REUNIÃO NA SEGUNDA: Haddad “estranha” fato de aliado no TCM barrar licitação de corredores de ônibus

ônibus

Ônibus em São Paulo. Haddad diz que vai superar problemas apontados pelo TCM e estranhou o fato de conselheiro aliado político barrar o certame sem avisar antes sobre as falhas. Foto : Adamo Bazani.

Haddad diz que problemas que travaram mais uma vez licitação de corredores são “superáveis”

Prefeito vai se reunir com o conselheiro do TCM que deu parecer desfavorável aos editais de duas obras que contemplam três trechos de espaços para ônibus

ADAMO BAZANI

O prefeito de São Paulo, Fenando Haddad, disse neste sábado, dia 1º de agosto de 2015, que os problemas apontados pelo TCM – Tribunal de Contas do Município que barrou a licitação de três trechos de corredores de ônibus, somando 44,4 quilômetros, são “superáveis”.

Na segunda-feira, dia 3, Haddad deve se reunir com o conselheiro João Antônio da Silva Filho, responsável pelo parecer contrário ao edital, para esclarecer as supostas irregularidades apontadas por uma auditoria do TCM.

Não há prazo para a retomada da licitação, mas a medida do tribunal deve distanciar ainda mais a prefeitura do cumprimento da meta de 150 quilômetros de corredores de ônibus entregues até o final de 2016.

O órgão de fiscalização de contas encontrou sobrepreço na ordem de R$ 47 milhões e possibilidade de pagamentos indevidos que somariam R$ 69 milhões.

Ao todo, os três trechos de corredores custariam R$ 1,2 bilhão. É a terceira vez que a licitação para estas obras é barrada pelo TCM.  A abertura das propostas deveria ocorrer no dia 06 de agosto.

Os corredores compreendidos são:

– Corredor Perimetral Itaim Paulista/São Mateus, somando 18,2 km (dois trechos)

– Corredor Radial Leste, de 9,6 km (um trecho), além de um terminal na região de São Mateus, na zona Leste.

– Corredor Perimetral Bandeirantes/Salim Farah Maluf, totalizando 16,6 km (dois trechos).

O conselheiro João Antônio era considerado aliado político de Haddad, tendo sido Secretário de Relações Institucionais e ainda é filiado ao PT – Partido dos Trabalhadores, o mesmo do prefeito. A mudança da responsabilidade pelas obras da SPTrans e da SPObras para a Siurb –Secretaria de Infraestrutura Urbana foi apontada como uma tática da prefeitura para evitar mais entraves aos editais de corredores de ônibus. Quem analisa as licitações da SPTrans e da SPObras é o vice-presidente do TCM, Edson Simões, que seria de corrente política diferente de Haddad.

O TCM sempre alegou as decisões dos conselheiros são técnicas, não havendo motivações políticas.

O prefeito disse em entrevista neste sábado que estranhou a postura de João Antônio.

“Eu até estranhei e telefonei para o conselheiro. Perguntei se era alguma coisa insuperável. Ele me disse que não, que são só alguns esclarecimentos, que talvez a gente tenha que fazer um ajuste ou outro no edital, mas nós entendemos que é tecnicamente superável” – comentou Haddad.

SOBREPREÇO:

De acordo com auditoria do TCM, o sobrepreço na ordem de R$ 47 milhões foi verificado em diversos pontos dos editais de licitação dos 44,4 quilômetros de corredores de ônibus.

O maior deles foi em relação à estruturas metálicas para as estações. Segundo o TCM, a fabricação, montagem, pintura dos materiais de aço sairiam R$ 39 milhões mais caras que o preço de mercado.

Já o excesso de serviços diversos em dois lotes encarecia o valor das obras em R$ 5 milhões. A remuneração para o administrador local extrapolaria em R$ 2,7 milhões o valor estipulado pelo TCM.

Divergências entre as tabelas de orçamento da prefeitura e os valores propostos nos editais, e em relação à data-base para a tomada dos preços de referência, além de falta de documentação foram outros problemas relatados pelo órgão de contas nestes processos licitatórios.

Desde o início da gestão, Haddad não consegue aprovações do TCM para as obras de corredores de ônibus.

O TCM – Tribunal de Contas do Município barrou a licitação de 128 quilômetros de corredores no valor de R$ 4,2 bilhões em janeiro do ano passado alegando que a cidade não mostrou as fontes de recursos para as obras. A prefeitura então cancelou todas as licitações em dezembro.

As incompatibilidades entre prefeitura e TCM não se limitam às obras de mobilidade urbana. Desde janeiro, foram 17 licitações barradas pelo Tribunal de Contas do Município.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

6 comentários em REUNIÃO NA SEGUNDA: Haddad “estranha” fato de aliado no TCM barrar licitação de corredores de ônibus

  1. João Ayrton Lambiase // 1 de agosto de 2015 às 20:22 // Responder

    O que travou foi o superfaturamento em r$ 40.000.000,00 na licitação, ouvi no noticiário hoje, ou seja, pelo visto os ratos cntinuam soltos.

  2. Só complementando,o corredor Radial Leste que se refere e o trecho 3 que ligara Itaquera a Guainanses,não engloba o trecho 1 e 2 que atualmente estão em andamento,o trecho 1 na estação Pedro II e o trecho 2 segundo meu contato com a SPObras esta na justiça as desapropriações,quanto ao barramento não e novidade,se esclarecer dará certo e ponto,veremos.

  3. Amigos, boa noite.

    Adamo, muito oportuna a foto.

    Pelo visto em breve eles estarão de volta.

    Att,

    Paulo Gil

  4. Nós de cooperativas continua na mesma sem registro sem direitos o assunto é so corredor onde está licitação é bom ter palavra de homem isto é para molequi nós somos passado por troxa e troxa….

  5. porque a prefeitura não faz o inverso, pede para oTCU elaborar a licitação, será que haverá impugnação????

  6. É…GOSTEI DESSA! MUITO BEM! ISAURA COUGO! Q O TCU FAÇA TUDO! AÍ VEREMOS O QUANTO O PT E SEUS ASSECLAS GARFARIAM SP/SP! TRANSPORTE E TRATAMENTO E COLETA DO LIXO…ETERNAS FONTES DE “TRETAS” EM SP/SP E GRANDE SP!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: