Licitação separada de chassi e carroceria faz Porto Alegre economizar, diz prefeitura

ônibus Mascarello

De acordo com prefeitura de Porto Alegre, licitação separada de chassi e de carroceria significou economia para os cofres públicos. Foto: Hudson Nogueira/Divulgação PMP

Porto Alegre recebe mais 50 ônibus novos
Veículos integram frota da empresa pública Carris. Licitação diferente para chassi e carroceria gerou economia, diz prefeitura
ADAMO BAZANI – CBN
Às vésperas de uma licitação que deve organizar os serviços de transportes, a cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, passou a contar com mais 50 ônibus novos nesta segunda-feira.
Os veículos integram a foto da Carris, empresa pública da cidade, que não vai fazer parte da licitação.
Com a entrega destes ônibus, a frota da Carris sobe de 371 para 383 ônibus. Isso porque, 38 ônibus novos substituem os mais antigos e outros 12 representam acréscimo no total de veículos. A idade-média dos ônibus da Carris, segundo a prefeitura, cai de 6 anos e oito meses para 5 anos e três meses.
Os investimentos foram de R$ 26 milhões para a aquisição destes 50 ônibus, dos quais 35 são do tipo padron e 15 articulados. Todos são de chassi Volvo e Carroceria Mascarello.
Em fevereiro, outros 13 ônibus novos se somaram à frota.
Os veículos novos possuem itens de acessibilidade para pessoas com dificuldades na movimentação e visão, mas não são dotados de ar-condicionado.
Em nota elaborada pelo jornalista João Paulo Magalhães, da Assessoria de imprensa da Prefeitura de Porto Alegre, o poder público explica que a licitação para a compra dos ônibus mudou, separando o chassi da carroceria, o que representou economia de 10,5% em média:
“Se comparada à última compra, os ônibus adquiridos em 2014 e entregues neste ato representaram economia à Carris. A redução do custo foi conquistada pela decisão em alterar o formato da licitação. Anteriormente, o chassi e a carroceria eram negociados juntos. Na nova modalidade, essas partes foram compradas em processos diferentes, o que permitiu maior concorrência e, consequentemente, um preço final mais competitivo. Desta forma, a compra de 35 veículos convencionais registrou economia de 11,96%, enquanto o valor dos 15 ônibus modelo articulado diminuiu 10,86%. A economia nesses dois casos chega a R$ 3.381.500,00.”
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

11 comentários em Licitação separada de chassi e carroceria faz Porto Alegre economizar, diz prefeitura

  1. Amigos, boa noite.

    Foi descoberta a polvora.

    Desde o final da producao dos moniblocos pela Mercedes Benz, nao ha mais um fornecedor unico.

    So Poryo Alegre nao sabia.

    Piada.

    Os prejuizos causados por esse erro crasso deve ser restituidod aos cofres publicos, por quem deu csusa.
    Att,

    Paulo Gil

    • Boa Tarde, não tem erro nenhum aí. A Carris apenas viu uma forma de diminuir os custos com a aquisisção dos veículos.

      Não havia erro nos processos licitatórios anteriores. A forma que foi feita atualmente é que é diferente.

      • Ze Tros, boa noite.

        Nessa licitacso nao tem erro, mas nas outras sim, desde que encerrou a fabricacao de monoblocos pela Mercedes Benz.

        Att,

        Paulo Gil

      • BOa Tarde Paulo, lamento, mas uma coisa não tem a ver com a outra. Mesmo na época dos monoblocos, a Mercedes produzia as plataforma deles para encarroçamento por terceiros, além dos chasis comuns para encarroçamento.

        Não entendi essa associação que você fez entre as licitações anteriores com o encerramento da produção dos monoblocos pela Mercedes.

    • Ze Tros, boa noite.

      Eu associei com o fim da producao dos monoblocos, porque era a unica montadora que fornecia um buzao completo.

      Depois buzao completo, so se compra de revendedor, afinal ele tem para fornecer o produto completo.

      Com absoluta certeza, toda empresa de buzao negocia em separado, chassi e carroceria, exceto se houver uma parceria com promocao, ate porque ele pode mandar encarrocar parte dos chassis numa encarrocadora e parte em outra.

      Afinal, quem tem so um fornecedor nao tem nenhum, pois quando precisar (ex. falencia da Busscar) a concorrencia atendera primeiro os que ja sso clientes.

      Isso e normal em qualquer mercado.

      Abcs,

      Paulo Gil

      • Sim, eu concordo contigo nisso, mas, não quer dizer que as licitações anteriores estivessem erradas por conta disso. E comprar ônibus completo, atualmente pode ser feito também nas revendedoras. A Sambaíba por exemplo, que é concessionária Mercedes, tinha vários O-500 RS + Paradiso 1200 G7, OF-1721 + Viaggio 1050 G7, dentre outros, para pronta entrega e todos já encarroçados.

        No mais, essa licitação separada de chassi e carroceria, minimiza as compras casadas, ou seja, mesmo chassi com a mesma carroceria, podendo variar a frota, sem deixar a empresa presa a uma única carroceria e a um único fornecedor de chassi.

  2. Ahn??? O_o

    Não entendi: é mais barato comprar um ônibus “desmontado” do que “montado”?

    Comprar peças separadas é meio estranho. Normalmente, o projeto da carroceria é acompanhado do chassi; e com isso conta o preço da mão de obra da montagem e garantia inicial.

    Claro que há de se considerar que na maioria dos mercados, os ônibus não são veículos monoblocos (em sua grande maioria), mas sim estruturas separáveis. Mas sempre imaginei que não é possível desassociar um chassi de uma carroceria, seja por projeto, por documentação / legislação de trânsito, etc…

    Fico surpreso e até admirado com isso. =)

    • Não é comprar o ônibus desmontado ou peças separadas. Normalmente se compra o chassi e depois escolhe-se a carroceria, para onde o chassi é enviado para fazer o encarroçamento.

      Nos processos licitatórios anteriores, o chassi era comprado junto com a carroceria. Agora a Carrris fez uma licitação para comprar o chassi e outra licitação para a compra da carroceria, a qual garantiu uma economia segundo ela.

  3. De fato é muito espantoso essa compra de chassis separada da carroceira! Fato que, se tem garantia os ônibus, quem é que garante em certos casos? A fornecedora do chassi ou da carroceria?

    • As compras são feitas separadas mesmo. Com relação à garantia são duas garantias distintas: a do fonecedor do chassi e a do fornecedor da carroceria.

    • Salvo engano,o chassi (a estrutura de movimentação) tem a garantia dela de motor e defeitos/vícios. Para a carroceria (estrutura de proteção e transporte), acho que a garantia é menor já que é onde sofre os maiores inconvenientes. Só deve ser a garantia de defeitos de fábrica.
      Porém, ainda continuo espantado também. =)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: