Vendas de ônibus registram queda acumulada de 21% em quatro meses

ônibus

Por causa da retração econômica, que reduz o nível de investimento, vendas de ônibus acumulam queda de 21,87%, de acordo com Fenabrave.

Vendas de ônibus registram queda acumulada de 21% em quatro meses

Números da Fenabrave reafirmam um 2015 difícil para indústria e trabalhadores

ADAMO BAZANI – CBN

As vendas de ônibus acumularam queda de 21,87% nos quatro primeiros meses deste ano em comparação com igual período de 2014. Foram emplacados 8 mil 331 veículos de transporte coletivo, tanto urbanos como rodoviários, de janeiro a abril de 2015, ante 10 mil 663 em intervalo semelhante de 2014.

Os dados foram divulgados nesta terça-feira, dia 05 de maio de 2015, pela Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores e indicam mais uma vez o difícil momento econômico vivido pelo Brasil. Há o temor de descontrole da inflação, o ajuste fiscal até o momento tem pesado mais para os trabalhadores, os empresários estão com medo de investir, o endividamento público ainda não foi reduzido de forma significativamente apesar dos cortes, o consumo e renda registram queda e o desemprego já é realidade em diversos segmentos.

O setor de veículos comerciais, como ônibus e caminhões, é o que mais reflete a complicada situação econômica. As vendas destes veículos, que são bens de capital e não de consumo, como os carros de passeio, indicam a disponibilidade e o ânimo para investimentos, que estão muito baixos. E estes investimentos não se resumem à renovação de frota, mas aos outros setores que motivam esta renovação.

Por exemplo. Se há vendas menores no comércio em geral ou uma queda no setor de construção civil, diminuem as necessidades de viagens de caminhões para transportar os produtos ou atuar nos canteiros de obras. Se há menor atividade econômica e desemprego, logo há menos trabalhadores se deslocando constantemente nas cidades, reduzindo a demanda de ônibus e as perspectivas de compra de novos coletivos. Se a população está com renda mais baixa, inicialmente vai cortar gastos como com viagens, passeio e turismo, diminuindo o uso dos ônibus rodoviários.

As vendas de caminhões neste quadrimestre tiveram redução de 38,95% frente aos quatro primeiros meses do ano passado. Entre janeiro e abril deste ano, foram emplacados 25 mil 171 caminhões e no intervalo de 2014, foram 41 mil 209 unidades.

Entre carros de passeio, comerciais leves, caminhões e ônibus, segundo a Fenabrave, foram emplacados 893 mil 750 veículos. O número representa uma queda de 19,19% na comparação com os quatro primeiros meses de 2014, quando os emplacamentos chegaram a 1 milhão 105 mil 940 unidades.

MARCAS:

Em relação às marcas de ônibus, no acumulado dos quatro meses do ano, chama a atenção o distanciamento entre a Mercedes-Benz e a Volkswagen e a pequena participação da Scania que caiu para sétimo lugar e conseguiu emplacar apenas 61 ônibus no ano até agora.

1º) Mercedes-Benz: 4691 ônibus – 56,31% de participação no mercado.

2º) MAN – Volkswagen Caminhões e Ônibus: 1529 ônibus – 18,35% de participação no mercado.

3º) Marcopolo (miniônibus Volare): 845 ônibus – 10,14% de participação no mercado.

4º) Iveco (incluindo miniônibus CityClass): 516 ônibus – 6,19% de participação no mercado.

5º) Volvo: 451  ônibus – 5,41% de participação no mercado.

6º) Agrale: 215 ônibus – 2,58% de participação no mercado.

7º) Scania: 61 ônibus – 0,73% de participação no mercado.

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

1 comentário em Vendas de ônibus registram queda acumulada de 21% em quatro meses

  1. Amigos bom dia.

    Parabens para o autor do design dessa pintura, simples,bonita e contrastante.

    Att,

    Paulo Gill

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: