Artigo: Por um estado mais receptivo

Serra Negra

Serra Negra, cidade turística de São Paulo. Mobilidade deve ser pensada nos planos dos municípios considerados de interesse turístico

Artigo: Por um estado mais receptivo

O potencial turístico do estado de São Paulo é enorme, contemplado com praias, cidades históricas, gastronômicas, hidrominerais e religiosas. Tamanha potencialidade faz com que esses pontos necessitem ser melhores explorados, principalmente em cidades menores, mas com grande capacidade de receber pessoas de diversas partes do estado e porque não, do país.

E a boa notícia é que o incentivo para abrir o leque desse setor de serviços está começando a crescer. Recentemente o governador Geraldo Alckmin sancionou um projeto de lei que institui no estado a criação de 140 municípios de interesses turísticos. Essa lei dará a chance de explorar os potenciais de cada cidade, gerando emprego, renda e uma nova visão de São Paulo como um forte ponto de destino.

Para concorrer a esse grupo, cada município precisará preencher alguns requisitos, como ter potencial turístico, Conselho Municipal de Turismo, serviço médico emergencial, plano diretor de turismo, por exemplo.

O grande diferencial para consagrar o destino será receber bem o turista. Hoje a proposta é promover uma experiência positiva e não simplesmente uma viagem. Os pretendentes ao status de município de interesse turístico terão que pensar na mobilidade desse público. Em nosso estado temos uma modesta oferta de malha aérea interna e a maioria dos acessos a esses locais será por meio rodoviário.

Planejar bem essa situação é essencial. Se os turistas chegarem de forma coletiva, muito melhor. Menos poluição, impacto no espaço público e maior possibilidade de ordenação dos deslocamentos, o que garantirá uma experiência positiva tanto para viajantes quanto para munícipes que, apesar de almejarem o crescimento de suas cidades, devem ter assegurada sua qualidade de vida.

Pensar na mobilidade do turista dentro dos municípios requer também projetar a infraestrutura para recebê-lo da melhor forma. Ter um local adequado para a parada dos veículos e uma estrutura de embarque e desembarque confortável e segura, faz com que a viagem seja prazerosa e agradável.

E quando o turista se sente bem recebido, inevitavelmente ele indica aos familiares e amigos, gerando sempre mais público ao município. Por isso, quanto mais prefeitos e representantes municipais tiverem esse cuidado com a receptividade, melhor e maior o desenvolvimento local.

Regina Rocha é diretora executiva da FRESP – Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo

1 comentário em Artigo: Por um estado mais receptivo

  1. Amigos, boa tarde.

    Esse tipo de turismo sempre existiu, Praia Grande, Fonte Sonia, Monte Sião, Cachoeira das Emas, Ibitinga e tantos outros lugares; sempre foi o Turismo de final de semana, trabalhado pelas empresas de Turismos ou os autônomos, lotações peruas escolares e outros.

    Conforme consta no post acima:

    “Para concorrer a esse grupo, cada município precisará preencher alguns requisitos, como ter potencial turístico, Conselho Municipal de Turismo, serviço médico emergencial, plano diretor de turismo, por exemplo.”

    Até agora foi bem, claro que a moda da casa; porém se começou a interferência do Poder Público, a coisa vai travar; começa muita exigência para os pequenos municípios que nem um
    Carolina antigão tem para o transporte escolar; quiça toda essa infra solicitada.

    Nada contra melhorias, mas quando estas se iniciam pelas leis e exigências burocráticas, a coisa não vai andar.

    Deixem o que funciona há décadas continuar funcionando; não compliquem o que é simples; e o melhor já funciona.

    Vejam por exemplo a licitação do buzão de Sampa; sequer rodou os primeiros 10 metros.

    Pode deixar que o pessoal que opera hoje, opera muito bem e sem entraves.

    Deixem o público do Turismo popular se divertir, não tirem isso dos paulistas, paulistanos e nem dos brasileiros, todos trabalhadores que só querem ter um final de semana diferente e alegre.

    Um amigo meu há décadas fazia um tur para a Praia Grande e ele dizia:

    Sabe quem desembarca primeiro quando chega na praia ????

    A BOLA.

    Deixem esse lazer continuar acontecendo, não inibam a criatividade e a espontaneidade do provo.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: