ENTREVISTA: Tatto admite atraso em corredores. Até 2030, cidade deve ter mais 500 km de corredores de ônibus

OUÇA A MATÉRIA E ENTREVISTA DO SECRETÁRIO JILMAR TATTO, NO LINK DA RÁDIO CBN:

http://cbn.globoradio.globo.com/sao-paulo/2015/04/11/SECRETARIO-DE-TRANSPORTES-DE-SP-ADMITE-QUE-CRISE-ECONOMICA-ATRASA-CORREDORES-DE-ONIBUS.htm

ônibus
Ônibus em São Paulo. Tatto admite que situação financeira da cidade e baixo crescimento econômico podem atrasar obras em corredores de ônibus. Foto: Adamo Bazani

SUGESTÃO DE CABEÇA: Secretário dos Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, admite que falta de recursos deve obrigar prefeitura a rever cronograma das obras de corredores de ônibus que podem atrasar. Ao apresentar Plano de Mobilidade, secretário diz que até 2030 a cidade pode receber mais 500 quilômetros de corredores de ônibus e mil e 500 quilômetros de ciclovias. Prefeitura quer que PAC financie calçadas e ciclovias.

texto:

As obras dos corredores de ônibus na cidade de São Paulo podem ter prazos revistos por causa das dificuldades financeiras da prefeitura e do baixo crescimento econômico do País.

O secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto, admitiu a possibilidade de atrasos.

Levantamento feito pela reportagem da CBN com base nos dados da SPObras mostra que apenas 40 quilômetros de corredores foram entregues e outros 60 quilômetros estão em obras, algumas com ritmo bem lento. Durante a campanha eleitoral, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, prometeu 150 quilômetros até 2016.

Tatto disse que o objetivo da prefeitura é minimizar os atrasos e que em 2016, com a renegociação das dívidas da cidade com a União, a situação pode melhorar

SONORA

O secretário participou de uma audiência do Plano de Mobilidade de São Paulo. Até 2030, a cidade deve ter, segundo Jilmar Tatto, 500 quilômetros de corredores de ônibus, sendo 150 quilômetros implantados a cada quatro anos. Também há previsão de mil e 500 quilômetros de ciclovias até 2030.

Tatto disse que a prefeitura apresentou proposta ao Ministério das Cidades para que o PAC financie também ciclovias e reforma em calçadas. Hoje o PAC Mobilidade libera recursos para obras como corredores de ônibus e de transportes metroferroviários.

De São Paulo, Adamo Bazani