Câmara Municipal de São Paulo: “Vale Gestante”, suspensão de rodízio em greve e gratuidade sem farda

ônibus greve

Ônibus parados em protesto de motoristas e cobradores. Projeto de lei prevê suspensão automática do rodízio de veículos em caso de greve dos transportes públicos

Câmara de São Paulo aprova táxi grátis para gestantes e suspensão do rodízio em greve de ônibus

Temas terão de passar por mais uma sessão ou pela análise do prefeito Fernando Haddad

ADAMO BAZANI – CBN

Vereadores da Capital Paulista aprovaram na sessão desta terça-feira, 12 de maio de 2015,  projetos de lei em relação a trânsito e transportes.

Entre eles está a criação do “Vale Táxi Gestante”, PL913/2013, de Jair Tatto, que sugere o transporte gratuito de gestantes prestes a dar à luz em táxis da cidade de São Paulo. O taxista cobraria depois da prefeitura a corrida, comprovando que o atendimento foi para este fim.

O projeto passou em segunda votação e agora depende da sanção do prefeito Fernando Haddad.

Em primeira votação, foi aprovado o projeto de lei do Atílio Francisco, PL 21/2015, que determina suspensão automática do rodízio municipal de veículos em caso de greve de ônibus, trem ou metrô. Assim, não seria necessário esperar análise e decisão da CET – Companhia de Engenharia de Tráfego.

Ainda em primeira votação, foi aprovado o PL 61/2013, de autoria dos vereadores Edir Sales e Coronel Telhada, que determina gratuidade em ônibus intermunicipais para membros da Polícia Militar, da Polícia Civil e da Guarda Civil Metropolitana mediante a simples apresentação da carteira funcional, dispensando a obrigatoriedade de uso de fardas, uniformes ou distintivos. A gratuidade seria válida apenas para os embarques realizados dentro da cidade de São Paulo.

Em segunda votação, os vereadores aprovaram o PL 773/2013, de Pastor Edemilson Chaves, para a criação de mecanismos de consulta e controle externo dos dados do Bilhete Único na cidade de São Paulo.

Já os vereadores Salomão Pereira, Adilson Amadeu, Floriano Pesaro, Gilson Barreto e Ricardo Teixeira, tiveram êxito na primeira votação do PL 395/2010, que permite o uso das áreas de zona Azul por uma hora por taxistas de São Paulo. Este limite de uma hora vale por um dia.

Os projetos aprovados em primeira votação ainda devem passar por mais uma sessão e os que já passaram pela segunda votação seguem para sanção ou veto do prefeito Fernando Haddad.

Ao todo, foram 35 projetos aprovados sobre diferentes temas.

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

2 comentários em Câmara Municipal de São Paulo: “Vale Gestante”, suspensão de rodízio em greve e gratuidade sem farda

  1. Amigos, boa noite.

    Só informando:

    Já existe o SAMU ( 192 ) e o resgate ( 193 ).

    Pelo visto em breve teremos a CMTAXITC.

    Taxistas tenham paciência, pois para receber essa grana vai ser um “parto”.

    Vai comprovar como ?

    Fizeram o “favor” de retirar o recibo eletrônico dos táxis; voltando ao papel de pão…

    Eita modernidade. Tem tecnologia, mas não usam…

    Att,

    Paulo Gil

  2. Vereador se metendo a legislar sobre gratuidade em transporte intermunicipal? A política brasileira é uma piada mesmo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: