RIT: Após atuação do MP, créditos do Cartão-Transporte Urbs serão aceitos por mais seis meses pelos metropolitanos

créditos Urbs RIT metropolitanos

Ônibus metropolitano integrado da RIT. Após atuação do Ministério Público do Paraná, créditos do Cartão Transporte Urbs adquiridos até o dia 06 de fevereiro serão aceitos pelos ônibus metropolitanos integrados por mais seis meses. A partir deste sábado, metropolitanos começam a aceitar vale de papel transitório que faz parte do processo de separação na gestão das tarifas entre estado e prefeitura. Foto: Adamo Bazani

Créditos do Cartão Transporte de Curitiba ainda serão aceitos nos ônibus metropolitanos
Passagens devem ter sido adquiridas até 06 de fevereiro. Vale de papel, no entanto, entra em vigor a partir de sábado
ADAMO BAZANI – CBN
Os créditos do Cartão-Transporte da Urbs adquiridos até o dia 06 de fevereiro de 2015, quando houve o reajuste nas tarifas, serão aceitos pelos ônibus metropolitanos integrados por mais seis meses. As próximas compras, no entanto, para as linhas integradas da região metropolitana, não podem mais ser pelo Cartão Transporte da Urbs.
Diante dos possíveis transtornos ocasionados aos passageiros pela separação da gestão da tarifa metropolitana integrada da tarifa municipal urbana de Curitiba que fazem parte da RIT – Rede Integrada de Transporte, o Ministério Público do Estado do Paraná, pela Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo e Promotoria de Justiça e Defesa do Consumidor, convocou uma reunião urgente entre a Urbs – Urbanização de Curitiba S.A., empresa da prefeitura da capital paranaense, e a Comec –Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba, do governo do estado.
A decisão foi tomada na tarde desta quinta-feira após um acordo entre os órgãos.
A Comec e a Metrocard, empresa de bilhetagem da região metropolitana pertencente às companhias de ônibus, anunciaram nesta semana que a partir de sábado, os ônibus metropolitanos integrados só aceitariam como pagamento dinheiro vivo ou um passe de papel transitório até a implantação de um novo sistema de bilhete metropolitano, que contemple as linhas integradas da RIT.
O passe de papel continua sendo comercializado na sede da Metrocard, que fica à Rua Benjamin Constant, 148, no centro de Curitiba, e nos terminais metropolitanos.
Mas com o prolongamento da possibilidade do uso do Cartão-Transporte Urbs nas linhas metropolitanas, não é mais necessário correr para adquirir os passes de papel e haverá mais tempo para os passageiros se adaptarem.
Em nota, o promotor de Justiça de Defesa do Consumidor, Maximiliano Ribeiro, diz que o acordo garante “os direitos dos consumidores que adquiriram antecipadamente as passagens, confiando que poderiam utilizá-las em todo o sistema, um princípio constitucional”.
Os créditos do Cartão-Transporte Urbs adquiridos após 06 de fevereiro, no entanto, não serão aceitos nos ônibus metropolitanos integrados, sendo necessário o pagamento em dinheiro ou com o vale de papel.
O passageiro terá de possuir dois tipos de vale se tem créditos comprados a partir do dia 06. As próximas compras também devem ser separdas. Para ir de uma das cidades da RIT até Curitiba, em um ônibus metropolitano integrado, paga com um passe (transitório) ou cartão eletrônico (futuramente) da Comec/Metrocard. Em um terminal, ele pode continuar pegando gratuitamente um ônibus municipal de Curitiba para continuar o trajeto. Da capital para uma das cidades da RIT, este mesmo passageiro deve pagar a tarifa do ônibus municipal com o Cartão-Transporte da Urbs e no terminal embarca gratuitamente num ônibus metropolitano integrado.
Em nota, o governo do estado explia que a prefeitura vai gerenciar estes crepditos mais antigos que ainda serão aceitos pelos ônibus metropolitanos.
“O controle do estoque desses “créditos transportes” será feito pela Urbs, com prestação de contas à Comec, mensalmente, ao custo de 2%, a título de gerenciamento.
A separação na gestão das tarifas se deu por causa de um desentendimento político envolvendo o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, do PDT, e o governador Beto Richa, do PSDB, em relação ao subsídio das integrações entre as linhas metropolitanas e urbanas.
O uso de um único cartão nas 13 cidades da RIT mais Curitiba era uma das principais características do sistema em Curitiba e Região Metropolitana que foi referência em mobilidade urbana até para outros países.
As cidades que formam a RIT são: Almirante Tamandaré, Pinhais, São José dos Pinhais, Araucária, Contenda, Colombo, Campo Magro, Campo Largo, Bocaiúva do Sul, Rio Branco do Sul, Itaperuçu, Piraquara e Fazenda Rio Grande, além da capital Curitiba.
O presidente da Urbs, Roberto Gregório da Silva Júnior, disse também em nota pela prefeitura de Curitiba, que ainda há possibilidade de os passageiros poderem fazer as viagens com um cartão somente. Isso depende se vai haver ou não acordo entre estado e município do Paraná:
“Temos uma rede de 750 validadores instalados em terminais e estações tubo, que oferecemos à Comec para facilitar a vida do usuário, além de evitar que recursos públicos precisem ser destinados para a implantação de uma nova estrutura”, disse Gregório.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

2 comentários em RIT: Após atuação do MP, créditos do Cartão-Transporte Urbs serão aceitos por mais seis meses pelos metropolitanos

  1. Amigos, boa noite.

    Comtantos problemas sociais e outros de interesse publico e inacreditavel o MP ter que gastar o intelecto do seu corpo tecnico e seu tempo com uma questao que obrigatoriamente tem de ser redolvida na esfera administrativa da gestso punlics diaria.

    E olha que no sul do pais.

    Noooooooooooooooooooossa.

    Att,

    Paulo Gil

1 Trackback / Pingback

  1. Justiça obriga Urbs e Comec a apresentarem contratos com empresas de ônibus | Blog Ponto de Ônibus

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: