Cai satisfação do consumidor em relação aos transportes metropolitanos no País

satisfação transporte metropolitano

Ônibus metropolitano em São Paulo. Índice Nacional de Satisfação do Consumidor aponta que serviços de transportes metropolitanos não atendem às necessidades da população no País.

Índice é de 26,3%, segundo o Índice Nacional de Satisfação do Consumidor, da ESPM, bem abaixo da média nacional, que é de 57,8%

ADAMO BAZANI

Atualmente, o cidadão está cada vez mais exigente e não só é consciente de seus direitos como consumidor, mas também com o auxílio de redes sociais e sites especializados, consegue manifestar sua posição e opinião em relação aos bens e serviços oferecidos tanto pelo poder público como pela iniciativa privado.

E é esta percepção que tentar apurar o INSC – Índice Nacional de Satisfação do Consumidor, criado em 2007 pela ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing, que a partir das opiniões na internet sobre diversos setores da economia calcula a qualidade dos bens e serviços sob a ótica do consumidor.

Um destes setores é o Transporte Metropolitano, incluindo ônibus, trens e metrô.

De acordo com o resultado mais recente, com base em dados de junho deste ano, o índice de satisfação com o transporte metropolitano em todo o País é de 26,3%. O número é bem inferior ao índice geral de satisfação do consumidor que em junho fechou em 57,8%.

O INSC é apurado todo o mês e, em junho, levantou a satisfação dos consumidores de 23 setores da economia.

Lotação, linhas incompatíveis com as necessidades de deslocamento e, principalmente, falta de confiabilidade, com atrasos e não cumprimento de partidas e itinerários estão entre os principais motivos de queixas sobre os transportes metropolitanos na internet.

Em relação aos transportes sobre trilhos, as principais reclamações são sobre lotação e atrasos referentes a panes. Já em relação aos ônibus, lotação e não cumprimento de horários estão entre as principais queixas que podem ser acompanhas na internet.

No caso de transportes públicos, a qualidade e confiabilidade dos serviços depende basicamente de dois agentes: o operador, que pode ser público ou privado, e quem oferece a infraestrutura para a prestação dos serviços, que no País, ainda a responsabilidade do poder público é a maioria.

Este dois agentes devem tratar o passageiro como consumidor, ou seja, conquistar o cliente. Hoje facilmente o transporte público pode perder clientes, já que é notória a migração de passageiros para os transportes individuais. Mesmo com a atual crise econômica, ainda é possível financiar carros usados e motos com parcelas mensais menores muitas vezes que os gastos com transportes públicos.

Um exemplo de que o poder público e o agente privado devem trabalhar juntos em prol da satisfação do consumidor é a operação de ônibus. Cabe às empresas oferecer ônibus novos, limpos, com motoristas e cobradores capacitados a atender os passageiros, e é papel do poder público priorizar os transportes coletivos no espaço urbano, evitando que os ônibus fiquem presos no trânsito, fiscalizar a qualidade dos serviços e remunerar de forma justa o operador de transportes.

Segundo o INSC, a satisfação dos passageiros/consumidores em relação aos transportes metropolitanos tem caído. Se em junho, o índice foi de 26,3%, em maio foi de 28,5%, em abril 29,7% e, em março 33,8%.

A ESPM explica a metodologia da pesquisa:

“Primeiro, um ferramental baseado em Data Mining procura assuntos previamente selecionados, em toda a internet. Posteriormente, um software captura palavras-chave presentes nas opiniões publicadas pelo consumidor. O resultado dessa coleta é uma amostragem estatisticamente válida e representativa da população analisada. A partir dessa amostragem, calcula-se o sentimento dos depoimentos, que são classificados de acordo com as três variáveis que compõem o Índice (descritos em “Como medir a satisfação”), que são a base da fórmula de cálculo do Índice. O INSC é, portanto, uma resultante da ponderação pela participação de mercado de cada setor econômico, formado por uma ou mais indústrias. Cada indústria é composta pelas respectivas quatro maiores empresas.”

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes.

4 comentários em Cai satisfação do consumidor em relação aos transportes metropolitanos no País

  1. com essa AREA 5 DA EMTU/RMSP-SP… queriam o q?? ônibus com mais de 14 anos rodando…Mafia, esvaziamentos de Licitações…Para com isso!

  2. Amigos, boa noite.

    O incrível ou drástico é que os problemas são sempre os mesmos.

    Errar é uma persistir no erro é faturamento.

    Mais uma que está explicado.

    Complementando:

    Passageiro não é só Consumidor.

    O passageiro é Consumidor, Cliente e principalmente CONTRIBUINTE.

    Precisa desenhar ???

    Att,

    Paulo Gil

  3. Sonho com o dia que teremos ônibus parecidos com estes da França aqui no Brasilhttps://youtu.be/zbaJcuCI-_M

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: