Justiça determina suspensão de novas ciclovias em São Paulo

CICLOVIAS

Implantação de novas ciclovias em São Paulo foi suspensa pela Justiça. Faltaram estudos de impacto no trânsito, diz decisão. Foto: Reprodução.

Justiça suspende novas ciclovias em São Paulo
Juiz acolheu parcialmente pedido do Ministério Público e entendeu que não houve estudo da prefeitura sobre o impacto dos espaços no fluxo de veículos
ADAMO BAZANI – CBN
O juiz Luiz Fernando Rodrigues Guerra, da 5ª Vara da Fazenda Pública da Capital, atendendo parcialmente o pedido do Ministério Público de São Paulo em ação civil, determinou a paralisação da implantação de novas ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas de caráter permanente no Município, com exceção da ciclovia da Avenida Paulista.
De acordo com nota do Tribunal de Justiça de São Paulo, a prefeitura não apresentou ao Ministério Público estudos do impacto da presença das ciclovias no fluxo de veículos motorizados e pedestres:
“O magistrado afirmou que, apesar da solicitação dos promotores de Justiça, os réus não apresentaram estudos de impacto viário: – Sabendo-se que o interesse da Administração Municipal segue no desejo de implantar ao menos 400 quilômetros de ciclovias e ciclofaixas neste Município, é de se entender como razoável a presença de prévio estudo de impacto viário global e local, de sorte a mitigar efeitos deletérios como o estrangulamento do tráfego de veículos em vias públicas, diz a decisão. Com relação à obra na Avenida Paulista, o juiz destacou que a paralisação dos trabalhos ou a recomposição ao estado anterior importaria maiores transtornos aos munícipes, especialmente em caso de improcedência da ação. Cabe recurso da decisão.”
A cidade de São Paulo possui 262,8 km de vias destinadas aos ciclistas. Deste total, a administração de Haddad inaugurou 199,8 km desde junho de 2014. A meta da Prefeitura é viabilizar uma malha de 400 km até o fim de 2015.
Em nota, a prefeitura classificou a decisão do magistrado como “sensata” porque atendeu parcialmente a ação civil pública do MP.
“A administração considera importante o entendimento preliminar do juiz de que não ocorreu omissão ou violação do poder público na implantação do sistema cicloviário, conforme alegava a promotoria em seu pedido. Também descartou os argumentos relacionados à obra da Avenida Paulista”
A procuradoria do município diz que vai responder a todos os questionamentos para retomar a implantação das ciclovias.
Confira o processo em:
https://esaj.tjsp.jus.br/cpo/pg/show.do?processo.foro=53&processo.codigo=1H0007OVO0000
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

7 comentários em Justiça determina suspensão de novas ciclovias em São Paulo

  1. William de Jesus // 19 de março de 2015 às 22:21 // Responder

    Boa noite!

    Ora, impediu a construção (ou devo dizer pintura?) de novas ciclovias? Deveria, além disso, fazer esse prefeito desfazer tudo!

    Deveria ter pegado esse dinheiro, e arrumar os bueiros da cidade, ao inves de simplesmente colocar as placas ridículas de “area sujeita a alagamento”.

    • Cara, limpeza de galerias é um trabalho constante. Atualmente, é gasto R$ 1 BILHÃO, com a limpeza da cidade, valor que não seria necessário se a população não jogasse tanto lixo. Aliado a isso, tem uma rede de galerias arcaicas e apenas 50% de todo o esgoto é tratado. A plaquinha da qual você critica, infelizmente, é a medida a curto prazo, mais eficiente que a gestão pode tocar, porque reconstrução de galerias e educação da população, acontece a médio e longo prazo.

      Sobre a ciclovia que você reclama, recomendo e muito que procure fotos de ciclofaixas (não ciclovias, já que esta, são pistas totalmente segregadas do viário) em diversas partes do mundo. Veja em Paris, por exemplo, local onde o ciclista divida a faixa com o ônibus.

  2. Amigos, boa noite.

    Consta no post acima

    “Com relação à obra na Avenida Paulista, o juiz destacou que a paralisação dos trabalhos ou a recomposição ao estado anterior importaria maiores transtornos aos munícipes,”

    Faltou aplicar o Princípio da Igualdade; afinal todas as demais “Ciclotintas” importaram em
    transtornos aos munícipes; basta olhar a foto; eu tenho cada foto que não sei se rio ou se choro,
    tamanha as aberrações cometidas.

    Aberração, como o disperdíceo de tinta ao pintarem a sarjeta e a guia, lugar onde nenhum “ciclobikes” ira transitar; até porque as sarjetas estão muito ruins, o que torna IMPOSSÌVEL a circulação de “ciclobikes”

    E sobre a verba da tinta que foi jogada fora, consta na ação ?????

    E tem mais, já tem “Ciclotintas” sendo repintadas, pois a tinta que foi aplicada não resiste a nada; muito menos água e aos raios ultravioletas do sol.

    A foto do post fala por si só.

    Se o passageiro descer do buzão e der de encontro com um “ciclobike” tá tudo certo né,
    pois afinal a culpa será atribuída ao piloto do buzão.

    É piloto mais essa pra segurar.

    E tem mais, tem “Ciclotintas” iguais a da foto pintadas em avenidas movimentadas e com curvas,
    onde o buzão trafegará ao lado da “Ciclotinta”, como na foto acima.

    Já pensaram num BRT Millenium fazendo a curva do lado de um “Ciclobyke”

    E se o BRT Millenium e o “Ciclobyke” se encostarem, já sabem o que vai acontecer né; na melhor das hipóteses teremos um “Ciclobykepastel”..

    Me desculpem, mas tenho que repetir; mais uma:

    PREVISIVELLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL.

    Att,

    Paulo Gil

  3. Complementando:

    Esqueci de mais uma aberração.

    Tem “Ciclotinta” em cima da calçada.

    Agora eu preeeeeeeeeeeeeeeeeegunto.

    Onde o pedestre vai caminhar ??????????

    Nas ruas e avenidas ?????

    Att,

    Paulo Gil

  4. Todo mundo reclamando da suspensão, mas esquecem de alguns detalhes:

    – As ciclovias foram implantadas devido há uma série de acidentes graves que ocorreram antes destas implantações, e que culminaram em manifestações e organizações de associações de ciclistas.

    – Infelizmente em São Paulo, aos poucos, NÃO HÁ TANTA ORDEM NO TRÂNSITO QUANTO ANTIGAMENTE. A cidade está inchada, e os condutores estão a cada dia mais egocêntricos e perigosos. Uma ciclovia, nem que seja uma via pintada no chão, é uma forma de pelo menos delimitar as condições de via para um condutor, que em sua grande parte, não sabe manter uma distância de ultrapassagem em relação à bicicletas.

    – Uma ciclovia é uma forma segura de separar o fluxo de não motorizados (patins, bicicleta, etc…) dos pedestres e dos motorizados.

    Em compensação, entendo que ocorre algumas coisas que culminam nesta decisão:

    – Sim, há má implantação ou estudos de viabilidade e uso. Muitos que são ciclistas / cicloativistas pensam que é só colocar a faixa e esperar a demanda. Mito.

    São Paulo, em sua grande parte, é uma cidade com muitos aclives/declives e vias de largura curta. Quanto parte de uma via se torna uma ciclovia ( o primeiro que falar ciclofaixa, leva um ***** [censurado]), se mina parte da capacidade de fluxo de motorizados. E hoje precisamos mais de uma prioridade no transporte público do que em bicicletas.

    – Nem todos dos 10 milhões de paulistanos são pessoas que pensam em usar uma bicicleta para locmomoção. Em sua grande parte, a população se locomove 5, 10 km ou mais. O uso da bicicleta fica mais restrita a locomoções casa-terminal de transporte público, mas depois pensam no tempo e energia gastos. E no final, acabam preferindo a lotação do ônibus, pois pelo menos só cansa de ficar em pé.

    – No começo do “cicloativismo”, as pessoas apoiaram, pois pensaram que “os outros” iam adotar a bicicleta e deixar as ruas para quem anda de carro. Hoje notaram que nem todos adotaram as bicicletas e o número de carros nas ruas só aumenta. Ainda com o fato que há muito cicloativista cego que aponta dedo e criminaliza o uso de automóvel, automaticamente gera rixas e quem ainda estava em dúvida entre carro e bicicleta, adota o carro porque foi uma opção de livre escolha dele, ao invés de ser uma escolha moral.

    – Há muito ciclista que anda em via pública mesmo com ciclovia. Parece que não mas basta observar. E são ciclistas aparentemente “profissionais” ou até cicloativistas pró-ciclovia. Peraí, o cara apoia uma ciclovia, a ciclovia entra em ação e ele não usa?

  5. Aberração!! Ridiculo!! QUEM NÃO CONHECE SP/SP ACHARIA Q ISSO É UMA MONTAGEM! ESSE PESSOAL DO PT E ALIADOS E DA CET E DA SPTRANS TEM MERDA NA CABEÇA!!! MORTE E O SOFRIMENTO RONDAM OS PONTOS DE ÔNIBUS DE SP/SP…E ALGUNS CANTEIROS CENTRAIS DE ALGUMAS AVENIDAS…COMO A GUILHERME COTCHING, NA VILA MARIA, AREA-2, ZONA NORTE DE SP/SP! Fora SPTrans e CET! FORA PT!! E FORA KASSAB PRA SEMPRE! FORA DAS PREFEITURASE NEM PENSEM EM CONCORRER AO GOVERNO DO ESTADO E FEDERAL DE NOVO! JESUS TENDE PIEDADE DE NÓS!!

  6. OUVI DIZER Q O PREFEITO PAGOU MAIS DE R$600,00 POR CADA KM DE CICLOVIAS HEDIONDAS E BIZARRAS COMO ESSA!! ACORDA POVO DA CIDADE DE SÃO PAULO-SP!!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: