Polêmico, aplicativo “separa” quem mora perto e longe da empresa que tem vaga

Viação Ribeirão Pires

Ônibus intermunicipal de Ribeirão Pires, em Paranapiacaba. Diariamente, milhões de brasileiros se deslocam por horas porque moram longe do emprego. Aplicativo, pré-seleciona para as empresas quem reside mais perto, e tem gerado polêmica. Foto: Adamo Bazani.

Polêmico, aplicativo recruta quem mora perto da empresa
Vagas de alta rotatividade são o foco da ferramenta
ADAMO BAZANI – CBN
Maior oferta de redes de trens e metrô e qualificação dos serviços de ônibus, com corredores e faixas exclusivas dando prioridade ao transporte coletivo no espaço urbano, são essenciais para a mobilidade.
No entanto, os problemas de deslocamento da população vão além dos serviços de transportes.
É consensual a necessidade de uma reorganização da ocupação e atividades econômicas nas cidades com polos de geração de emprego e renda, além de educação, perto de onde residem os trabalhadores.
Para que isso aconteça, é preciso tempo, investimento e acima de tudo, olhar de Estado sobre o bem coletivo.
Enquanto esse cenário ideal não se torna real, o trabalhador que mora longe, muitas vezes, é visto como um encargo pesado pelas empresas.
Realmente, não deixa de ser desfavorável para o empregador o fato de ter um funcionário menos produtivo, que chega cansado ao serviço e, que por não aguentar longas e demoradas viagens todos os dias, acaba desistindo do emprego.
Mas é importante destacar que o trabalhador não mora longe porque quer.
Isolar este contingente de pessoas da oportunidade de emprego e renda é agravar um problema social já existe.
E neste contexto, um aplicativo tem gerado polêmica.
Trata-se do “Emprego Ligado”. Por sistema de geolocalização dos celulares, o aplicativo relaciona para a empresa interessada em oferecer uma vaga, pessoas cadastradas que residam próximo do negócio.
Os candidatos se cadastram gratuitamente e as empresas pagam pelo serviço. As companhais disponibilizam a quantidade de vagas e os requisitos para o cargo.
A ferramenta então direciona para a empresa as pessoas mais próximas da sede.
Na mesma linha, o site “Trampos” que atua para empresas de comunicação e tecnologia, faz uma pré-seleção semelhante.
Os serviços foram citados em reportagem do Jornal Folha de São Paulo.
Os responsáveis pelos serviços negam que estejam contribuindo para haja uma espécie de segregação no mercado de trabalho de quem tem condições de morar em regiões melhores das pessoas que residem em áreas mais afastadas. Dizem que só mostram oportunidades que muitas vezes não são percebidas por empresas e candidatos.
De toda a forma, o assunto é polêmico. Essa separação por distância da casa do trabalhador sempre existiu em diversas empresas nos processos de seleção.
No entanto, ainda havia a oportunidade de o candidato participar de uma entrevista e mostrar um potencial. Estes aplicativos e sites estariam já dispensando bons talentos antes mesmo de um mínimo contato com a eventual contratente?
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

1 comentário em Polêmico, aplicativo “separa” quem mora perto e longe da empresa que tem vaga

  1. Polêmico mesmo! O mercado exige competitividade para as empresas, mas estas também não podem ignorar suas funções sociais. Ao mesmo tempo as pessoas não podem se acomodar em se dispor a sacrifícios diários de duas, até três horas de viagem e não fazer um esforço para cobrar das autoridades de sua cidade, investimentos em desenvolvimento local.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: