Vinte cidades latino-americanas se comprometem a ter ônibus urbanos não poluentes

ônibus limpos

Vinte cidades da América Latina se comprometerem a adotar ônibus limpos até 2020. Dentre os modelos estão elétricos-híbridos e trólebus. Podem deixar de ser emitidas 1 milhão 780 mil toneladas de gás carbônico no ar por ano, com renovação. Foto: Adamo Bazani

Vinte cidades latino-americanas se comprometem a ter ônibus urbanos não poluentes
Assinatura de intenções ocorreu nesta sexta-feira, na Argentina. Nove municípios fazem parte do C 40, Grupo de Grandes Cidades para a Liderança Climática
ADAMO BAZANI – CBN
Um importante passo para a mobilidade limpa foi tomado nesta sexta-feira, dia 27 de março de 2015, em Buenos Aires, na Argentina.
Durante o Fórum Latino Americano de Prefeitos do C 40, grupo que reúne quarenta grandes cidades com ações em prol do meio ambiente, vinte municípios da América Latina se comprometeram até 2020 a adotar frotas de ônibus urbanos não poluentes. Entre as alternativas estão veículos movidos por combustíveis alternativos ao petróleo, trólebus, ônibus elétricos e ônibus elétrico-híbridos.
De acordo com o C 40, as frotas destas vinte cidades somam até 2020, 114 mil 655 ônibus. Se todos estes veículos de transporte coletivo forem trocados por modelos que não emitem nenhum poluente, como ônibus elétricos a baterias e trólebus, deixariam de ser lançadas no ar, 1 milhão 780 mil toneladas de gás carbônico no ar por ano.
As cidades brasileiras que aderiram o compromisso são Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza e Belo Horizonte. As demais cidades são Bogotá, Buenos Aires, Caracas, Lima, Cidade do México, Quito, Assunção, Cali, Córdoba, La Paz, Panamá, Salvador, Santiago, São Domingo, Tegucigalpa e Valparaíso.
Outros municípios que não fazem parte da América Latina também apoiaram declaração pedindo incentivos públicos para que os ônibus não poluentes se tornem mais baratos são: Addis Ababa, Cape Town, Johanesburgo e Tshwane, no Continente Africano, Copenhagen, Londres, Madrid, Oslo e Varsóvia, na Europa, São Francisco, nos Estados Unidos, Seul e Jakarta, na Ásia.
O documento assinado pelos representantes das cidades pode orientar montadoras de veículos e operadores de transportes, bancos de desenvolvimento e financiamento para que a aquisição e manutenção destes ônibus tenham custos iniciais reduzidos, estimulando a renovação da frota. Os ônibus, obedecendo as condições operacionais de cada cidade, devem também ter um padrão mundial para facilitar exportações e importações
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

2 comentários em Vinte cidades latino-americanas se comprometem a ter ônibus urbanos não poluentes

  1. Amigos, boa noite.

    Se o lucro do buzão será reduzido, conforme informado:

    Como é que será comprado e-bus ou h-bus. ????????????????//

    Em Sampa, esquece.

    Fumaça no contribuinte!

    Att,

    Paulo Gil

  2. No PlanMob de Joinville também estão previstos ônibus elétricos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: