadamente 30% das 1 mil 387 linhas de ônibus na cidade. Um dos objetivos é reduzir o número de sobreposições. Assim, em alguns casos, os passageiros podem fazer mais de duas trocas de ônibus por sentido que estiver viajando.

Diante disso, a prefeitura estuda um novo modelo de paradas de ônibus em 160 locais da cidade, aproximadamente, em especial nas proximidades de cruzamentos de vias de maior movimento.

Estes pontos de ônibus devem formar uma rede e conexões entre as linhas.

Para facilitar a troca de ônibus, os abrigos serão mais próximos uns dos outros e ficarão mais perto também das esquinas nos cruzamentos. Também devem ser identificados pelas letras A, B, C e D – uma letra em cada esquina do cruzamento. Isso deve permitir, segundo a prefeitura, uma lógica para os passageiros fazerem as conexões.

Demarcações nas caçadas e os trajetos entre os pontos devem auxiliar os passageiros a entenderem como as linhas são conectadas e de que forma prosseguir a viagem.

Assim como as estações de Metrô, os pontos terão nomes alusivos ao local onde estão instalados e totens maiores com mapas e relações de linhas fazem parte da reformulação.

A integração tarifária vai continuar pelo Bilhete Único.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

9 comentários em Haddad quer aproximar pontos de ônibus para facilitar trocas de linhas

  1. Poxa más só agora que resolveram fazer isso, porque é uma verdadeira maratona para fazer uma conexão principalmente entre linhas que ligam uma região da cidade com outra. As vezes é preciso andar 2,3 e as vezes até 4 quarteirões para pegar outro onibus. Por essas e outras é melhor continuar no carro.

  2. É uma proposta bem interessante, porem precisa ver se isso vai funcionar. Porque realmente as vezes andamos quilometros de um ponto a outro.

  3. JOÃO AYRTON LAMBIASE // 31 de agosto de 2015 às 20:33 // Responder

    Honestamente, me dá medo, agora ele quer mexer com os pontos de onibus. olha lá, que vai ser uma segunda ciclovia

  4. Parece interessante a ideia. na Paulista x Consolação isso meio que ja acontece e fica bem mais fácil pro usuário dar continuidade a seu trajeto; Na Pça. Don Gastão x Juscelino X Santo Amaro também deu muito certo…. Tomara que façam bem feito e bem informado os novos modelos de integrações inter viárias ..

  5. Quem comenta aqui acho que nem pega ônibus. Tá loco, a proposta é para melhorar, mas vem os que atrapalham o trânsito com automóvel (com ele sozinho) pra dar pitaco. Sai pra lá seus zicas.

  6. Amigos, boa noite.

    Já temos muitos pontos uns próximos aos outros.

    A cidade não tem espaço físico para a aplicação desta ideia; portanto mais uma “coisa” natimorta.

    Até porque aproximar das esquinas esses “PONTÕES”, vai ser tecnicamente inviável e ilegal, basta ler o CTB – Código de Trânsito Brasileiro e a legislação de trânsito.

    A licitação é um procedimento legal, porém não mais aplicável ao buzão, haja visto que a ANTT já admitiu isso e já adotou outro procedimento.

    Pois bem, antes de qualquer medida desse tipo, há de se ter em mãos um estudo técnico racional onde seja aplicado o conceito matemático básico ensinado pela Tia Cotinha de que a menor distância entre dois pontos é uma reta.

    Mas lembrando, esses dois pontos não se referem a dois pontos de ônibus.

    Aplicado o conceito matemático básico, considerando-se os AEROTRENS em breve e criando uma rede de ligação com micros VAPT VUPT e não esses trambolhões articulados de mais de 20 e tantos metros e sem fazer nenhuma licitação, com certeza teremos um melhor rendimento e praticidade no buzão de Sampa.

    Depois de feito isto, ai sim pode ser “pensado e rascunhado” mines terminais de
    conexões.

    Antes que alguém fale.

    Sampa não há corredor BRT para os articuladinhos trucadinhos de sucesso, enviem eles para realmente onde há BRT´s; Goiania; RJ, Uberlândia e Recife.

    Aproveitando a oportunidade, tirem as máquinas de vender doces dos articuladinhos trucadinhos de sucesso e coloquem máquinas de carregamento de créditos automáticas.

    E cadê as tomadas para os passageiros do buzão carregar seus celulares.

    Um dia o buzão chega lá, só não sabemos quando.

    Att,

    Paulo Gil

    • Complementando:

      “O conceito matemático básico ensinado pela Tia Cotinha de que a menor distância entre dois pontos é uma reta” a que me referi no comentário acima, tem de ser usado obrigatoriamente para a definição racional das linhas do buzão de Sampa.

      Prioritário também: retirar catracas e monte de ferros ao seu redor e fazer o embarque pré pago, seja lá de que forma for.

      Após pode-se pensar em “perfumarias”.

      Att,

      Paulo Gil

  7. Bem lembrado Paulo Gil!
    Pra funcionar estas importantes e necessárias medidas precisam ser muito bem estudadas.
    Todos sabem que ESTUDAR e PLANEJAR não são palavrinhas do gosto ou uso frequente do Haddad, portanto precisa ficar bem atento. Nada difícil ele sair por aí pintando A, B, C e D em esquina e diminuindo a velocidade pra 20 km/h “pela segurança”!!

    • Luiz Vilela, boa noite.

      Creio que muito em breve, todos em Sampa passarão a se locomover de Camelos, assim diminuirá a velocidade, a poluição e estes suportarão a crise hídrica sem estresse.

      O futuro transporte Verde de Sampa.

      Assim, nem precisa se preocupar em incluir a questão do buzão verde na licitação.

      Abçs,

      Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: