Marcopolo desenvolve “micrão” Ideale especialmente para enfrentar asiáticos

Ideale Class

Ideale Class, modelo de dimensão reduzida, aposta da Marcopolo contra ônibus asiáticos.

Ideale Class vai ser comercializado no Chile

ADAMO BAZANI

Um modelo “micrão”, que trata-se de uma versão de um ônibus já produzido pela encarroçadora brasileira, com dimensão menor, é a aposta da Marcopolo no Chile para fazer frente a atuação de ônibus asiáticos, em especial os produzidos na China e que são vendidos no País.

O Ideale Class tem 10,30 metros de comprimento, sendo o menor oferecido pela marca na categoria fretamento no mercado chileno.

O ônibus é indicado para rotas de curta ou média distância.

A capacidade é para 39 passageiros e, entre os diferenciais, a carroceria conta com porta pantográfica, ar-condicionado e design, segundo a Marcopolo, indicado para turismo ou fretamento receptivo.

A unidade apresentada a cerca de 700 frotistas é encaroçada sobre chassi MAN 15-230 OT Euro V, motor traseiro de 230 cv de potência e tecnologia EV – sem tanque de ureia (adblue).

As luzes de direção são de LED, a grade dianteira é de padrão “colmeia”, as grades inferiores do para-choque dianteiro são de plástico injetado e há faróis de neblina como opcional.

Além de fazer frente aos asiáticos, o objetivo do veículo com a dimensão reduzida é permitir mais agilidade no trânsito urbano e adequar o uso de um ônibus a quantidades menores de passageiros transportados em turismo receptivo.

“Procuramos pensar em todos os aspectos antes de apresentar o novo veículo para os clientes chilenos. O ônibus Ideale é reconhecido no mercado pela sua qualidade, conforto, segurança e vantagens operacionais. A versão Class mantém as mesmas características aliadas às vantagens do menor comprimento e maior padrão de sofisticação”, enfatiza o diretor de operações comerciais da Marcopolo, Paulo Corso, em nota à imprensa.

A Marcopolo não informou se há planos desta versão para o mercado brasileiro.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Marcopolo desenvolve “micrão” Ideale especialmente para enfrentar asiáticos

  1. Seria como uma exumação do MIDUSS (falida Busscar)? Novos produtos não são antidotos fortes suficientes contra os asiáticos. É preciso investir na inteligencia dos projetos e principalmente dos PROCESSOS de fabricação e montagem, para sermos mais competitivos e melhores que os asiáticos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: