ENTREVISTA: Haddad diz que TCM contestou 44,4 km de corredores por questões burocráticas

ônibus são paulo adamo bazani

Ônibus em São Paulo. Haddad diz que TCM barrou licitação ao fazer exigência que nem a União faz para liberação de verbas. Foto: Adamo Bazani

Haddad diz que licitação de 44,4 km de corredores de ônibus foi contestada pelo TCM por questões burocráticas

Prefeito de São Paulo diz que Tribunal de Contas do Município entendeu que município não poderia exigir pré-qualificação das empresas participantes

LUIZA SILVESTRINI – CBN

OUÇA A REPORTAGEM:

 

Pendências em tribunais de contas podem pôr em risco a meta da Prefeitura de São Paulo para a construção de 150 quilômetros de corredores de ônibus na capital. Até agora, pouco mais de um ano antes da conclusão do mandato de Fernando Haddad, apenas 40 quilômetros foram entregues. Outros 60 estão em obras, mas têm atrasos nos cronogramas. E pelo menos 44 ainda aguardam licitação.

A entrega 44,4 quilômetros de corredores de ônibus nas zonas leste e sul e de um novo terminal na zona leste de São Paulo deverá sofrer mais um atraso devido a falhas nos projetos.

Os processos de licitação de trechos como o da Radial Leste e das avenidas dos Bandeirantes e Salim Frah Maluf foram alvo de questionamentos do Tribunal de Contas da União.

Segundo a Prefeitura, o atraso vai ocorrer devido a um desentendimento sobre o dispositivo de pré-qualificação, que avalia a idoneidade das empresas concorrentes.

O prefeito Fernando Haddad classificou a pendência como burocrática e negou a necessidade de suspensão do processo.

Um levantamento da SPObras obtido pela CBN em abril, porém, mostrou que dos 150 quilômetros de corredores prometidos por Haddad durante a campanha de 2012, apenas 40 foram entregues até agora.

Outros 60 estão em obras, mas vão sofrer atrasos no cronograma devido a dificuldades financeiras. É o caso dos corredores das avenidas Engenheiro Luís Carlos Berrini, na zona sul, e Inajar de Souza, na zona norte da cidade.

De acordo com o prefeito Fernando Haddad, as obras deverão ser entregues em setembro.

Neste fim de semana, a Prefeitura também testou, pela primeira vez, a abertura do Minhocão para pedestres aos sábados.

Porém, ainda não há uma decisão definitiva sobre o fechamento da via elevada para carros neste dia da semana.

Luiza Silvestrini, repórter e apresentadora da Rádio CBN

2 comentários em ENTREVISTA: Haddad diz que TCM contestou 44,4 km de corredores por questões burocráticas

  1. Se realmente houve já o financiamento guardado como foi dito o importante e deixar em curso as obras para o próximo prefeito,pelo menos isso quero ver,quero saber como ficarão as obras do corredor Radial Leste 1 e 2,do 1 esta um pouco devagar não vejo avançar no centro,do 2 as desapropriações nada de ocorrer,Adamo bem que você poderia verificar como esta o andamento disto.

    • Rodrigo, estes trechos devem atrasar também, de acordo com a própria SPObras. Apesar de o prefeito dizer que os recursos estão reservados do PAC, sabemos que o programa funciona como uma compensação de custos inicialmente assumidos pelos governos locais. Há casos em que existem verbas do PAC, mas elas não são liberadas porque as prefeituras ou governos estaduais não tiveram condições financeiras de bancar os investimentos iniciais.
      Vamos tentar nos aprofundar.
      Abraços

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: