Haddad diz que cronograma de metas vai sofrer alterações

ônibus

Ônibus em São Paulo. Haddad admite que cronograma das metas e investimentos, o que deve incluir os corredores, vão sofrer alterações.

Os prazos para a construção dos corredores de ônibus também devem ser alterados

ADAMO BAZANI

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, disse na manhã desta terça-feira, dia 04 de agosto de 2015, que será necessário reprogramar o cronograma de metas e investimentos do governo municipal.

Isso inclui a promessa de entrega dos 150 quilômetros de corredores de ônibus até 2016, feita durante campanha eleitoral de Haddad, na época postulante ao cargo de chefe do executivo da prefeitura.

Com problemas orçamentários decorrentes da desaceleração econômica, erros em projetos e pelos constantes bloqueios do TCM – Tribunal de Contas do Município às licitações dos espaços para ônibus, a prefeitura se distancia ainda mais da meta.

Nesta terça-feira, Haddad atribuiu parte dos problemas orçamentários ao congelamento das tarifas de ônibus após os protestos em junho de 2013 e a decisão da Justiça em dezembro daquele mesmo ano que impediu a prefeitura aplicar o índice de reajuste que pretendia ao IPTU – Imposto Predial Territorial Urbano. O prefeito criticou a imprensa ao falar destes dois temas.

“Não sei qual é a perplexidade, se desde 2013 vocês (jornalistas) estão sabendo disso. Ou omitiram do leitor ou esqueceram que publicaram… Não estamos abrindo mão de nenhum investimento previsto. Tudo que foi anunciado está sendo, na medida do possível, endereçado para que não haja prejuízo futuro… Foi dito com todas as letras, em junho e em dezembro, que aquelas medidas trariam prejuízo para o programa de metas do ponto de vista de cronogramas” – disse Haddad.

Com a mudança da alíquota de aumento do IPTU, o município, segundo Haddad, deixou de receber R$ 2,5 bilhões. Já por causa da redução e posterior congelamento das tarifas de ônibus, foi necessário colocar R$ 1,7 bilhão em subsídios para cobrir os custos maiores das empresas de transporte coletivo que tiveram gastos como mão-de-obra, diesel, pneus, lubrificantes e preços de ônibus novos em elevação.

A prefeitura publicou no Diário Oficial as metas da LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2016. No entanto, na meta número 93, referente a corredores de ônibus, não foi colocada nenhuma previsão de quantos quilômetros seriam entregues, como antecipou o Blog Ponto de Ônibus. A prefeitura diz que as definições de algumas metas ainda serão informadas à Câmara Municipal para votação em setembro. Confira em: https://blogpontodeonibus.wordpress.com/2015/08/03/haddad-preve-r-15-bi-para-corredores-de-onibus-mas-nao-detalha-total-de-quilometros-que-podem-ser-concluidos/

Um dos entraves financeiros da cidade de São Paulo está prestes a ter solução. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, em acordo com a prefeitura, autorizou o uso do depósito judicial e a troca do indexador da dívida da capital com a União.

No dia 30 de abril de 2015, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região – TRF1 concedeu liminar à cidade de São Paulo para que a presidente Dilma Rousseff colocasse em prática a Lei Complementar 148, que ela mesma sancionou em novembro de 2014.

Pela lei, deve ser usado Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA mais 4% ao ano. Hoje o Governo Federal cobra dos estados e municípios o Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna – IGP-DI mais um valor que varia de 6% a 9%.

Com a aplicação do índice, o saldo devedor do município de São Paulo iria de R$ 64,8 bilhões para R$ 27 bilhões, ou seja, R$ 36,8 bilhões a menos.

A meta de corredores de ônibus em São Paulo ainda sofre com atrasos na liberação das verbas do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento.

Por causa do ajuste fiscal da equipe de Dilma, o PAC foi o programa mais afetado com redução de recursos.

Para São Paulo, há recursos já liberados, mas a prefeitura não consegue sacar porque não tem dinheiro para iniciar as contrapartidas exigidas em cada obra.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

9 comentários em Haddad diz que cronograma de metas vai sofrer alterações

  1. Ádamo uma obra tão importante como a construção do túnel exclusivo para ônibus no parque dom pedro que faz parte do corredor da av. radial leste está parada. Passo em frente todos os dias e a pelo menos quatro meses não vejo uma alma penada trabalhando no local. Só ficaram as máquinas e as estruturas de ferro que estão apodrecendo com o tempo. Por acaso você tem alguma informação sobre a continuidade ou não desta obra??? É lamentável dinheiro público sendo desperdiçado. Abraços.

  2. Amigos, boa noite.

    Uma coisa é certa. nesta gestão nada de importante do buzão será entregue, por falta de tempo hábil.

    Exceto as inaugurações de última hora pré eleição de algumas reformas de algo já existentes.

    Enquanto isso Sampa.

    Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

    Até a próxima, essa já era.

    Att,

    Paulo Gil

  3. Nossa ! Como São Paulo é atrasada em Transportes…ainda mais no de pneus! Ridicula a situação! P q não cortam suas regalias e uns cargos de confiança…e outros gastos inuteis??

  4. E fácil criticar que tal pensar o que os outros prefeitos fizeram e licitaram na época de vacas gordas?Acho que nada,quem olhou pra ZL foi o Haddad,porque aqui sempre foi renegado quanto a corredor,agora pegar a prefeitura sem verba em caixa,depender do PAC que foi cortado pela Dilma não e tão simples assim,tem o governo do estado ai a 20 anos não esqueçam.

  5. Adamo o Haddad conseguiu diminuir a divida do estado com a união.creio que assim sobrara mais verbas para os corredores,vi a noticia no G1.

    • Sim amigo, nós também recebemos a notícia e colocamos neste post. É o acordo extrajudicial com o Levy “Um dos entraves financeiros da cidade de São Paulo está prestes a ter solução. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, em acordo com a prefeitura, autorizou o uso do depósito judicial e a troca do indexador da dívida da capital com a União.”

  6. não é a toa que na recente pesquisa de intenção de voto o Haddad está em quarto lugar com apenas 9% de intenção de votos.
    prometer na campanha eleitoral é fácil, depois é que vemos a capacidade administrativa do sujeito na prática.
    Haddad não deu certo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: