Alckmin descarta Expresso ABC e outras obras de mobilidade de PPP

trem cptm

Trem da linha 10 Turquesa. Uma das obras que não vão contar com PPP e devem atrasar é o Expresso ABC, que reduziria a lotação da linha atual e poderia reduzir o tempo de viagem entre a Capital e a região do ABC

Ao todo foram 32 projetos, a maioria relacionada aos transportes públicos. Alguns devem mudar de modelo de contratação e outros foram engavetados

ADAMO BAZANI

As tão anunciadas PPP – Parcerias Público Privadas pelo Governo de Estado devem ter uma redução nos próximos anos, mudando de modelo de execução e, dependendo de cada caso, com o risco até mesmo atrasos no início ou conclusões das obras.

Decisão do Conselho Gestor das PPPs, publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo, edição de sábado, exclui 32 projetos do modelo sob a alegação de que outras formas de contratação seriam melhores por causa da situação econômica do estado e do país e devido às mudanças de marcos regulatórios.

A maior parte destes projetos que não vão ser feitos pelas PPPs  é relacionada à mobilidade urbana e já tinha sido anunciada pelo governo do estado, somando 11 propostas como corredores de ônibus, linhas de trens e de metrô.

É o caso do Expresso ABC, promessa feita em 2006 por Alckmin. A linha de trem, com 25,2 quilômetros de extensão ligaria a região da Estação da Luz, no centro de São Paulo, ao município de Mauá, no ABC Paulista, sendo uma alternativa para diminuir a lotação da Linha 10 Turquesa da CPTM, já que seguiria paralela. Seriam menos paradas, tornando a viagem mais rápida. O atendimento seria nas estações Mauá, Santo André, São Caetano do Sul, Tamanduateí, Brás, Luz.

A linha 19 Celeste do Metrô, com 25,9 quilômetros, prevista para ligar o Campo Belo, na zona Sul, à estação CECAP, na cidade de Guarulhos, e a linha 20 Rosa do Metrô, com 12,3 quilômetros, entre o bairro da Lapa, na zona Sul, e Moema, na Zona Sul são outros exemplos de que não dever haver PPP.

Entre outras obras de mobilidade que não devem ser incluídas no PPP estão:

– Corredor de Ônibus Antônio João – Alphaville – Santana do Parnaíba. Em 09 de dezembro de 2012, a Promon Engenharia Ltda., Ballard Power Systems, Linde Gases Ltda. e CAIO Induscar Indústria e Comércio, entregaram ao Conselho Gestor do Programa de Parcerias Público-Privadas do Estado de São Paulo uma Manifestação de Interesse da Iniciativa Privada (MIP) para Estudos para Implantação de Corredor de Ônibus a Hidrogênio, de acordo com nota do Governo do Estado naquela época.

– Expresso Bandeirantes: linha de trem entre São Paulo e Campinas, engavetada em 2008 pelo então governador José Serra.

– Expresso Jundiaí: linha de trem com 45 quilômetros de extensão entre São Paulo e Jundiaí

– Expansão e Operação Linha 2 Verde do Metrô

– Manutenção e modernização da Linha 7 Rubi da CPTM

– Monotrilho Portuguesa Tietê – Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos

Algumas destas obras devem ser readequadas e outras não possuem mais previsão.

Mesmo as intervenções ainda a ser incluídas em PPP devem passar por reformulações na forma como devem se contratadas. O Estado de São Paulo teve uma queda de arrecadação de 2,9% neste primeiro semestre em relação a igual período de 2014. Isso se deu, principalmente pela redução das atividades econômicas devido à crise brasileira, que impacta no nível de arrecadação de impostos. Ainda por causa da crise, os investimentos da iniciativa privada têm sofrido retrações.

Além de obras de mobilidade, foram excluídas do regime de PPP ou engavetadas intervenções relacionadas aos recursos hídricos, como processo de dessalinização, construção de moradias populares, geração de energia elétrica, construção de operação de presídios e gestão e operação de unidades do Poupatempo.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

3 comentários em Alckmin descarta Expresso ABC e outras obras de mobilidade de PPP

  1. Bom dia de frio a todos!

    Estilo do PSDB de governar… Governo mínimo e o mínimo que tem,não é executado.

    Trouxas somos nós paulistas, que pagamos tudo em dobro (Exemplo, IPVA para rodovias e ainda pagamos pedágio… Seguro de veículos, quando nossos impostos também são destinados à segurança pública).

    E ainda elegemos uma pessoa desta. Engraçado, que muitos dos que o elegem, não usufruem dos serviços prestados pelo Governo, devido a precariedade destes, mas… ele tem berço, estilo educado, fino, elegante… A Classe Média, Alta, Mídia, piram!!!

    Espero que em 2086, quando eu tiver meus 100 anos (Que Deus permita, com saúde e vocês também), possamos usufruir de alguma linha projetada em 1970…

    Abraços,

    Gerson Carvalho

  2. Talvez o excesso de obras simultâneas que este Governador colocou em andamento (linhas 2,4,5,6,9,11,13,15,17 mais algumas estações em reforma na 7) esteja trazendo dificuldades financeira com a queda da arrecadação do estado mais a falta de verbas que deveriam vir do governo federal, atrasadas em razão da crise Brasileira.
    Mas devemos lembrar da solução em PPP da linha 8 que apresenta bons resultados operacionais e da boa operação de linha 4 tambem em PPP, que embora sobrecarregada com o atraso verificado na linha 5, traz muita eficiência.
    Assim, com a cabeça fria deveremos pensar que o planejamento feito com uma boa situação financeira necessita de freio quando o dinheiro diminui.
    Talvez o Governador esteja aguardando outras opções de PPP onde a iniciativa privada invista mais.
    Vamos aguardar, pois não esta escrito acima que o Trem para Santos (que inclui o Expresso ABC) o de Sorocaba e o do Vale do Paraiba (incluindo a ligação com o Aeroporto de S.J. dos Campos) tenham sido descartados.
    abraços

  3. Amigos, boa noite.

    Estas obras, só serão reiniciadas na ante véspera das próximas eleições presidenciais e inaugiradas pelo próximo Presidente do Brasil.

    Allllllllllllllllllllllllguém duvida ??

    PREVISÍVELLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL !

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: